Home > Dicas de viagem > Roteiro por Amsterdam: 3 dias pela capital da Holanda

Roteiro por Amsterdam: 3 dias pela capital da Holanda

Viagem realizada por Patrícia Guedes e Jairo dos Santos em março/2018 | Depois de conhecer Londres e Dublin, fechamos a eurotrip na capital holandesa, onde curtimos 3 dias. Publicamos até um post com dicas e curiosidades, mostrando como chegamos à cidade, algumas peculiaridades do destino e detalhes do hotel que ficamos hospedados. Agora confira nosso roteiro por Amsterdam.

Amsterdam

Amsterdam

#DicaPI: ainda não tem passaporte? É simples. Veja aqui como tirar o seu. Assim fica bem mais simples viajar quando aparecer uma promoção imperdível por aqui.

Roteiro por Amsterdam: dia 1

Começamos o nosso roteiro por Amsterdam com um tradicional passeio de barco pelos canais. Ele dá uma volta pelos principais pontos da cidade. Escolhemos a opção que você pode embarcar e desembarcar várias vezes durante 24 horas, chamada hop on/hop off (embarque/desembarque). Os preços variam entre € 15 (R$ 65,85) e € 22 (R$ 96,58) por pessoa.

#DicaPI: várias empresas em Amsterdam oferecem este tipo de serviço, no estilo hop on/hop off, em barcos. Mas isso não é exclusividade da capital holandesa. Em muitas cidades do mundo, existe esse tipo de passeio em ônibus de turismo. Você compra o ingresso para o dia e ele pode ser usado por um período específico.

Mapa do passeio de barco por Amsterdam

Mapa do passeio de barco por Amsterdam

Nosso passeio pelos canais de Amsterdam foi realizado com a empresa Stromma. São diversas as opções de tours, mas optamos pelo que nos permitia várias paradas. Achamos tudo muito bem sinalizado e recebemos um mapinha no momento da compra do ingresso.

Embarcamos, e dentro do barco, achamos tudo muito legal e confortável! No nosso barco existiam mesas para realizar lanches, além de um áudio descritivo, tanto em inglês quanto em espanhol. A subida e a descida do barco são muito fáceis de se fazer. Pode ir sem medo!

Tours pelos canais

Existem várias opções de tours pelos canais, confira algumas da Stromma:

  • 100 Highlights Cruise: 1 hora pelos canais da cidade, por € 15 (R$ 65,85).
  • Hop on/hop off boat: 24 horas de acesso aos canais, por € 20,50 (R$ 90).
  • Dinner Cruise: jantar em passeio pelos canais, com duração de 2h30 € 89 (R$ 390).
  • Pizza Cruise: passeio pelos canais, saboreando uma pizza, durante 1h30, por € 39 (R$ 171,20).
  • Dutch Creese & Wine Cruise: degustação de vinhos e queijos, durante 1h30, por € 39 (R$ 171,20).
  • Pedal Boat: curta um passeio de pedalinho pelos canais, durante 1h30, por € 10 (R$ 43,90).

De volta ao nosso passeio, fomos da estação Anne Frank até a estação do Museu Rijksmuseum, mais próximo da Heineken Experience.

Pulseira recebida na entrada da Heineken

Pulseira recebida na entrada da Heineken

Heineken Experience

Heineken Experience é uma atração muito popular em Amsterdam. Trata-se de um tour pela história da cervejaria. Custa € 16 (R$ 70,25) e, no final, você pode beber 2 cervejas! A duração é de 1h30 e o tour é guiado. Para conhecer, você deve reservar com antecedência pelo site da cervejaria.

Assim que você chega à Heineken, recebe uma pulseirinha com 2 pins – eles são o meio de pagamento das suas 2 cervejas. Já a pulseira pode ser levada para casa como um souvenir.

A fábrica começou em Amsterdam em 1864. Porém, em 1988 ela se mudou para Zoeterwoude, devido à demanda. Hoje, são engarrafadas 20 garrafas por segundo na atual fábrica.

O tour na cervejaria Heineken em Amsterdam

Degustação na Heineken Experience

Degustação na Heineken Experience

Durante o tour, com explicações em inglês de guias em alguns pontos, é contada a história da marca, além de ser explicado tudo sobre a produção. Também durante o percurso, você pode simular alguns passos da produção, como o engarrafamento da cerveja. A visita é interativa, bem animada e eles ainda preparam vários cenários para você tirar as suas fotos.

No final do percurso, paramos na lojinha da marca – com muitas lembrancinhas. Para nós valeu muito… É uma atração imperdível na capital holandesa. E, ainda, achamos a Heineken de Amsterdam mais gostosa do que as que tomamos em qualquer lugar do mundo.

Se você gosta de cerveja, nem que seja um pouquinho, coloque essa parada no seu roteiro por Amsterdam! Você vai conseguir entender a dimensão que uma marca pode significar na história de um produto.

Heineken Experience: de segunda a quinta, das 10h30 às 19h30; e de sexta a domingo, das 10h30 às 21h. Nos meses de julho e agosto, a empresa funciona diariamente nos horários de fim de semana – das 10h30 às 21h.

Depois de nos encantarmos com a história da Heineken, pegamos um Uber para o Jacobsz. Pagamos € 10 (R$ 43,90) para percorrer uma distância de 3,5 km.

Restaurante Jacobsz

Restaurante Jacobsz

Restaurante Jacobsz em Amsterdam

O restaurante Jacobsz fica no lugar exato em que Napoleão Bonaparte recebeu a chave da capital holandesa, há mais de 200 anos. Sua construção fica na esquina das ruas Middenweg e Ringdijk e já foi uma pousada. O nome do restaurante homenageia o designer do prédio, Caspar Philips Jacobszoon.

No Jacobsz, você escolhe qual tipo de menu degustação você deseja. O objetivo principal do restaurante é aliar comida boa com preço honesto. Por isso, trabalha muito com “refeições em constante mudança” oferecendo entre três e cinco pratos.

Esses menus saem a partir de € 32 (R$ 140,50) por pessoa. É possível harmonizar os pratos com vinhos escolhidos pela casa e custa € 7 a taça (R$ 30,70). As reservas podem ser feitas pelo site do restaurante.

Achamos o restaurante maravilhoso e um ótimo fechamento para nosso primeiro dia na cidade!

Jacobsz: aberto de segunda a sábado, das 18h à 0h; não abre aos domingos.

#PIInforma: utilizamos como referência neste post a conversão de 1 para R$ 4,39, realizada em maio/2018.

Vamos assistir ao primeiro dia de roteiro por Amsterdam? Aperte o play!

Nossas dicas de viagem em Amsterdam incluem passeio pelos canais de Amsterdam, visita à Heineken Experience e jantar no restaurante Jacobz.

Hotel Andaz Amsterdam Prinsengracht

Hotel Andaz Amsterdam Prinsengracht

Roteiro por Amsterdam: dia 2

A partir do hotel que ficamos, Andaz Amsterdam Prinsengracht, caminhamos por 10 minutos e chegamos a Casa da Anne Frank. Foi nesse clima de história que começamos nosso segundo dia de roteiro por Amsterdam!

Anne Frank House

O Anne Frank House é um museu construído na casa em que a menina judia Anne Frank e sua família se esconderam durante a Segunda Guerra Mundial.

A história de Anne ganhou força por ter escrito um diário que retratou os dois anos vividos no esconderijo, com mais 7 pessoas. Tudo foi registrado, até o momento em que todos foram descobertos e mandados para um campo de concentração.

Anne Frank

Anne Frank

Ao entrar na atração, pegue seu audioguia gratuito. Ele está disponível na opção de português de Portugal.

Durante a visita, não é permitido filmar nem fotografar. No percurso, você passa pelos cômodos da casa e do anexo onde a família de Anne ficou escondida e percorre vários trechos do diário. A fachada da casa era, oficialmente, um escritório comercial. Nele, foi montado um esconderijo que fica atrás de uma estante de livros.

Museu repleto de história

A história de Anne Frank é contada e ilustrada. É surreal pensar que isso aconteceu de verdade. O tour é todo interativo!

Fachada do prédio onde fica a casa de Anne Frank

Fachada do prédio onde fica a casa de Anne Frank

A visita é imperdível porque te deixa mais próximo de uma história real e de uma época que foi terrível (mas muito marcante), a Segunda Guerra Mundial. Coloque no seu roteiro por Amsterdam!

Detalhes importantes sobre o museu

O Anne Frank House não é acessível para pessoas com dificuldade de mobilidade. São várias escadas e corredores super estreitos.

O ingresso custa € 10 (R$ 49,30) por pessoa e é bem importante que você tente comprar com o máximo de antecedência possível, pois eles costumam se esgotar. Estão disponíveis apenas on-line.

Se, por acaso, você precisar comprar de última hora, tente mesmo assim. Algumas vezes sobram ingressos e eles liberam ao longo da semana. Os tickets costumam ser colocados à venda com 2 meses de antecedência.

Anne Frank House: entre abril e outubro, todos os dias, das 9h às 22h. De novembro a março, de domingo a sexta, das 9h às 19h; e aos sábados, das 9h às 21h.

Depois da visita, fomos andando até uma loja de queijos tipicamente holandesa, a Reypenaer Cheese.

Reypenaer Cheese

Se você gosta de queijos, você deve colocar a Reypenaer no seu roteiro por Amsterdam. A loja é especializada em fabricação de queijos há mais de 100 anos e se dedica a entregar produtos com rico sabor, que passem pelo processo natural de maturação.

A marca já conquistou vários prêmios ao longo da história e é referência quando se fala de queijos na Holanda. São tão famosos que já podem ser comprados de qualquer lugar do mundo! Basta acessar o site e fazer o pedido.

Degustações harmonizadas de queijo em Amsterdam

O lugar que visitamos é impressionante e ficamos bobos com a quantidade de queijo que provamos. É possível fazer vários tipos de degustação, desde a mais simples, no fundo da loja, até uma supercompleta, com direito a vários momentos de experiência, deixando a loja e provando os queijos nos canais. Um detalhe importante: as degustações são feitas junto a harmonizações com vinhos. Os valores variam entre € 16,50 (R$ 72,40) e € 37,50 (R$ 164,60) por pessoa.

É necessário reservar com antecedência, acesse o site da Reypanear Chesse e confira.

Dá pra comprar e levar os queijos para o Brasil. Eles custam cerca de €11 cada (R$ 48,30). São sensacionais, sério!

#DicaPI: vai levar comida para o brasil? Veja como transportar alimentos bebidas na bagagem!

Tasting room Reypenaer: segunda e terça, 12h, 14h, e 16h; quarta a domingo, 12h, 13h30, 15h e 16h30. 

De lá, partimos para o Café Winkel 43 para conhecer a torta de maçã mais famosa da Holanda. Assim como em Dublin, fizemos tudo a pé em Amsterdam.

Café Winkel 43

Café Winkel 43

Café Winkel 43

O Café Winkel 43 fica no bairro Jordaan e é famoso por sua torta de maçã. Ele funciona em um café e oferece refeições e drinks durante todo o dia. Todo mês o café muda seu cardápio de almoço para tentar surpreender seu público.

Fomos até lá com o objetivo de provar a tão falada torta de maçã. Comemos e a achamos boa, mas não vimos nada de excepcional. Ela custou € 4,40 (R$ 19,30). Você pode conhecer melhor o local pelo site do café.

Café Winkel: aberto nos dias de semana, das 8h à 1h; aos sábados, das 7h às 3h; domingo, das 8h às 3h.

Demos um passeio bem gostoso pela rua e paramos na microcervejaria orgânica Brouwerij de Prael.

Cervejas na Brouwerij de Prael

Cervejas na Brouwerij de Prael

Brouwerij de Prael

A Brouwerij de Prael é uma microcervejaria orgânica holandesa que existe há 13 anos. Toda a produção é local e a cerveja é bem boa. Além de tours, há também opção de comprar para tomar na hora ou levar para casa. A média de preço da long neck é € 2 (R$ 8,80).

A Prael tem 11 cervejas que podem ser encontradas em qualquer época do ano, as tradicionais da marca. Além delas, ainda são fabricados outros 5 rótulos – 2 são sazonais e 3 são feitos por colaboradores.

Uma das mais famosas é a Code Blow. Ela é feita com água de chuva filtrada.

Code Blow, cerveja feita com água da chuva

Code Blow, cerveja feita com água da chuva

A cervejaria, a loja e a sala de degustação ficam em uma antiga casa de leilões, em uma das partes mais antigas de Amsterdam – Oudezijds Voorburgwal. O espaço te dá a oportunidade de fazer um tour e conhecer o processo de fabricação das cervejas.

Tipos de tour na Brouwerij de Prael

  • Tour com 1 cerveja: € 8,50 (R$ 37,30) por pessoa.
  • Tour com 4 cervejas: € 17,50 (R$ 76,80) por pessoa.
  • Almoço buffet: € 17,50 (R$ 76,80) por pessoa.

Tours na Brouwerij de Prael: de segunda a sexta, das 13h às 18h; sábados, das 13h às 17h; domingos, das 14h às 17h.

Você pode conhecer a marca ou fazer reservas para mais pessoas pelo site da Prael.

Pequena curiosidade: “brouwerij” significa cervejaria em holandês. Legal, né?

Em menos de 2 minutos de caminhada, chegamos à Oude Kerk, uma das construções mais antigas da cidade e muito importante de estar no seu roteiro por Amsterdam.

Fachada da Oude Kerk

Fachada da Oude Kerk

Oude Kerk

A Oude Kerk é a construção mais antiga de Amsterdam. A igreja recebe visitações no seu interior pelo valor de € 10 (R$ 43,90). O ingresso só pode ser comprado na hora e aceita apenas cartão de crédito como forma de pagamento. A atração é coberta pelo Amsterdam Pass.

A Oude Kerk foi fundada em 1213 e foi dedicada a São Nicolau. Atualmente, ela funciona como um museu de exposição de arte contemporânea. A igreja passou a ser chamada de Oude Kerk – Velha Igreja – porque, no século XV, uma nova Igreja foi construída e chamada de Nova Igreja.

Nela, estão cerca de 2.500 túmulos, com mais de 10.000 pessoas enterradas. Uma destas pessoas é Saskia Van Uylenburgh, esposa de Rembrandt, um mestre da arte barroca holandesa.

Interior da Oude Kerk

Interior da Oude Kerk

Na rua em frente à Oude Kerk, um artista anônimo colocou uma placa de bronze que retrata um seio de uma mulher e uma mão. Ela faz alusão à prostituição da região. A igreja é a delimitação do Red Light District.

Na praça em frente a ela, também há uma estátua que representa uma profissional do sexo. Ela foi encomendada por uma ex-prostituta e pede, em resumo, o respeito por todas as profissionais do sexo pelo mundo.

Estátua da profissional do sexo presente em frente à igreja

Estátua da profissional do sexo presente em frente à igreja

Na época em que a estátua foi colocada, alguns dos moradores mais conservadores da região brigaram, pedindo para retirá-la. Porém, eles foram vencidos e ela está lá!

Oude Kerk: segunda a sábado, das 10h às 18h; domingo, das 13h às 17h30.

Pausa no roteiro por Amsterdam para um lanchinho

Paramos nosso roteiro para um lanche tipicamente holandês: frites! As frites são comidas muito tradicionais na Holanda.

O que são frites? São batatas fritas crocantes e sequinhas, servidas em um cone de papel com os molhos que você optar. Muitos locais vendem as frites a preços variados.

Comemos uma porção delas no High Snack. Esta é uma lanchonete de Amsterdam que fica bem no centro da cidade e muito perto de quem está visitando os pontos turísticos – e sente fome. Por isso, se permita dar uma pausa no seu roteiro por Amsterdam e experimentar as famosas frites.

O preço médio da frites no High Snack é de € 2 (R$ 8,80).

High Snack: aberto de domingo a quinta, das 11h às 3h; sexta e sábado, das 12h às 4h.

De lá, partimos para o Red Light District. À medida que fomos nos aproximando dele, começamos a ver mais Coffeeshops – não se esqueça que elas são locais para consumo recreativo da maconha, e não cafés.

Entrada no Red Light District

Entrada no Red Light District

Red Light District em Amsterdam

O Red Light District é um bairro no qual a prostituição é legalizada. Ele é famoso pelas cabines em que as profissionais do sexo ficam expostas. O nome do beco em que as cabines ficam se chama Trompettersteeg e é proibido fotografar ou filmar as mulheres. Em cima das cabines, luzes vermelhas são colocadas, daí o nome.

O bairro é formado de várias ruelas ao redor da Oude Kerk. Ele é todo voltado para o sexo, com várias lojas, restaurantes, cafés, cinemas eróticos, sex shops, bares de strip tease e museu do sexo.

O bairro se tornou referência em prostituição durante o século XVII, mas apenas em outubro de 2000 que a profissão se tornou regulamentada. Inclusive, há cobrança de impostos por parte do governo, no que diz respeito às profissionais do sexo.

Uma das ruas do Red Light District

Uma das ruas do Red Light District

Seguimos caminhando pelo nosso roteiro por Amsterdam e chegamos à loja de departamentos Bijenkorf. Ela fica na região central e, perto dela, estão várias outras lojas ótimas.

Bijenkorf e mais lojinhas

O Bijenkorf é uma das maiores e mais famosas lojas de departamento da Holanda. São muitas marcas espalhadas pelos vários andares, numa espécie de shopping. Inclusive, várias grifes de luxo e famosas estão por lá. São opções para todas as famílias e para todos os bolsos! Vale a pena conferir.

Na mesma avenida em que ela está, existem vários outros tipos de comércios. Fica na região central da cidade, próxima da DAM Square. Entre as lojas, está a Primark. Esta é uma marca irlandesa de roupas com preços baixos. Tem lojas espalhadas por toda a Europa e algumas nos Estados Unidos.

Bijenkorf: aberto aos domingos e segunda, das 11h às 21h; terça a sábado, das 10h às 21h.

Depois desse tour de compras na capital holandesa, chegamos à DAM Square, um lugar muito importante no nosso roteiro por Amsterdam.

DAM Square

DAM Square

DAM Square

A DAM Square é a praça central de Amsterdam. Ela já foi palco de muitos momentos importantes na história da cidade. Inclusive, muitos protestos políticos já aconteceram nela. Porém, um dos episódios mais tristes aconteceu no final da Segunda Guerra Mundial. Foi quando os nazistas mataram uma série de cidadãos inocentes na praça. Em um dos lados, tem um monumento que foi inaugurado em 1956 como homenagem a todos os que morreram na Segunda Guerra.

O Palácio Real é um dos monumentos mais significativos da praça. Desde 1815, o sistema político vigente na Holanda é a monarquia constitucional. Ou seja, os poderes do monarca são limitados por uma Constituição. Por isso, o prédio é tão importante para o local.

A DAM Square é a praça referência para os holandeses e turistas. Nos dias festivos, como o King’s Day e o Dutch celebrate National Memorial Day, parques de diversão são montados na praça e celebrações são feitas.

No final do dia, fomos ao Bairro Jordaan para continuar com nosso roteiro por Amsterdam. Lá, ficam as 9 ruas mais famosas da cidade.

Jordaan

Jordaan

Bairro Jordaan

O Bairro Jordaan é mais calmo que outras regiões, mas é bastante ocupado por artistas. A área é cheia de cafés, restaurantes e barzinhos para você ir caminhando, curtindo o clima e conhecendo mais da cultura holandesa. Por ser cercado por canais, o bairro fica ainda mais charmoso, parecendo até uma pequena vila.

Mas se engana quem pensa que ele é pequeno. São mais de 20 mil pessoas de classe média ou média alta que moram por lá, tornando Jordaan um dos bairros mais populosos de Amsterdam.

Assim que ele surgiu, no século XVII, sua população era apenas de imigrantes e operários. Nos anos 1960 e 1970, a região cresceu muito ao receber os estudantes e artistas que buscavam preços mais baixos de aluguéis. Assim, o bairro começou a ter sua carinha moldada e hoje é famoso por ser bem descolado.

9 straajes

O Jordaan é recheado de atrações presentes em nosso roteiro por Amsterdam,. Entre elas está um conjunto de 9 ruas chamado de as 9 straatjes. Elas são apenas as 9 ruas mais charmosas da cidade! Cada uma delas tem vários restaurantes e lojinhas de produtores e comerciantes locais. Inclua no seu roteiro porque vale muito a pena conhecer.

Além delas, também estão no Jordaan o Museu de Anne Frank e o Café Papeneiland, que vende a famosa torta de maçã!

Para encerrar a noite, jantamos no Envy.

Restaurante Envy

O Envy fica no bairro Jordaan e seus pratos custam a partir de € 10 (R$ 43,90). Ele também oferece um menu degustação a partir de € 47 (R$ 206,30) por pessoa, a opção de quatro tempos, Easy. A variação mais completa é a degustação de oito passos, com harmonização, por € 115 (R$ 504,85).

O objetivo do restaurante é seduzir seus clientes com seus drinks e pratos “sempre cheios de sabor” – como dizem. Ele foi inspirado nas lojas de iguarias nas cidades do sul da Europa, como Barcelona e Roma. O chef é desafiado a criar pratos inovadores, que combinem produtos tradicionais e técnicas clássicas.

Caso queira colocar no seu roteiro por Amsterdam, as reservas tanto para almoço quanto para jantar podem ser feitas no site do restaurante Envy.

Envy: aberto diariamente para jantar, das 18h à 1h; almoço nas sextas, sábados e domingos, das 12h às 15h.

Como não poderia deixar de ser, nosso dia 2 de roteiro por Amsterdam está todo registrado em vídeo! Assista!

Precisando de dicas sobre onde comer em Amsterdam? Fizemos várias paradas gastronômicas, lugares muito interessantes com bebidas e comidas que você vai amar! Sem contar a nossa visita na Casa de Anne Frank.

Roteiro por Amsterdam: dia 3

Nosso último dia de roteiro em Amsterdam começou colorido, pois decidimos ir ao parque das tulipas, Keukenhof.

Keukenhof

O parque Keukenhof não funciona o ano inteiro. Geralmente pode ser visitado apenas 2 meses por ano, durante a primavera. Por isso, fique de olho nesse detalhe na hora da sua viagem. Se quiser (sem falta) conhecer Amsterdam, ou a Holanda, durante a temporadas de flores, o jeito é marcar sua viagem entre março e maio!

A programação do Keukenhof pode ser conferida no site do parque, que possibilita comprar o ingresso antecipadamente por € 17 (R$ 73,60). Quando você compra o ingresso, ele vale por um período. Não tem dia nem horário certo. Isto é bom porque, caso esteja chovendo, você evita se deslocar até o parque e correr risco de não aproveitar o passeio. Assim, é só fazer pequenas alterações no seu roteiro por Amsterdam.

Para chegar até o parque, há transporte público saindo do aeroporto de Schiphol (AMS), pelo preço de € 6,50 (R$ 28,50) o trecho. O ônibus 858, que faz o trajeto, demora cerca de 40 minutos entre o aeroporto e a cidade de Lisse, onde fica o parque de Keukenhof.

Se você preferir, tem a possibilidade de ir de Uber por, aproximadamente, € 50 (R$ 219,50) o trecho.

Keukenhof

Keukenhof

Curtindo o parque Keukenhof

No início da temporada, a época que fomos, as flores estavam se abrindo. Muita gente questiona se vale a pena ir em março, já que os famosos campos de flores ainda não estão formados. Achamos que vale sim. Se é a data da sua viagem, aproveite! Quando é que você vai ter a oportunidade de voltar tão cedo?

Um dos pontos altos de Keukenhof é o Galpão William Alexander. Ele tem, em uma estufa, diversas espécies de tulipa em diferentes cores.

Você sabia? O parque, apesar de ser uma das mais procuradas atrações de Amsterdam, não começou com um intuito turístico. Eles queriam que o local fosse uma feira de exposições para que a Holanda pudesse apresentar seus produtos para o mundo. Hoje, além dos 500 expositores, existem vários turistas que visitam o país especialmente durante a temporada das flores.

No Keukenhof também há um exemplar de um dos maiores símbolos da Holanda, o moinho. Os moinhos começaram a existir no país no final do século XV e hoje já estão quase extintos. É legal ver que, em alguns lugares, a beleza desse símbolo ainda é conservada! Na saída do parque, tem uma lojinha com lembranças do país – que custam a partir de € 1 (R$ 4,39). Logo em frente, ficam ônibus estacionados para levar os turistas ao aeroporto de Schiphol.

Considerando o deslocamento, é possível visitar o Parque de Keukenhof em meio dia.

Keukenhof temporada 2019: aberto entre 21 de março a 19 de maio. 

De lá, fomos ao Albert Cuyp Market. Ele é um mercado de rua com várias comidinhas e lojas.

Stroopwafel na Albert Cuypmarket

Stroopwafel na Albert Cuypmarket

Albert Cuyp Market

O Albert Cuyp Market é um mercado de rua com várias barracas que vendem flores, roupas e comidas locais. Por lá comemos frites com maionese e queijo por € 3 (R$ 13,15). Também experimentamos o Stroopwafel, um biscoito tradicional holandês com recheio de caramelo.

Stroopwafel? A tradução livre para o nome do biscoito é “waffle com calda”. Ele carrega a fama de prato típico da Holanda desde 1784, quando o país tinha colônias fazia o stroopwafel com as especiarias vindas de cada uma.

Nas barracas, encontramos até opções para levar pra casa. Nesse caso, é indicado colocar o biscoito por 10 minutos no microondas ou mergulhar no chá ou café. O gostoso é comer quentinho, porque o recheio derrete e fica sensacional! A feira é como uma parada obrigatória no seu roteiro por Amsterdam!

Albert Cuyp Markt: segunda a sábado, das 9h30 às 17h30.

#DicaPI: no Albert Cuyp Market, há um local no qual você pode solicitar o Tax Free, ainda por lá. Confira o que é Tax Free e como funciona.

Depois de experimentarmos várias comidinhas, fomos a Begijnhof, que fica bem perto a DAM Square.

Begijnhof

Do lado da DAM Square, nos teletransportamos para a era medieval de Begijnhof. Era ali que moravam as freiras, chamadas de Beguinas (“Begijnhof” significa beguinaria) no século XIV. O diferencial delas é que tinham mais liberdade e independência do que as tradicionais freiras. 

A vila de Begijnhof

A vila de Begijnhof

No século XVI, quando a fé católica foi banida da Holanda, Begijnhof foi a única instituição da religião que continuou existindo porque as casas eram de propriedade das mulheres. Porém, elas tiveram que abrir mão da capela que existia no local, então passaram a cultivar sua fé em uma igreja “escondida”, que foi construída por trás da fachada de várias casas. Essa igreja pode ser visitada ainda hoje.

Um fato curioso sobre a vila é ali estão as últimas casas de madeira de Amsterdam. No início da cidade, entre os séculos XIV e XVIII, existiam muitas casas de madeira. Depois, os tijolos passaram a ser material obrigatório para combater os incêndios.

A região ao redor da vila é habitada por holandeses. Por isso, existem demarcações que direcionam para as casas pertencentes a Begijnhof.

Begijnhof: aberto diariamente, das 9h às 17h – assim como a visita à igreja.

Depois da vila, fomos ao Foodhallen. Ele é um mercado gastronômico de Amsterdam. É uma delícia!

Foodhallen

Mercado gastronômico Foodhallen

Foodhallen

O Foodhallen é um mercado gastronômico, no mesmo estilo de espaço existente em outros países da Europa. Foi inaugurado em outubro de 2014, em um local que, antes, era um depósito de bondes.

Completamente renovado, o espaço abriga mais de 20 barracas diferentes, que vão desde estrelas Michelin a comidas de rua. O estilo possibilita encontrar opções atraentes para todos os gostos, preferências e bolsos. Outro diferencial é o bar de vinhos e o bar de cervejas – também há um bar central que comercializa todos os tipos de bebidas, entre drinks e cafés. 

Mesas coletivas ficam espalhadas ao centro do Foodhallen. Assim, o cliente escolhe a pequena porção que quer consumir, degusta e pode curtir o ambiente. Na nossa opinião, é uma atração imperdível e uma forma deliciosa de conhecer a gastronomia local e o clima de mercado. Coloque no seu roteiro por Amsterdam!

Escolhemos para comer o hambúrguer e batata doce frita. Pagamos € 14 (R$ 61,46).

Foodhallen: todos os dias, das 11h às 23h. Nas sextas e sábados, funciona até 1h. Música ao vivo toda terça-feira, das 18h30 às 21h30; DJ toda sexta e sábado, das 18h30 à 1h.

Bem perto da região dos museus, está nossa próxima parada, o Vondelpark.

Vondelpark

Vondelpark

Vondelpark

O Vondelpark é um dos parques mais famosos de Amsterdam. Ele foi inaugurado ao público em 1865 e, desde então, é supermovimentado e utilizado por toda a população.

O nome do parque tem uma estátua que faz homenagem ao escritor Joost van den Vondel, que viveu no século XVI. Ele produziu várias obras importantes para a história do país e é considerado o “Príncipe das letras neerlandesas”.

Uma curiosidade: em virtude da determinação da prefeitura, desde 2008 é permitido fazer sexo no parque à noite. Porém, para isso, existem algumas regrinhas como, por exemplo, ser longe das áreas de playground.

Depois de caminharmos um pouco, chegamos ao maior ícone de Amsterdam, o concorrido letreiro “I Amsterdam”.

Placa do I AMsterdam

Placa do I AMsterdam

I AMsterdam

O enorme letreiro “I Amsterdam” está presente no roteiro de todos que passam pela cidade! Na alta temporada, pode ser até mesmo difícil conseguir uma foto, digamos, boa e exclusiva, pois sempre há alguém por perto. Em volta dele, é possível ver três importantes museus: Museu Nacional (Rijksmuseum), Museu Stedelijk e o Museu Van Gogh. O último foi nossa próxima parada.

Museu Van Gogh

O Museu Van Gogh é dedicado a um acervo com os trabalhos do pintor Van Gogh e de alguns de seus contemporâneos. É o museu em que está concentrado o maior número de obras do artista no mundo! São mais de 200 pinturas, desenhos e cartas dele.

Museu de Van Gogh

Museu de Van Gogh

À medida que você vai caminhando pelo museu, é possível conferir a evolução das pinturas e, também, de outros projetos de Van Gogh. Além disso, são apresentadas várias exposições sobre assuntos do século XIX e sobre a história da arte.

Em 2002, houve um roubo ao museu e 2 obras de Van Gogh foram levadas. Só em 2016 que a polícia italiana encontrou os quadros com uma máfia em Nápoles. As pinturas foram feitas no início da carreira do artista, entre 1882 e 1884.

#DicaPI: pegue o audioguia! Ele vai mudar toda a sua visita! Tem a opção de português brasileiro e custa apenas € 5 (R$ 21,95). O audioguia realmente te guia pelas obras e te conta a história do artista. É imperdível! Por isso, se você gosta de história e de cultura, coloque o museu no seu roteiro por Amsterdam! Você pode escolher por um tour mais longo ou pelo mais rápido, que abrange apenas as obras principais. De toda forma é maravilhoso!

Fachada do Museu Van Gogh

Fachada do Museu Van Gogh

Informações importantes sobre o museu

Durante a visita não é permitido tirar fotos ou filmar as obras. Em uma hora é possível conhecer os principais pontos do espaço.

Os ingressos são vendidos apenas on-line, no site do museu. Pagamos € 18 (R$ 79) por pessoa. Com o audioguia, sai por € 23 (R$ 101).

Horário de funcionamento:

  • De 6 de maio a 2 de setembro, das 9h às 19h; de domingo a quinta e sexta e sábado, das 9h às 21h.
  • De 3 de setembro a 4 de novembro, das 9h às 18h; de sábado a quinta e sexta, das 9h às 21h.
  • De 5 de novembro a 23 de dezembro, das 9h às 17h; de sábado a quinta e sexta, das 9h às 21h.
  • De 24 de dezembro a 6 de janeiro, ele funciona das 9h às 19h; de sábado a quinta e sexta, das 9h às 21h.

Pra despedir do nosso último dia de roteiro por Amsterdam, e também da nossa viagem, fomos jantar no Moeders.

Moeders é um restaurante holandês

Moeders é um restaurante holandês

Restaurante Moeders em Amsterdam

O restaurante Moeders é todo decorado com fotos de mães. O objetivo delas é destacar que todas as mães são heroínas. Por isso, os clientes são estimulados a levarem fotos com suas mães para deixar expostas no mural.

A comida é tradicional holandesa e segue o estilo de comfort food – movimento que foca em alimentos reconfortantes, que nos despertam emoções por meio do paladar. A ideia é parecer com comida de vó mesmo. Até os utensílios que servem as comidas, como os pratos, copos e panelas, remetem a alguma lembrança do passado das pessoas.

As opções de pratos saem a partir de € 5,50 (R$ 21,15), e sobremesas, a partir de € 6,50 (R$ 30,50).

No Moeders, é possível provar a cerveja local Brouwerij T’ ij, cuja fábrica fica ao lado do moinho de Amsterdam.

Moeders: de segunda a sexta, das 17h à 0h; aos finais de semana, das 12h à 0h. A cozinha fecha sempre às 22h30.

Assim foi nosso terceiro dia em Amsterdam! Assista tudinho aqui!

Vem com a gente conhecer o famoso Parque das Tulipas, letreiro de Amsterdam e Museu Van Gogh! Nesse terceiro dia de viagem em Amsterdam, estamos com um roteiro imperdível! São pontos turísticos muito frequentados. Fique de olho e já faça as suas anotações!

I amsterdam City Card

O I amsterdam City Card é um cartão de atrações e descontos que pode facilitar a sua viagem pela capital holandesa. Existem opções para 24, 48, 72 e 96 horas. E a opção também abrange os transportes públicos da cidade – GVB, além de cruzeiros pelos canais. Inclui pontos variados, como Museu Van Gogh , Museu Rembrandt, Hermitage, entre outros. Preços variam entre € 59 (R$ 259) e € 98 (R$ 430,20).

Aeroporto de Amsterdam

Aeroporto de Amsterdam

Tchau, Amsterdam

Depois desse completo roteiro por Amsterdam em 3 dias, nos despedimos e voltamos para o Brasil! Curtiu a viagem? Conte para gente das suas experiências ou expectativas da próxima viagem nos comentários.

Ah, e baixe nosso aplicativo para receber todas as promoções de passagens que aparecer (Android, iOS, Windows Phone). Vai que uma delas é pra Europa e você embarca nessa, hein?

Para acompanhar novos textos e conteúdos exclusivos, nos siga no Facebook, Instagram, Twitter e se inscreva no nosso canal do Youtube!