Home > Dicas de viagem > Guia Michelin: o que é e qual a sua importância para o turismo

Guia Michelin: o que é e qual a sua importância para o turismo

Vira e mexe é possível ler por aí: “O restaurante tal ganhou mais uma estrela no Guia Michelin!”. Por isso, vamos explicar o que é o Guia Michelin, sua importância no cenário gastronômico mundial e quais brasileiros estão na lista!

O que é o Guia Michelin?

O Guia Michelin é o principal indicador do quão boa pode ser a experiência de comer em determinado restaurante. Por isso, ele é considerado a bíblia da gastronomia. O Guia avalia mais de 30 mil estabelecimentos em três continentes! Até hoje, mais de 30 milhões de livretos já foram vendidos no mundo todo.

A história do Guia Michelin

Para começar, se você lembrou de pneus ao ler a palavra “Michelin” acertou, pois o Guia foi criado em 1900 pelo francês André Michelin. Ele e seu irmão Edouard eram donos de uma empresa de pneus para bicicletas e viram um potencial crescimento nas vendas se passassem a vender pneus para carros, já que o automóvel estava se popularizando rapidamente na Europa.

Mas as ruas não eram tomadas por carros como hoje em dia! Para se ter ideia, naquela época existiam apenas 3 mil veículos em toda a França. Então os irmãos se perguntaram: “Como vender pneus, se há poucos carros?”. Foi aí que André pensou: “Incentivando as pessoas a viajarem de carro e, logo, gastarem os pneus, ora!!!”.

André então elaborou um extenso e completo Guia com os melhores hotéis e restaurantes da França. Assim, nasceu o mais famoso Guia de hotelaria e gastronomia do mundo!

Como o Guia Michelin avalia os restaurantes?

O próprio Guia afirma que, “para manter a independência de sua opinião, os inspetores sempre visitam os estabelecimentos anonimamente, pagam suas refeições e, em seguida, avaliam sua experiência“.

A regra de se manter anônimo durante toda a experiência é seguida com rigor para que o avaliador jamais tenha um atendimento diferente do que qualquer cliente “comum” teria. Caso o avaliador precise de informações extras ou de conhecer algum outro ambiente do restaurante (cozinha, por exemplo), ele se identifica somente após a avaliação estar concluída e a conta, paga.

Resumindo: os inspetores da Michelin vão até o restaurante, avaliam a experiência e voilá, os melhores avaliados vão para o Guia.

Parece simples, né? Mas a verdade é que os critérios são muito rígidos. Veja abaixo!

Quais os critérios de avaliação?

Confira os critérios avaliados pelos inspetores Michelin:

  • Qualidade dos produtos.
  • Domínio do sabor e técnicas culinárias.
  • Personalidade do chef na sua cozinha.
  • Relação entre qualidade e preço.
  • Consistência entre visitas.

Quem avalia?

Os inspetores/avaliadores do Guia Michelin trabalham em tempo integral para o grupo e possuem vasta experiência, por já terem trabalhado na área, terem formação acadêmica em gastronomia e/ou hotelaria ou terem morado e/ou viajado por vários países diferentes.

O que significam as estrelas do Guia Michelin?

Lembra do início desse artigo quando citamos: “O restaurante tal ganhou mais uma estrela no Guia Michelin”? Pois bem, as famosas estrelas são o sistema de classificação do Guia.

Cada restaurante pode receber de uma a três estrelas, levando em consideração os critérios já citados anteriormente (qualidade dos ingredientes, domínio do sabor e das técnicas culinárias, personalidade do chef na cozinha, custo/benefício e consistência entre as visitas).

O que cada estrela quer dizer?

  • Uma estrela: Cozinha requintada. Vale conhecer!
    Restaurantes com uma estrela são reconhecidos por uma cozinha bem preparada, por utilizar alimentos de boa qualidade e pela regularidade na execução dos pratos.
  • Duas estrelas: Cozinha excelente. Vale o desvio!
    O restaurante que recebe duas estrelas no Guia não é reconhecido só por utilizar exclusivamente alimentos de boa qualidade e por pratos deliciosos. O diferencial aqui é possuir um chef talentoso e experiente.
  • Três estrelas: Cozinha excepcional. Vale a viagem!
    Pratos deliciosos? Alimentos de qualidade? Muito mais que isso! O restaurante três estrelas possui um chef renomado e seus pratos são verdadeiras obras de arte!

Bib Gourmand: conheça a segunda principal categoria do Guia

Batizado com o nome do simpático boneco da Michelin (aquele branquinho com forma de vários pneus uns sobre os outros), o Bib Gourmand recomenda restaurantes cujos inspetores avaliam como boa a relação entre custo e benefício. Os critérios de avaliação são os mesmos já mostrados aqui, contudo, entram no Bib os restaurantes que não fizeram jus à estrela, mas também não decepcionaram na qualidade – e a entregam por um bom preço.

Veja mais detalhes e indicados na categoria Bib Gourmand!

#DicaPI: além das estrelas e da Bib Gourmand, há uma terceira distinção no Guia Michelin, chamada “A placa”, que indica restaurantes com “boa comida”.

Valores e princípios do Guia Michelin

O Guia promete ajudar as pessoas a fazer a escolha certa, com base em seis valores principais:

  1. Anonimato: embora os inspetores trabalhem para o Guia, eles são, acima de tudo, clientes como os demais, testando os restaurantes em completo anonimato para assegurar que não recebam tratamento especial.
  2. Independência: todos os inspetores são funcionários do grupo Michelin e sempre pagam pelas refeições nos restaurantes que estão testando.
  3. Expertise: os inspetores são verdadeiros especialistas.
  4. Confiabilidade: as diferentes categorias premiadas pelo Guia não são, jamais, fruto do julgamento de uma só pessoa, e sim formados por uma decisão coletiva, fruto de um longo processo.
  5. Paixão: qual seria o sentido de tanto trabalho e uma abordagem tão rígida se os inspetores não adorassem comer?
  6. Qualidade: qualquer restaurante pode ser recomendado pelo guia, desde que sua comida seja de alta qualidade.

Guia Michelin no Brasil

O Guia Michelin começou apenas com restaurantes franceses, mas foi aumentando sua cobertura ao longo dos anos. Em 2015 foi a vez dos restaurantes brasileiros começarem a dar pinta no Guia. Atualmente se avaliam estabelecimentos do Rio de Janeiro e São Paulo (confira este roteiro de um dia no Centro de SP!). Em 2019, os restaurantes brazucas estrelados no Guia são os listados abaixo.

São Paulo

  • 2 estrelas
    • D.O.M.
    • Tuju
  • 1 estrela
    • Evvai
    • Huto
    • Jun Sakamoto
    • Kan Suke
    • Kinoshita
    • Kosushi
    • Maní
    • Picchi
    • Tangará Jean-Georges

Rio de Janeiro

  • 2 estrelas
    • ORO
  • 1 estrela
    • Cipriani
    • Lasai
    • Mee
    • Olympe
    • Oteque
    • Ryo Gastronomia

PS.: em nosso Instagram, tem uma série de stories com sugestões de restaurantes em SP. E adivinha? Ela inclui o Jiquitaia e a Casa do Porco, ambos indicados (mas não estrelados no Guia Michelin)! Então siga o @passagensimperdiveis e clique no stories fixo “Comer SP”! Mas antes, um aperitivo do que tem por lá!

Saiba mais sobre o Guia Michelin

Se você quer entender mais sobre gastronomia, que tal assistir alguns programas de TV, séries e filmes sobre o assunto? Nós, do Passagens Imperdíveis, podemos recomendar alguns. Confira:

  • #PInaEstrada (websérie do Passagens Imperdíveis): entre dicas turísticas para destinos nacionais e internacionais, mostramos também alguns restaurantes estrelados ou indicados pelo Guia!
  • Chef’s Table (Netflix): a cada episódio da série, a história de um chef renomado. Emocionante!
  • Jiro – Dreams of Sushi (Netflix): o documentário conta a história do chef Jiro, conhecido por fazer apenas o melhor sushi do mundo (tanto que tem três estrelas Michelin).
  • Pegando Fogo (filme): o filme conta a história de um renomado chef que perde tudo por causa das drogas e que, após muitos anos, volta às cozinhas e luta para realizar o sonho de ganhar uma terceira estrela Michelin.
  • Masterchef Brasil (Band): reality show em que chefs amadores competem entre si e tentam mostrar todo seu conhecimento aos jurados.
  • Cozinha Prática (GNT): se você quer primeiro aprender o trivial, cola na Rita Lobo, que ela vai te ensinar o “arroz com feijão” com uma simplicidade absurda.
  • Que Seja Doce (GNT): reality show em que três chefs especialistas em confeitaria competem entre si. A diferença é que a cada programa há várias provas e um novo vencedor. É apresentado por Felipe Bronze, chef do restaurante Oro, duas estrelas Michelin.

E aí , conta pra gente: você já foi a um restaurante indicado pelo Guia? Tem vontade de ir? Conte tudo nos comentários!