Home > Dicas de viagem > Roteiro por Londres: 5 dias na “Terra da Rainha”

Roteiro por Londres: 5 dias na “Terra da Rainha”

Viagem realizada por Patrícia Guedes e Jairo dos Santos em março/2018 | Fizemos uma curta Eurotrip por três cidades: Londres, Dublin e Amsterdam. Começamos nossa viagem pela capital da Inglaterra e do Reino Unido. Neste post, vamos te mostrar como foram nossos 5 dias de roteiro por Londres. Prepare-se para conferir dicas das melhores atrações para visitar, onde ficar e onde comer em Londres.

Sempre sonhando com a próxima viagem? Nós também! Siga o nosso Instagram (@passagensimperdiveis) e fique de olho no aplicativo gratuito do PI. Diariamente compartilhamos passagens com preços incríveis, para o Brasil e exterior (iOS, Android e Windows Phone).

Famosas cabines telefônicas de Londres

As famosas cabines de Londres e o Big Ben

Peculiaridades de Londres

O anoitecer londrino

A nossa viagem para a Europa foi realizada em março, primavera. Apesar de não ser mais inverno, nessa época do ano ainda escurece bem cedo na região. Por volta de 18h30 já é noite.

Look right!

É necessário ter muita atenção ao atravessar a rua em Londres!

Por causa da mão inglesa, os carros vêm do sentido oposto ao que estamos acostumados. Com isso, no canto das avenidas está escrita a expressão “look right”. É um alerta  pensado para facilitar a vida das pessoas (principalmente dos turistas), indicando para onde olhar ao cruzar as ruas!

#PIAvisa: a cotação utilizada neste post é de maio maio de 2018, quando £1 equivalia a R$ 5,03.

Aprenda como se locomover em Londres:

Preparamos aqui em nosso site, um conteúdo exclusivo sobre como se locomover em Londres de maneira fácil, rápida e barata! Confira tudo em nosso post sobre o metrô Londrino, também conhecido como Underground ou Tube: Como usar o metrô de Londres: Underground e o Bilhete Oyster!

Dia 1

Desembarcamos no Heathrow Airport e pegamos um metrô para ir para o nosso hotel, o St Martins Lane London. Saiba como foi nossa chegada e confira as opções existentes para o trajeto

Hotel St Martin Lane 

Nosso quarto no Hotel St Martin Lane, em Londres

O hotel é todo diferentão, lindo e está numa localização superprivilegiada, na Covent Garden. As diárias são a partir de ‎£ 220 (R$ 1.106,60). E o quarto é todo muito bem pensado. No banheiro, por exemplo, a parte do chuveiro fica separada do sanitário. Além disso, o St. Martins Lane oferece aos hóspedes um smartphone com chamadas gratuitas e acesso ilimitado à internet #PIAmou. 

No mais, você percebe que realmente chegou a Londres quando o próprio hotel disponibiliza um guarda-chuva pra você. A história de chover muito por lá não é só uma fama. Sabe?!

Você pode pesquisar outras opções de hospedagens com o nosso parceiro, o Booking.com.

Escolha, para a sua hospedagem, um ponto localizado próximo à estação do metrô – ou Underground. Isso vai facilitar a sua vida, e permitir que você gaste menos tempo com deslocamentos!

Maison du Mezze

Para sentir o clima da cidade, começamos nosso roteiro por Londres na Leicester Square, onde procuramos um lugar gostoso para jantar. Nossa escolha foi o Maison du MezzeA casa trabalha com comida libanesa e do Oriente Médio. As opções de pratos saem a partir de ‎£ 6,50 (R$ 32,70).

Mais do que a comida, que era boa, não excepcional, o fato de o restaurante ser um dos poucos a ficar aberto até mais tarde é um grande diferencial.

O Maison abre para brunch, almoço e jantar. Possui opções para crianças, vegetarianos e veganos, além de grelhados e frutos do mar. Alguns pratos podem ser divididos. No próprio site do restaurante é possível fazer reserva, mas ela não é necessária. A casa conta com outra unidade, em Kingston.

Maison du Mezze Leicester Square: aberto de segunda-feira a domingo, das 10h às 23h30.

Ao final do jantar, já era hora de voltar ao hotel para descansar e começar o segundo dia bem animado.

#DicaPI: aos domingos, grande parte dos locais públicos de Londres fecham cedo, por volta das 19h. Atente-se e planeje-se bem.

E para ficar ainda mais fácil planejar o seu desembarque na capital inglesa, assista ao vídeo com dicas sobre a imigiração em Londres, Underground e Oyster, onde comer e mais!

Neste vídeo, vamos te ajudar a descomplicar alguns trâmites burocráticos de uma viagem à Europa, como: conexão em Frankfurt, imigração em Londres, plano de Internet em Londres, Underground e bilhete Oyster.

Dia 2

O segundo dia de roteiro por Londres começou com muita chuva. Dedicamos algumas horas para planejar como receberíamos os ganhadores da promoção “PI 4 anos“. E escolhemos testar algumas dicas de jantar. 

Hambúrgueres Byron Burger

Hambúrgueres no Byron Burger

A começar pelo Byron BurgersOs hambúrgueres são deliciosos e saem a partir de ‎£ 7,50 (R$ 37,70). Inclusive, existem várias opções vegetarianas. A casa surgiu em 2007 com o propósito de servir um hambúrguer simples, delicioso, com carne fresca e com os melhores ingredientes possíveis. E eles conseguiram!

É possível fazer a reserva pelo site do Byron. Existem várias unidades, então confira qual se encaixa melhor no seu roteiro por Londres.

Frog by Adam Handling

Seguimos pela Saint Martin Lane até o próximo restaurante: Frog by Adam Handling. Lá é possível encontrar entradinhas a partir de ‎£ 4 (R$ 21,20), entradas um pouco maiores a partir de ‎£ 13 (R$ 65,40) e pratos principais a partir de ‎£ 18 (R$95,40).

O jantar começa com um pãozinho com manteiga. Porém, em cima da manteiga tem pele de galinha (é bom). A apresentação dos pratos é linda, e a comida, uma delícia!

O chef Adam Handling é super-renomado. Ele foi vice-campeão do Masterchef Professionals 2013 e vencedor, em 2014, do prêmio de Chef do Ano, da Federação Culinária Britânica. Por isso é indicado realizar a reserva. 

A fama das comidas é de ter um toque asiático na moderna culinária inglesa. É possível experimentar um pouquinho de cada coisa no menu degustação.

No andar inferior, há um bar com uma carta de drinks enorme – o Eve A decoração é muito linda! Se você for ao Frog, dê um pulinho no Eve, nem que seja para conhecer.

Frog by Adam Handling: aberto para almoço de segunda-feira a sábado, das 12h às 14h30; para jantar, das 17h30 às 22h30. Fecha aos domingos. 

Reservas podem ser realizadas no site do restauranteConfira, ainda, as outras casas do chef e veja qual se adequa melhor ao seu roteiro por Londres. 

#AjudaPI! Londres vai marcar a sua estreia no exterior? Tudo bem! Preparamos um guia de viagem para iniciantes, com tudo o que você precisa saber antes de viajar pela primeira vez para outro país. 

Dia 3

Para começar bem o terceiro dia do roteiro por Londres, fomos ao Palácio de Buckingham. Para ir até lá, passamos pela The Mall – mais parece um cenário de filme.

A The Mall é uma alameda que conduz ao Palácio de Buckingham. Em datas especiais, são hasteadas bandeiras do Reino Unido dos dois lados da rua.

Palácio de Buckingham

Entre julho e setembro é a época com a maior disponibilidade para visitar o interior do castelo – existem vários tipos de passeios por lá. Então, se você pretende ir à Londres e quer muito conhecer ao máximo o local, marque sua viagem para esse período. Ou consulte o site do palácio para saber quais passeios acontecerão no momento da sua visita.

Palácio de Buckingham

Palácio de Buckingham

Você sabia? Quando a bandeira da realeza britânica está no alto do palácio significa que a rainha está por lá. Se fosse o contrário, seria hasteada a bandeira do Reino Unido. A Rainha Elizabeth, ou Isabel II, é rainha do Reino Unido desde 1952. Ela nasceu em 1926.

Um pouco de história

O Palácio de Buckingham já presenciou diversos momentos muito importantes da história britânica e mundial, alguns tristes, outros felizes. Durante a Segunda Guerra, ele foi bombardeado nove vezes! Em 1837, passou a ser a residência oficial da monarquia, quando a monarca era a Queen Victoria.

A troca da guarda acontece todos os dias, em frente ao palácio, durante o verão. No inverno, ela ocorre em dias alternados. Entre no site da guarda real e confira a data e o horário, para acompanhar esse momento tão icônico. Trata-se de uma cerimônia bastante importante. Sua função é a proteção da rainha.

Uma dica para sua viagem para Londres: assista à série The Crown e fique sabendo um pouco mais sobre a monarquia britânica. Ela está disponível na Netflix e indicamos fortemente.

O Saint James’s Park é um dos parques da monarquia britânica e fica em frente ao palácio. Passeando pela região do Palácio de Buckingham, é possível ver que as denominações da rua são ligadas a City of Westminster. Esta é como uma representação de um distrito dentro da grande Londres.

City of Westminster

É na City of Westminster que está a sede do governo britânico por mais de mil anos – assim como muitos pontos de interesse e muitas construções importantes. Os principais lugares de Londres estão nela. É uma região administrativa.

Portão do Palácio de Buckingham

Portão do Palácio de Buckingham

Na City os Westminster, estão concentradas:

  • Palácio de Buckingham;
  • Hyde Park;
  • Big Ben;
  • London Eye;
  • St James’s Palace;
  • Abadia de Westminster;
  • Palácio de Westminster;
  • Trafalgar Square;
  • entre outros.

A palavra Westminster também é uma forma encontrada para chamar o sistema de parlamentarismo britânico.

De lá, seguimos caminhando até o nosso próximo destino neste roteiro por Londres: o Big Ben. É muito tranquilo caminhar pela cidade. As ruas são bem planas e lindas! Se você preferir usar os meios de transporte públicos da cidade, veja como funcionam, incluindo o metrô Underground.

Big Ben

Faremos uma revelação chocante: o Big Ben não é um relógio! Pois é.

Chamamos toda a estrutura da torre com o relógio de Big Ben, porém, o que realmente tem este nome é o sino que fica no interior da torre. Antes, seu nome era Clock Tower. Mas, para celebrar o Jubileu de Diamante da Rainha Isabel II, em 2012, foi alterado para Elizabeth Tower.

Big Ben

Big Ben, um dos símbolos de Londres

A torre tem 96 metros de altura e é onde está o segundo maior relógio de quatro faces do mundo – o Big Ben. A construção acabou em 1858 e, a partir daí, se tornou uma das principais atrações de Londres.

Durante a nossa eurotrip, em março de 2018, o Big Ben estava em reforma. Esta começou desde o início de 2017 e tem término previsto para 2020. Além da manutenção, será instalado um elevador que levará até o alto da Torre. Legal, não? 

Do Palácio de Buckingham, passamos pelo Saint James’s Park e chegamos ao Churchill War Rooms, que hoje é um museu. Antes era o gabinete do Primeiro Ministro Britânico Winston Churchill, durante a época da Segunda Guerra Mundial. No local foram tomadas diversas decisões importantes para a história.

Churchill War Rooms

A entrada custa £ 21 (R$ 105,60) e pode ser comprada na hora, sem filas! O ingresso contempla o áudio guia, disponível também em português. Você também pode garantir seu ingresso pelo site do Churchill War Rooms.

Churchill War Rooms, o escritório secreto

Churchill War Rooms, o escritório secreto

No Churchill War Rooms existe um escritório subterrâneo que, originalmente, era secreto. Nele, todo o planejamento da Segunda Guerra aconteceu. Era ali que funcionava o quartel general da guerra.

Um pouco de história

Todas as decisões eram tomadas no Churchill War Rooms e os envolvidos ficavam protegidos de ataques de bombas. Desde o oficial mais simples até o Primeiro Ministro ficavam dentro do mesmo lugar durante todos os seis anos de duração da Segunda Guerra – de 1939 a 1945.

Em 1945, com o fim da guerra, o espaço foi abandonado. E, ao pensar em transformá-lo em museu, foi providenciada a restauração dos cômodos com detalhes preservados visando ficar o mais próximo da versão original.

Todo o espaço do museu é bem interativo, conservado. É surpreendente! A visita é muito legal para quem gosta de história, principalmente por quem tem interesse pela Segunda Guerra. O passeio é muito completo porque existe muita memória armazenada ali.

Com relação ao tempo da visita, se você tiver 40 minutos livres – tempo mínimo – vale a pena entrar e conhecer.

Depois de nos encantarmos com o museu, fomos a nossa próxima parada do roteiro por Londres, o Parliament Square, onde fica a Abadia de Westminster, uma das mais imponentes construções da capital inglesa.

Parliament Square

A Parliament Square é uma grande área verde, próxima ao Palace de Westminster. Nela, estão onze estátuas que representam estadistas e outras pessoas notáveis para a Inglaterra. No local, aconteceram muitas manifestações e protestos. Por tudo isso, é um ponto muito turístico.

Ao seu redor, estão vários edifícios oficiais, como as Casas do Parlamento, Supremo Tribunal e a Abadia de Westminster.

A igreja é considerada uma das mais importantes da Inglaterra. É caracterizada pelo estilo gótico e foi construída no século XI.

Abadia de Westminster

Abadia de Westminster, palco para casamentos da realeza

Abadia de Westminster

A Abadia de Westminster é mundialmente conhecida por ser o palco das coroações e casamentos reais. Além disso, é onde estão sepultados corpos de pessoas muito importantes, como Charles Darwin e Isaac Newton.

E, para se apaixonar mais pela cidade, experimente subir a London Eye! É uma daquelas atrações que não podem ficar de fora do seu roteiro por Londres!

London Eye

A London Eye é uma roda-gigante de observação. Ela possui cabines que te permitem ter uma vista de 360° da cidade e curtir um pouco do clima londrino, visto de cima. 

London Eye

London Eye toda iluminada na noite londrina

Sua inauguração aconteceu na virada do ano de 1999 para 2000, quando era considerada a maior roda-gigante do mundo. Em 2006 a London Eye perdeu seu posto para a Estrela de Nanchang, na China.

Fique atento ao horário de funcionamento e valores! Há diferenças entre os tickets comprados pela internet, no local, com ou sem fast track (fura-filas). Compre os ingressos no site da roda-gigante. Eles custam a partir de £ 22,95 (R$ 120) pela internet ou £ 27 (R$ 143,10) no local.

A cabine para a subida é bem grande, além de climatizada. Uma volta completa demora em torno de 40 minutos.

#DicaPI: planeje sua subida na tradicional roda-gigante para o final do turno. No inverno, fecha às 18h, no verão, às 20h30. Este horário é bom para admirar o sol se pôr e a noite começar. É uma opção interessante, também, para ver do alto as luzes de Londres. 

Vista da London Eye

Vista da London Eye

Vale muito a pena! Nem que seja uma vez na vida. Lembre-se de conferir, no site da roda-gigante, os horários de funcionamento da London Eye. Eles variam de acordo com a época do ano e possíveis feriados.

Fechando este dia de fortes emoções, fotos jantar no StreetXo London!

StreetXo London

O StreetXo é um restaurante que tem, também, uma franquia em Madrid. A culinária é moderna, com opções de pratos principais, sobremesas e menu degustação.

Os pratos são requintados e parecem até obras de arte! Além disso, o ambiente do restaurante combina com os pratos.

  • Opções para compartilhar a partir de £ 16 (R$ 80,50).
  • Menu degustação a partir de £ 45 (R$ 226,35).
  • Almoço a partir de £ 25 (R$ 25,15).

A carta de drinks do restaurante é surreal! Um detalhe fofo de lá: a conta é trazida num potinho com formato de nariz de porquinho <3

StreetXo London: segunda, das 18h às 23h; terça e quarta, das 12h às 15h e das 18h às 23; quinta e sexta, das 12h às 15h e das 18h à 24h; sábado, das 13h às 15h30 e das 18h às 24h; domingo, das 13h à 15h30 e das 18h30 às 21h30.

É importante fazer reserva que pode ser realizada no site do restaurante.

Dia 4

O quarto dia de roteiro por Londres começou com uma caminhada na região do hotel que ficamos hospedados, o St Martins Lane London, rumo a Trafalgar Square, onde estão algumas das atrações da cidade. Trata-se de um dos pontos centrais da cidade e, certamente você irá passar por lá em algum momento da sua viagem. O lugar é lindo e a arquitetura em volta é toda clássica. Ali, acontecem vários eventos como a parada gay, St Patricks Day e o Ano Novo Chinês.

A praça surgiu em 1800, quando deixou de ser um pátio com estábulos para se tornar um espaço que liga as avenidas Charing Cross à Portland Place. Ela se chama Trafalgar porque este é o nome de uma batalha que foi vencida pelo exército britânico, no ano de 1805, e que aconteceu durante as Guerras Napoleônicas.

Na praça está a Coluna de Nelson, que tem 52 metros de altura e foi feita em homenagem ao Almirante Nelson. Ele era responsável pelas expedições na época destas Guerras e liderou a Royal Navy na Espanha. A estátua foi inaugurada em 1843, antes das duas fontes que estão ali. Os leões que ficam na base da coluna foram colocados apenas em 1867.

Algumas atrações que estão na Trafalgar Square

A National Gallery é um dos museus de arte mais bonitos e famosos de Londres. Nele é possível encontrar obras de artistas renomados como Eugène Boudin e Leonardo Da Vinci.

National Gallery, na Trafalgar Square

National Gallery, na Trafalgar Square

É indicado planejar sua visita com antecedência e comprar o ingresso pelo site da galeria, caso tenha interesse em visitar as exposições temporárias (o preço médio é de £20 – R$ 100,60, mas pode variar). Mas, se quiser visitar apenas o acervo permanente, fique à vontade: a visitação é gratuita!

National Gallery: aberta diariamente, das 10h às 18h e até às 21h nas sextas. 

Uma das construções mais imponentes da Trafalgar Square é o Consulado do Canadá ou Canada House.

O edifício foi construído entre 1824 e 1827 para ser utilizado pelo Union Club e pelo Royal College of Physicians. Porém, em 1923 o Governo Canadense viu a necessidade de unir todos os funcionários deles em um único lugar no Reino Unido e comprou o prédio.

Depois de algumas reformas, ele está ali desde 1925 para acolher os canadenses que precisem de algum serviço no Reino Unido. Lá também é onde se tira passaporte e visto para o Canadá.

De lá, pegamos o Underground para a próxima parada do nosso roteiro por Londres: Hyde Park.

O Hyde Park deve estar no seu roteiro por Londres

Hyde Park

Pelo Underground, a partir da linha Piccadilly, é só descer na estação Hyde Park e pronto. Entenda melhor como funciona este transporte que certamente vai estar presente em seu roteiro por Londres. 

O Hyde Park é um dos parques da realeza mais amados pelos londrinos. No início dos tempos estes parques eram de propriedade dos monarcas do Reino Unido. Com o passar dos anos, junta a urbanização das cidades, eles se tornaram de domínio público, atendendo à população.

De tão lindo, até parece cenário de filme. A entrada é gratuita. Por ele, aparecem muitos esquilos super dóceis que ficam bem pertinho da gente.

O Hyde Park é um dos Parques da Realeza

O Hyde Park é um dos Parques da Realeza

O Hyde Park é muito famoso pela sua Esquina do Orador. O espaço é dedicado para qualquer pessoa, com exceção dos membros da família real, discursar sobre o que quiser. Para isso, a pessoa deve estar em cima de uma cadeira ou de um caixote. Segundo a tradição, se orador não está pisando no solo inglês, ele estará isento das leis e tradições britânicas.

Uma coisa bem comum nos The Royal Parks (parques da realeza) são as placas que informam aos visitantes que bicicletas não são permitidas no interior deles.

Hyde Park: aberto diariamente, das 5h à 24h.

Serpentine River

O Serpentine River é um lago recreativo que divide o Hyde Park do Kensington Gardens. Ele foi criado em 1730, a pedido da Rainha Caroline.

Mesmo nos referindo a todo o lago como Serpentine, apenas a metade oriental dele tem este nome. A outra metade é chamada de Long Water.

É um lugar bem gostoso para relaxar e curtir bem a natureza. Vale a pena dedicar um tempinho da viagem para ficar a suas margens.

De lá partimos para Notting Hill. Para chegar até lá, usamos o Black Cab, o famoso Táxi Preto de Londres. Nele, cabem quatro pessoas confortavelmente acomodadas. E chamá-los é muito fácil, basta acenar com a mão na rua. A corrida do Hyde Park até Notting Hill custa, aproximadamente, £ 14 (R$ 70,40).

Notting Hill

Notting Hill

Notting Hill

O Notting Hill é uma das principais atrações da capital e não podia faltar no nosso roteiro por Londres. Sabemos que o bairro ficou famoso pelo filme “Um Lugar Chamado Notting Hill”, mas ele é muito mais do que isso!

O que tem de mais delicioso para se fazer em Notting Hill é o mesmo que tem para fazer em Londres: passear muito e se perder pelas ruazinhas. Existem alguns pontos que são mais conhecidos, por isso listamos as principais atrações de interesse para que você se organize conforme seu tempo disponível e cronograma pela cidade:

  • Print Room
  • Portobello Gifts
  • 303 Westbourne Grove
  • The Notting Hill Bookshop
  • The Flowered Corner
  • Portobello Road Market: é nela que acontece, aos sábados, o famoso mercado de pulgas. A rua fica cheia de barraquinhas e lojinhas por toda sua extensão. É um excelente lugar para, além de conhecer muito sobre o bairro, comprar algumas lembrancinhas e presentes.
  • Coronet: um lugar muito especial para os amantes de “Um lugar chamado Notting Hill”. Foi no Coronet Cinema que Hugh Grant e Julia Roberts assistiram a um filme de ficção científica. Ele é considerado, desde 1898, um dos cinemas mais renomados da cidade. Já foi frequentado por inúmeras celebridades, inclusive, pela família real!

De volta ao Underground, fomos ao Neal’s Yard, em Covent Garden. O Neal’s é um bequinho cheio de restaurantes lindos e coloridos. Nele está o Wild Food, um restaurante vegetariano que tem uma missão muito legal de conectar as pessoas com o ecossistema. Para eles, comer é celebrar e cada prato retrata a diversidade e as cores do mundo, com uma pitada gourmet. Os pratos custam a partir de £ 6,80 (R$ 34,20).

Por lá, jantamos no The Barbary

The Barbary

O The Barbary está na lista de Bib Gourmand da Michelin. Ele tem bom custo/benefício e é indicado pelo Guia Michelin. Além disso, faz parte da lista da Time Out, dos 100 melhores restaurantes de Londres. Precisa de mais?

A casa oferece comida norte-africana, no estilo de “tapas”. É no balcão que você faz, e recebe, seus pedidos. É preciso reservar com antecedência e só existem dois horários para reserva, diariamente às 12h e às 17h. São poucos lugares e os clientes ficam dispostos ao redor do balcão da cozinha. É uma experiência incrível!

Os pratos saem a partir de £ 4,50 (R$ 22,60) e o cardápio está sempre mudando. As reservas podem ser feitas pelo site do restaurante.

The Barbary: aberto de segunda a sexta, 12h às 15h e 17h às 22h; sábado, de 12h às 22h e domingo, das 12h às 21h30.

#DicaPI: quer entender qual a importância do Guia Michelin? Preparamos um post especial explicando como funciona o guia.

Além do The Barbary, também passamos pela Honest Burguers para experimentar seus hambúrgueres e finalizar este quarto dia de roteiro por Londres.

Restaurante Honest Burgers

Restaurante Honest Burgers

Honest Burgers

A Honest Burgers é uma hamburgueria britânica e existem unidades dela espalhadas por toda a cidade. Os hambúrgueres são bem gostosos e custam a partir de £ 7,95 (R$ 40). Todos os sanduíches acompanham batatas fritas deliciosas. Também existem opções vegetarianas.

As carnes são derivadas de gado britânico. A construção do bife é muito bem pensada para que ele seja firme e suculento, ao mesmo tempo. Um diferencial é que a carne não é triturada, ela é cortada. Isso faz com que o hambúrguer mantenha o gosto da carne! Todos os produtos vendidos são feitos à mão, pela própria hamburgueria.

O cheddar inglês é o legítimo! Ele é maravilhoso! Experimente!

Dia 5

Nosso quinto dia de roteiro por Londres começou a caminho de Leavesden, para ver tudo sobre Harry Potter nos Studios da Warner. O Uber até lá sai, aproximadamente, por £ 30 (R$ 150,90).  Existe, também, a opção de usar o transporte público tanta para a ida, quanto para o retorno. Basta usar o Google Maps (entenda aqui como usar essa ferramenta na sua viagem) ou o Citymapper e colocar sua localização e para onde deseja ir, que o aplicativo te mostra qual linha pegar e por onde ir.

Making of Harry Potter

Making of Harry Potter

The Making of Harry Potter

O Making of Harry Potter fica nos Estúdios da Warner e, para ir, é preciso comprar o ingresso com antecedência na site do estúdio – na hora não tem como comprar, tá?! Com o e-mail recebido após a compra, você retira seu ingresso no Ticket Collection do local.

#PIAvisa: é realmente importante comprar com bastante antecedência seus ingressos para o Making of Harry Potter. A atração é concorrida e os ingressos esgotam rapidamente. 

Leva cerca de 1h15 para sair de Central London e chegar ao Making of Harry Potter. Além disso, é bom estar por lá com 20 minutos de antecedência do horário do começo do tour, para ter tempo de fazer a retirada do ticket. Os preços, aliás, são diferenciados para crianças, famílias e grupos. É bom consultar o site para saber qual se encaixa melhor com sua viagem. Um adulto sozinho, por exemplo, paga a partir de £ 41 (R$ 206,20). Um ingresso Deluxe, com tratamento VIP, sai por £ 225 (R$ 1.131,75)!

#DicaPI: se você não comprou seu ingresso com antecedência, não se desespere. Confira, mesmo assim, se há algum ticket de última hora disponível no site do estúdio. Pode ser que dê sorte.

Não somos super fãs de Harry, mas amamos a atração!

Nós não somos super fãs de Harry Potter. Mas, ainda assim, achamos importante conhecer a atração por tudo que as obras em questão mudaram a história. Por lá, a internet é gratuita e tem uma velocidade inacreditável! 

Logo na entrada, é apresentado um breve filminho sobre a história da criação de Harry Potter. Com o ingresso convencional, £ 41 (R$ 206,20), é possível realizar um tour em, mais ou menos, quatro horas. Lá dentro existem várias salas temáticas, cada uma voltada para um tipo de produção: figurino, efeitos visuais, efeitos especiais, etc.

Plataforma 9 ¾ para Hogwarts nos estúdios Harry Potter

Plataforma 9 ¾ para Hogwarts nos estúdios Harry Potter

Cenário de filme

Em alguns dos estúdios foram gravadas várias cenas dos filmes e é possível que o fã veja e toque tudo! Passamos pela Forbidden Forest (Floresta Proibida), vimos um Patronus, paramos na Plataforma 9 ¾ para Hogwarts, entramos no Expresso Hogwarts e fomos ao Beco Diagonal. Ficamos encantados com a perfeição do cenário. É possível, também, provar a Butterbeer em forma de bebida ou sorvete. Tudo é muito real.

As principais cenas de Harry Potter, antes dos filmes, foram retratadas em telas. Estas foram importantes para auxiliar na construção das cenas para o cinema. Em uma das salas, podemos ver todas elas expostas. Tem uma miniatura de Hogwarts que é extremamente detalhada e linda! E como todo final de tour, há uma lojinha imensa, cheia de produtos muito interessantes de Harry Potter. Quem é fã vai pirar! 

Hogwarts, Harry Potter

Hogwarts, Harry Potter

Um tour realmente imperdível!

Outra coisa legal: assim que você chega ao tour recebe um passaporte para ser carimbado ao longo do percurso. Se quiser, é possível alugar audioguias em vários idiomas, inclusive português. Também é possível tirar fotos ao longo do percurso, nos cenários programados para este fim – inclusive com a simulação de voo de vassoura. As fotos e vídeos podem ser compradas no final com valores a partir de £ 14 (R$ 70,40).

É um tour imperdível, mesmo para quem não é fã.

De volta ao nosso roteiro por Londres, hora de conhecer a Saint Paul’s Cathedral.

St. Paul Cathedral

St. Paul Cathedral

Saint Paul’s Cathedral

Na região da City of Westminster, bem próxima ao Rio Tamisa e a London Bridge, está a imponente Catedral de Saint Paul. Ela foi a primeira igreja da Inglaterra, em 604 d.C. O formato era outro, mas ao longo do tempo ela foi passando por diversas reformas até ficar com a estrutura atual. Muito momentos felizes e importantes aconteceram ali, como, por exemplo, o casamento de Lady Day e Príncipe Charles. Mas, a catedral também sofreu com ameaças de bombas durante a Guerra.

Não é permitido filmar ou fotografar na parte interna e o valor da entrada varia conforme sua condição. Adultos pagam £ 18 (R$ 90,50), crianças pagam £ 8 (R$ 40,25). Confira no site da catedral os horários de visitações, assim como os horários de missas e orações, se desejar. 

De lá, sugerimos uma caminhada para passar por cima da Millenium Bridge. Entenderam, fãs de Harry Potter?

Millenium Bridge

Millenium Bridge

Millenium Bridge

Ela foi a primeira ponte a ser inaugurada depois da Tower Bridge, em 1894. Sua inauguração foi em 2000 e ela é toda feita em aço. É a ponte mais moderna da cidade!

Fo

Logo que atravessar é possível ver o Tate Modern, o Museu de Arte Moderna, cuja entrada é gratuita. O Tate abre todos os dias, das 10h às 18h; na sexta e no sábado ele fecha um pouco mais tarde, às 22h. O objetivo do museu é aumentar o conhecimento dos londrinos e turistas sobre a arte britânica desde o século XVI até os dias atuais.

Dele, demos continuidade ao roteiro por Londres e fomos para a região de Kensington, para tomar um típico chá da tarde. É uma das áreas mais ricas da cidade e fica bem pertinho do Hyde Park.

Georgian Restaurant, Harrods

O The Georgian fica próximo ao Hyde Park e é um lugar conhecido para tomar o chá das cinco. Por lá o chá da tarde custa a partir de £ 42 (R$ 211,20)  por pessoa, ou opções a la carte, a partir de £ 13,50 (R$ 67,90).

O restaurante está aberto desde 1913, buscando a elegância da década de 1920 e 1930. E ele abre de segunda a sábado, das 11h30 às 20h; no domingo, das 11h30 às 18h.

É apenas bonito. Sinceramente? Não gostamos da comida. Tivemos a impressão que ela estava pronta há horas. Foi caro e o atendimento deixou a desejar – não recomendamos! E é uma pena, porque o ambiente é muito lindo. Para saber mais, segue o site do restaurante.

Depois de nos decepcionarmos com o chá, seguimos com nosso roteiro por Londres e passamos em um ponto próximo ao Camden Town: a Abbey Road. Ela foi a faixa onde os Beatles atravessaram.

Abbey Road

A icônica Abbey Road

Abbey Road

Foi nesta faixa de pedestres – ou zebra crossing, como é chamado na Inglaterra -, que os Beatles atravessaram e registraram a famosa foto, bem na Abbey Road. Ela fica quase em frente ao Abbey Road Studios, onde o quarteto de Liverpool gravou, ao vivo, a música “All We Need Is Love”. O ideal é colocar a Abbey Road no mesmo dia do roteiro de Hyde Park, pela localização.

No estúdio, em 1967, aconteceu a primeira transmissão ao vivo via satélite, com os Beatles. Depois deles, outros vários artistas gravaram seus discos na Abbey Road Studios, como Adele, Amy Winehouse e Oasis.

Dica extra: hamburguerias americanas

É muito possível encontrar hamburguerias americanas para comer em Londres como, por exemplo, a Shake Shak, Mc Donalds e outras. São boas opções para quando se está com fome e não tem outro lugar por perto. Mas, aproveite que estará na Inglaterra para experimentar os pratos locais! Demos várias dicas legais nesse roteiro por Londres, né?

Depois de saber o roteiro por Londres, que tal viajar mais?

O roteiro por Londres chegou ao fim. Mas, sabemos que você já anotou todas as dicas sobre os lugares para se divertir pela “Terra da Rainha”. Agora, falta só baixar nosso aplicativo gratuitamente e aproveitar as promoções de passagens que divulgamos todos os dias. Ele está disponível para iOS, Android e Windows Phone!

Ah, e não deixe de nos seguir nas redes sociais, Facebook, Instagram, Twitter e se inscrever no nosso  canal do YouTube. Por lá, você vai saber de todo conteúdo novo que fizermos e ainda vai poder contar pra gente das suas experiências de viagem.

Até a próxima!