Home > Dicas de viagem > Viajar sozinho: dicas práticas e inspirações

Viajar sozinho: dicas práticas e inspirações

Conhecer gente nova, superar medos, fazer seus próprios planos… ah, as delícias de viajar sozinho! Hoje, vamos conversar sobre esse tema, dando dicas, inspirações e, claro, contanto tudo isso através de histórias.

Pensando em organizar a sua primeira viagem internacional? Clique aqui e veja o nosso guia sobre o assunto!

Para ir direito ao assunto, clique no menu:

Viajar sozinho: prós e contras

As pessoas, atualmente, estão aprendendo a curtir a própria companhia, ainda bem! Viajar sozinho, ou estar só, não é mais sinônimo de solidão e, sim, de empoderamento.

Aqui no Passagens Imperdíveis, diariamente, recebemos relatos de seguidores que decidiram se aventurar e amaram, e outros que pretendem cair nessa estrada de autodescobrimento.

Por isso, para te inspirar a viver essa linda aventura, selecionamos os prós e contras de viajar só. Em seguida, dicas práticas e indicações de filmes e livro.

Prós de viajar sozinho: se abrindo para um novo mundo

Medo, traumas, inseguranças, tudo isso pode ser curado em uma viagem onde a sua própria cia será a protagonista. Junte, nesse caldeirão, alegrias e vivências únicas! Veja:

Conhecer gente nova

Viajar sozinho é uma das melhores e mais eficazes maneiras de conhecer novas pessoas! Você precisará comer em algum local, pedir algum tipo de informação, conversar sobre algo legal que viu em um parque ou museu, por exemplo.

Tudo isso é uma enorme abertura para novos contatos e isso é uma das coisas mais bacanas de viajar só.

Anderson e o casal, em Budapeste

Anderson e o casal, em Budapeste

Anderson Fabricio, de 27 anos, que viaja sozinho desde os 19, conta uma de suas experiências:

“Eu estava em Budapeste e fui conhecer a cidade. Quando estava tirando foto à noite, próximo ao Parlamento, um casal quis tirar foto comigo, assim mesmo, do nada. No início, eu achei estranho e disse que minha câmera havia descarregado.

Porém, sabe aquela energia sentida quando está acontecendo algo de bom na vida? Pronto! Chamei ambos e tirei a foto, sendo um dos fatos que me marca até hoje.

Para muitos, pode ser que seja algo simples. Mas, para mim, foi algo que mudou a minha perspectiva e me fez ver que esse mundo pode ser mais harmônico e com menos julgamentos.”

No final, você retornará pra casa com novas lembranças, amigos e amores…

Superar medos

Muitas pessoas encontram, em uma viagem, a cura para a superação de seus medos. Uma depressão, síndrome do pânico, uma perda, tudo isso pode te motivar a seguir em frente.

Renata Curátolo, 53 anos, fez sua primeira viagem sozinha neste ano, em 2019, durante uma crise em seu relacionamento.

Viajar sonzinho: Renata em sua primeira viagem solo, na Espanha

Renata em sua primeira viagem solo, na Espanha

“Fazer a viagem sozinha, ter tempo e espaço pra avaliar o relacionamento, sentir saudades e, além disso, sair da zona de conforto, conhecer outro país, outros costumes, aprender a se virar sozinha!

Tudo isso ajudou a colocar meus sentimentos em ordem e definir o que quero pra mim. Fazer essa viagem sozinha foi fundamental pra salvar a relação!

Agora estamos muito bem, felizes, apaixonados, e ele diz que está muito orgulhoso da minha coragem.”

Treinar uma outra língua

Vamos combinar que viajar sozinho também é ótimo para treinar uma língua. Afinal, é você, apenas, se virando e se comunicando como pode.

Lorena Milo, 34 anos, do nosso time de marketing, em uma viagem para a Tailândia, pelo PI, conta um pouco sobre esse tipo de experiência:

“Meu inglês não é fluente, mas consegui me virar de uma forma que nunca imaginei. É libertador falar da forma que você sabe, sem julgamentos.

No final da viagem, eu estava tão orgulhosa e empoderada! Fui pro outro lado do mundo e conversei com pessoas, fiz amizades, experienciei momentos que jamais vou esquecer.

Posso afirmar que, se você sonha conhecer algum local e não sabe a língua, você irá descobrir formas de se virar. Acredite em você!”

Fazer seus próprios planos

Montar o seu roteiro, acordar e mudar toda a rota programada para esse dia. Por que não? Isso é possível quando você é o único comandante da viagem.

Então, aproveite para fazer os passeios que quiser, andar de ônibus, metrô, Uber, a pé… alugar um carro e cair na estrada, sem rumo certo.

Bárbara, durante uma viagem para Nova York - Viajar sozinho

Bárbara, durante uma viagem para Nova York

Bárbara Pedroso, de 26 anos, fala sobre isso:

“Para mim, a maior vantagem de viajar sozinha é a liberdade. Adoro poder programar todo o meu roteiro sozinha e fazer só o que eu gosto, no meu ritmo.

Poder mudar os planos durante a viagem sem depender de aprovação de outras pessoas é muito bom e garante que a viagem tenha exatamente a nossa cara.”

Autoconhecimento

Aqui, você já percebeu que o final de todas as histórias foi o autoconhecimento.

Pois é! É inevitável passar tantos momentos com você mesmo e não se amar mais, se respeitar mais!

Luís Gustavo, no México - Viajar sozinho

Luís Gustavo, no México

“Viva cada dia, aproveite cada segundo, aprecie as pequenas coisas que, no final, a recompensa será incrível”, é a dica do Luis Gustavo, de 25 anos, que já viveu muitas histórias em sua própria companhia.

Contras de viajar sozinho: um pequeno capitulo desvantajoso dessa história

Com certeza, o principal fator que joga contra nesse time é não ter com quem compartilhar todos esses momentos.

Olhar para a Torre Eiffel e não ter com quem se emocionar, pode ser um baque. Mas, lembre-se de que o tempo e espaço só existe em nossa mente, e que todos que amamos estarão conosco, sempre, independente da distância.

Além disso, Guilherme Ludwig, 28 anos, também do nosso time de marketing, em viagem feita para o Peru, pelo PI, dá a dica:

“Não ter alguém querido para compartilhar a empolgação e a insegurança das novas experiências foi meu principal desafio. Por isso, comprei um chip local para me manter conectado às pessoas do meu círculo social. Assim, diminuía a saudade e me sentia mais seguro”.

Viajar sozinho: Registro do Guilherme, em Machu Picchu no Peru

Registro do Guilherme, em Machu Picchu

Dicas para viajar sozinho pelo mundo: só depende de você

Faça passeios sozinho em sua cidade

Separe um fim de semana para turistar sozinho em sua cidade! Isso irá quebrar os primeiros receios da sua mente.

Visite parques, converse com pessoas desconhecidas, peça para tirarem fotos de você. Sente em um bar, jante sozinho. Curta a sua companhia e aprecie o momento.

“Começar a fazer passeios sozinha na sua própria cidade ou região é um passo grande para quem deseja sair pro mundo de maneira solo. Depois que a gente consegue curtir nossa própria companhia e se entreter durante um passeio sozinho, relaxa e entende que é possível se divertir – e muito, sempre!”, conta Bárbara Pedrosa.

Comece por destinos fáceis

Talvez, você seja do tipo “se joga” e vá para um lugar mais distante logo de primeira. Mas, a maioria tem receio, e isso é absolutamente normal.

Procure por destinos familiares, que tenham uma língua similar ao português, como é o caso do espanhol.

Na América do Sul, há países incríveis como Argentina, Chile, Uruguai e Peru. Todos com cultura rica, onde o espanhol é a língua oficial.

Na Europa, que tal conhecer Portugal? Ou, que tal conhecer mais estados brasileiros? As possibilidades são muitas!

Afirmamos que será o início de um passaporte carimbado, igual ao da Glória Maria (ouvimos um amém? rs).

Pesquise o seu destino, ao máximo!

Mesmo com a liberdade de viajar sozinho, e mudar os rumos de um roteiro, prepare o seu. Preparar a sua viagem vai além da seleção de lugares para visitação e hospedagem.

Leia sobre a cultura local, o que pode ser feito ou não no país, quais são as leis por lá, se há algum local inapropriado para andar em determinado momento do dia.

“Seja uma viagem no próprio país ou internacional, tem que ter um conhecimento prévio do lugar. Assistir vídeos no Youtube, ouvir relatos de pessoas que já foram pra lá, ler as notícias locais, enfim, procurar obter o maior conhecimento possível do destino”, explica Renata Curatólo.

Por aqui, temos dicas de roteiros em nosso site e também no nosso canal no Youtube. Aproveite e assista, já que as dicas são mais que completas.

Faça um seguro viagem

Anote isso: independente da obrigatoriedade de um seguro viagem, vá assegurado. Não corra riscos, já que um imprevisto pode custar caro.

Por aqui, temos histórias de pessoas que sofreram algum tipo de acidente fora do Brasil, e saíram do destino com uma conta bem salgada, além do sufoco e perigo que passaram.

Um seguro saúde irá até você, independente da situação, através de uma equipe especializada. Contamos mais sobre isso aqui.

Opte por se hospedar em hostel

Foi-se o tempo em que hostel era uma opção de hospedagem com menor qualidade.

Hoje, muitas pessoas, em diversas fases da vida, optam por compartilharem espaços com outros viajantes. Isso porque a troca nesse tipo de ambiente é ideal para quem deseja fazer amizades e conhecer mais culturas.

Atualmente, muitos hostels oferecem quarto individual, caso o seu desejo seja desfrutar dos benefícios citados acima, mas com um cantinho só pra você no fim do dia.

Use abuse das ferramentas de viagem

Há ferramentas preciosas, disponíveis gratuitamente, que te ajudarão, e muito, durante a viagem. Separamos duas:

  • Google Maps: que irá te ensinar a chegar em qualquer local desejado, indicando o melhor caminho, tempo e meios de transporte;
  • Google Tradutor: que irá traduzir tudo o que você precisa, em tempo real, e também no modo offline. Uma função muito interessantes é o scanner, que lê placas em vários idiomas e é uma mão na roda!

Entre em grupos de viagem e faça amigos

Além de conhecer pessoas durante os dias de viagem, você também pode entrar em grupos de viajantes que buscam cias e trocas de experiências!

Para isso, fique de olho em redes sociais como o Facebook e em perfis de Instagram. Para as mulheres, há um grupo lindo, onde as trocas são ricas e inspiradoras. Saiba mais sobre o Mulheres que viajam sozinhas.

Fique atento à segurança

Muitos países são mais seguros que o Brasil em alguns pontos, mas, nem por isso, esqueça da segurança no exterior.

A verdade é que, a maioria das dicas de segurança é uma questão de bom senso. Evitar andar só de madrugada, não aceitar caronas e bebidas de desconhecidos, não usar joias e ostentar itens de valor, ficar atento a sua bolsa ou mochila são algumas das regrinhas básicas.

Por fim, evite circular com seu passaporte original (faça a cópia da primeira página e da página onde está o carimbo da viagem e plastifique) e, também, não saia com todo o seu dinheiro. Deixe no cofre do hotel ou em algum local seguro.

Dica extra: mulheres, viajem sozinhas!

O tema viajar sozinha é um pouco delicado para as mulheres. Isso porquê a questão segurança soa mais forte.

“Não senti medo em momento algum, mas eu evitava ficar na rua até mais tarde, tinha muito cuidado com isso, e sempre estava atenta à carga do meu celular. Se sentisse algum tipo de perigo, eu conseguiria me comunicar com alguém de confiança.”, conta Lorena Milo sobre a sua experiência na Tailândia.

Viajar sozinho: Registro da Lorena, em Koh Samet, Tailândia

Registro da Lorena, em Koh Samet, Tailândia

Bárbara Pedroso também explica que ser mulher, em uma cultura diferente, é um desafio, mas é preciso respeitar os costumes.

“Viajei sozinha por Casablanca, no Marrocos, e fiquei surpresa que, sempre que tentava falar ou negociar com os locais, eu infelizmente era interrompida, hostilizada ou ignorada.

Foi uma experiência que me lembrou que viajar sozinha sendo mulher exige atenção, paciência e cuidados redobrados. Mas que, no final, vale a pena e só nos deixa mais fortes, relata.”

Dicas de livros e filmes para quem pretende viajar sozinho

“Mas, você vai sozinha?”, da jornalista Gaía Passarelli – livro sobre as experiências de uma mulher viajando sozinha.

“Livre” – filme sobre o autoconhecimento, que conta a história real de Cheryl Strayed, que resolveu fazer uma trilha de 4.200 Km, que inclui toda a costa oeste dos Estados Unidos, da fronteira com o México até o Canadá, conhecida como “Pacific Crest Trail”.

O filme foi baseado no livro, de mesmo nome.

“Comer, rezar e amar” – filme que também foca eu autoconhecimento, também inspirado em uma história real, onde a escritora Elizabeth Gilbert viaja para Itália, India e Bali para se reconectar com si mesma.

O filme foi baseado no livro, de mesmo nome.

Agora que você já sabe como viajar sozinho, fique de olho nas suas passagens aéreas em promoção!

Para acompanhar nossas ofertas, siga a gente nas redes sociais (InstagramFacebook e Twitter) e baixe o aplicativo gratuito. Ah… também estamos no Youtube, viu?