Home > Dicas de viagem > Roteiro por Dublin: 4 dias para conhecer os vikings, duendes e St Patrick

Roteiro por Dublin: 4 dias para conhecer os vikings, duendes e St Patrick

Viagem realizada por Patrícia Guedes e Jairo dos Santos em março/2018 | Neste roteiro por Dublin, você conhecerá tudo sobre a cidade. Desde a história dos vikings até as fábricas de cerveja Guinness e whisky James Distillery Bow St. Saiba como foi a chegada até a Irlanda vindo de Londres e acompanhe nossos 4 dias na cidade de Saint Patrick! 

Curiosidades para enriquecer seu roteiro por Dublin

A cidade de Dublin

Chegamos: olá, Dublin

Dublin Pass

No lugar de comprar os ingressos separados para as atrações, uma dica é comprar o Dublin Pass. Ele abrange as principais atrações da cidade, como tour na Guinness Storehouse, Castelo de Dublin, Castelo de Malahide, entre outros.

O cartão custa a partir de € 59 (R$ 259) e um tour em ônibus hop-on hop-off também está incluso. 

Para comprá-lo, basta acessar o site do Dublin Pass e ver todas as possibilidades.

Analise o seu roteiro, o que quer conhecer na cidade e quantos dias vai ficar na capital da Irlanda e veja qual opção é mais interessante para você! 

Confira as opções:

O Dublin Pass cobre as principais atrações da cidade | Crédito: site dublinpass.com

  • 1 dia de Dublin Pass: € 59 (R$ 259)
  • 2 dias de Dublin Pass: € 77 (R$ 338)
  • 3 dias de Dublin Pass: € 94 (R$ 412,70)
  • 5 dias de Dublin Pass: € 114 (R$ 500,50)

O Dublin Pass pode ser comprado e retirado presencialmente na região central da cidade (no Visit Dublin Centre e no Discover Ireland Centre), ou pode ser validado no seu celular – opção mais prática, aliás. Também é possível solicitar o envio por FedEx, por € 39,95 (R$ 175,40) – totalmente dispensável. 

#PIInforma: conversão realizada em maio/2018 – € 1 = R$ 4,39. Confira a conversão para a época que você for embarcar.

Dublin à noite

Dublin à noite

Menu Early Bird

O Menu Early Bird é algo muito comum em Dublin. São opções de jantar servidos entre 16h e 19h. Esses pratos possuem o preço mais barato em relação ao período da noite.

Mão do trânsito

Assim como acontece na Inglaterra, na Irlanda, a mão dos carros é o oposto do que estamos acostumados. Por isso, é importante redobrar a atenção na hora de atravessar a rua!

Sinalizações

Tudo é muito sinalizado em Dublin. As placas são escritas tanto em irlandês quanto em inglês, já que são os dois idiomas falados no país. Todos os pontos turísticos são indicados e marcados nas ruas.

Roteiro por Dublin: dia 1

Nossa missão do primeiro dia de roteiro por Dublin foi caminhar até a área de Temple Bar para encontrar um pub bem legal e comemorar o Dia de São Patrício ou Saint Patrick Day.

Dublin e a região de Temple Bar

Dublin e a região de Temple Bar

Temple Bar é uma região super movimentada de Dublin, conhecida por centralizar os agitos e badalações da cidade – entre bares, restaurantes e pubs. Inclusive, um dos bares carrega o nome da área.

A região fica às margens do rio Liffey e mantém o ar medieval das suas ruas empedradas e estreitas. Nos anos 1980, a área seria transformada em um terminal de autocarros, porém algumas pessoas residiam ali e havia até um pequeno comércio. Essa população brigou contra a obra e conseguiu que o governo criasse uma empresa sem fins lucrativos para promover uma regeneração da área e transformá-la em um bairro cultural de Dublin.

Por essas iniciativas criadas, hoje o Temple Bar abriga, além dos bares, diversas instituições culturais. Entre elas, estão o Centro Irlandês de Fotografia, o Instituto Irlandês de Cinema, a Bolsa de Valores da Irlanda e o Banco Central da Irlanda.

Voltando às festividades de St. Patrick!

Durante as comemorações de St. Patrick – que geralmente duram de três a cinco dias -, a cidade se veste de verde para celebrar a morte do padroeiro do país: São Patrício, que, na verdade, nasceu na Inglaterra (só pra constar). A cor é usada por tradição por representar o trevo, que era utilizado pelo santo para evangelizar os pagãos explicando para eles sobre a Santíssima Trindade.

Na manhã do dia 17 de março, tradicionalmente acontece um desfile de rua. Depois disso, todo mundo se reúne para beber nos pubs. Como não se pode beber na rua, as pessoas curtem no interior destes bares, que são vários na região.

Você sabia? O dia de São Patrício é o único no qual é permitido beber nas ruas da Irlanda.

Para nós, o frio atrapalhou um pouco a festa da rua. Mas, mesmo assim, foi muito legal! Vale a pena incluir essa festa no seu roteiro por Dublin. Para isso, é importante planejar bastante quando será a sua viagem. 

#DicaPI: gostou da ideia e quer curtir o St. Patrick’s Day em Dublin? Faça suas reservas com antecedência, coloque na mala roupas e acessórios na cor verde e tente conhecer as principais atrações da cidade fora do dia 17 de março – é uma data que muito se assemelha ao nosso Carnaval (em nível de “animação”).

Curtimos a folia e fomos comer um hambúrguer no GBK Gourmet Burger Kitchen

Nosso pedido do restaurante GBK

Nosso pedido do restaurante GBK

GBK Gourmet Burger Kitchen

A GBK – Gourmet Burger Kitchen é uma rede de hamburguerias que começou em Londres. Em Dublin, existem cinco lojas e os hambúrgueres artesanais são feitos com produtos irlandeses. Até os molhos são preparados do zero, todos os dias!

A GBK ainda oferece café da manhã, sobremesas, saladas, opções vegetarianas e sabores diferentes de bifes (boi, frango e cordeiro). Os hambúrgueres saem a partir de € 8.50 (R$ 37,30). Uma boa opção para colocar no seu roteiro por Dublin!

GBK Temple Bar: segunda a quarta, das 11h às 22h; quinta, das 11h às 23h; sexta e sábado, das 9h30 às 23h; e domingo, das 9h30 às 22h. 

Roteiro por Dublin: dia 2

Cerveja da Guinness

Cerveja da Guinness

Nosso segundo dia do roteiro por Dublin amanheceu com bastante neve, o que dificultou um pouca nossa programação. Quando tivemos uma trégua do clima, fomos conhecer a fábrica da cerveja Guinness.

Guinness Storehouse

Assim que chegamos à fábrica da Guinness, vimos uma fila pequena para quem comprou o ingresso on-line e uma fila imensa para quem queria comprar na hora. Os valores partem de € 19.50 (R$ 85,60) – todos os detalhes e venda no site da cervejaria.

O tour se divide em vários andares, nos quais, além de contar a história da Guinness, se fala sobre o processo da cerveja. Em duas horas, ou mais, é possível conhecer a fábrica.

O ingresso também te dá o direito de tomar, sem custo adicional e em algum dos lugares apontados, 1 pint ou 1 régua de 3 copos pequenos de cervejas diferentes. Há, inclusive, um bar dentro da Guinness. Nele, artistas locais se apresentam ao longo do dia.

Gravity, o bar da Guinness

Fachada da Guinness

Fachada da Guinness

Usamos nosso pint de Guinness no último andar da fábrica, em um bar chamado Gravity. Achamos que o valor do ingresso foi quase revertido nele. Ou seja, valeu demais!

É uma atração imperdível na cidade, por isso não deixe de colocar no seu roteiro por Dublin. Vale a pena mesmo se você não for um amante de cerveja. O lugar é bem turístico, mas isso tem um lado bom, por ser bem cuidado e ter um atendimento acima da média.

Guinness Storehouse: aberta todos os dias, das 9h30 às 19h – entrada permitida até as 17h; entre julho e agosto, das 9h às 20h – entrada até as 18h.

De lá, fomos comer uma comidinha italiana no San Lorenzo’s.

Pratos no San Lorenzo

Pratos no San Lorenzo’s

San Lorenzo’s Restaurant Dublin

Nossos dias em Dublin foram de muito frio! Por isso, decidimos comer uma comidinha italiana para esquentar o coração. San Lorenzo’s foi uma boa escolha!

Ele fica bem perto da Temple Bar e, aos finais de semana, serve brunch. O restaurante pertence a uma família italiana e oferece uma boa massa fresca. Além disso, eles também servem carnes grelhadas no carvão. Agradam todo mundo, né?

Radisson Blu Royal Hotel em Dublin

Radisson Blu Royal Hotel em Dublin

 

 

As opções de pratos saem a partir de € 7.95 (R$ 34,90). Indicamos super: é uma ótima alternativa para comer em Dublin!

San Lorenzo’s: aberto diariamente, das 10h às 15h30 e das 17h às 22h. Domingo, das 10h às 16h e das 17h30 às 21h.

Depois de um dia cheio de emoções, com direito a muita neve, cerveja e mudanças de planos, fomos para o nosso hotel, Radisson Blu Royal Hotel! As diárias partem de R$ 1.440. A localização é privilegiada, pertinho da Catedral de São Patrício. 

Tudo isso e muito mais está disponível em nosso canal do YouTube. Assista já!

Para fazer nosso roteiro em Dublin, viajamos numa companhia aérea Low Cost e passamos pela imigração na Irlanda. Já em nosso destino, curtimos o Saint Patrick's Day na Irlanda, mostramos onde comer em Dublin e visitamos a fábrica da cervejaria Guinness.

Roteiro por Dublin: dia 3

No terceiro dia de roteiro por Dublin, acordamos com uma grande cooperação de São Patrício: o tempo estava nublado e com temperatura a 4° – o que é muito bom para cidade. Aproveitamos o clima para fazermos alguns passeios a pé!

A primeira parada foi o parque St Patricks e, consequentemente, a Catedral de Saint Patrick. O lugar é muito bonitinho e frequentado por locais que levam seus animais de estimação pra passear, brincar e curtir um pouco o sol.

Catedral de St Patrick

Catedral de St Patrick

Saint Patrick’s Cathedral

Foram nas águas de um rio que passava onde hoje é a catedral, que Saint Patrick batizou os pagãos da região da Irlanda. A Catedral de São Patrício é a maior da cidade e, ao redor dela, a história e cultura do país se construíram.

A igreja original era bem simples, feita de madeira. Foi o arcebispo John Comyn que a reformou em 1192 e deu a ela paredes de pedras. A construção atual foi feita entre 1254 e 1270, passando por vários momentos complicados, até mesmo por um incêndio. Só em 1860 que ela foi restaurada pelo Sir Benjamin Guinness.

Brasão da Catedral de Saint Patrick

Brasão da Catedral de Saint Patrick

A decoração interior é linda e imponente! São vários azulejos, esculturas e bustos que se dedicam a pessoas importantes para a história local. Dentre as obras destacadas, estão vários objetos de Jonathan Swift, o autor de “As Viagens de Gulliver”.

O acesso ao interior da catedral de Saint Patrick é pago. O ingresso avulso e adulto custa € 7 (R$ 30,70) e ele pode ser comprado na internet para evitar as longas filas.

St. Patrick Cathedral: entre março e outubro, aberta de segunda a sexta, das 9h30 às 17h; e sábado, das 9h às 18h; entre novembro e fevereiro, de segunda a sexta, das 9h30 às 17h; e sábado, das 9h às 17h. 

Nossa próxima parada seria a Marsh’s Library, porém a biblioteca estava fechada. A entrada custa €3 (R$ 13,20).

Marsh’s Library

A Marsh’s Library foi a primeira biblioteca pública da Irlanda. Aberta em 1707, na época do Renascimento, possui mais de 25 mil obras. É um dos poucos edifícios que restam dessa época. Seu interior permanece inalterado desde a sua fundação.

Além de biblioteca, a Marsh’s Library é uma instituição de caridade que funciona graças a doações, ou seja, com este dinheiro, se mantém. Por lá, existem espaços para leitura. O catálogo dos livros é disponibilizado pelo site da biblioteca, que hoje trabalha para disponibilizar os manuscritos mais importantes em formato digital.

Marsh’s Library: aberta segunda e de quarta a sexta, das 9h30 às 17h; e sábado, das 10h às 17h.

De lá, andamos por uns 5 minutos e chegamos a 2 pontos ligados: o museu viking Dublinia e a Catedral de Christchurch.

Museu viking Dublinia

O Dublinia é um museu interativo de 3 andares, que conta a história medieval e viking – que tem tudo a ver com a história da Irlanda e de Dublin. Em uma hora é possível concluir a visita de maneira detalhada.

Dublinia

Dublinia

Localizado em um lugar que tem o formato de uma casa viking, o museu conta a história dos primeiros povos a habitar a região que hoje equivale a Dublin, nos anos 800.

Ainda é possível explorar um mundo de caçadores de histórias, sentir um pouco da era medieval e ver a vista da cidade moderna através de uma torre medieval.

No final do percurso, há uma lojinha muito fofa com lembrancinhas da cidade e da Irlanda. Os mimos custam a partir de € 2 (R$ 8,80).

Esta é uma das atrações cobertas pelo Dublin Pass, mas se não tiver o passe, o ingresso custa € 9,50 (R$ 41,70). Para quem tem interesse em conhecer a história da Irlanda e de Dublin, vale a pena ir ao museu viking.

Dublinia: aberto diariamente. Entre março e setembro, das 10h às 18h30 (última entrada às 17h30); entre outubro e fevereiro, das 10h às 17h30 (última entrada às 16h30).

Christ Church Cathedral

Ligação do Dublina e da Christ Church

Ligação do Dublinia e da Christ Church

Chegamos à Christ Church a partir do Dublinia por meio de um acesso direto que conecta os lugares. Legal, não?

Ela é a catedral mais antiga de Dublin, foi fundada em 1028 e passou por várias reformas desde então. Logo que você chega, é possível pegar um mapa em português de Portugal para te orientar dentro da igreja.

No interior é possível visitar uma cripta medieval. Esta é a estrutura mais antiga da cidade e abriga preciosidades para a história do país. Entre elas, está a primeira cópia da Magna Carta da Irlanda.

O ingresso para conhecer a Christ Church custa a partir de € 7 (R$ 30,70). Ela é coberta pelo Dublin Pass. É permitido fotografar no seu interior.

Horário de funcionamento:

  • Março e outubro: de segunda a sábado, das 9h30 às 18h; domingo, das 12h30 às 14h30 e das 16h30 às 18h.
  • Entre abril e setembro: de segunda a sábado, das 9h30 às 19h; domingo, das 12h30 às 14h30 e das 16h30 às 19h.
  • Entre novembro e fevereiro: de segunda a sábado, das 9h30 às 17h; domingo, das 12h30 às 14h30.
Christ Church

Christ Church

Na parte de fora da igreja, estavam algumas barraquinhas com comidas típicas de Dublin. Comemos um delicioso pão com salsicha por € 6 (R$ 26,34). Depois, continuamos nosso caminho rumo à área medieval da cidade, a Medieval City. Toda a região conta um pouco da história da cidade e da Irlanda.

St. Audoen’s Church, na Medieval City

A St. Audoen’s Church fica bem próxima ao centro da cidade medieval. Ela foi construída em 1190 e homenageia St Ouen, bispo do século VII e padroeiro da Normandia. No seu interior está uma exposição dedicada ao padroeiro e sua importância na vida medieval.

Portão restante da Medieval City

Portão restante da Medieval City

Uma área da igreja é destinada a atividades religiosas e paroquiais. A outra é repleta de memoriais do século XVII e é onde está o túmulo do barão Portlester e sua esposa.

Na parte de trás da St. Audoen’s Church, está o último dos 32 portões da era medieval. Eles ficavam na entrada de Dublin. A vista é muito linda! Coloque esta atração no seu roteiro por Dublin.

St. Audoen’s Church: aberta todos os dias, das 9h30 às 17h30. A entrada é gratuita.

Seguindo o passeio pelo nosso roteiro por Dublin, deixamos a parte medieval da cidade e fomos ao Dublin Castle, que foi casa da família real da cidade por 700 anos.

Dublin Castle

O Dublin Castle foi construído no início do século XIII em um local que era um assentamento viking. Por 700 anos, o Castelo pertenceu à família real britânica na Irlanda. Ele foi criado como uma fortaleza medieval pelo rei João, da Inglaterra. Eram quatro torres de canto ligadas por altas paredes com cortinas. Elas ficavam em volta de um grande recinto central.

Dublin Castle e Garden

Dublin Castle e Garden

Em 1684, um grande incêndio causou sérios danos em grande parte do prédio. Apesar do fogo, parte das estruturas medievais e vikings sobreviveram e podem ser visitadas pelos turistas.

No final do século XVII e início do século XVIII, uma campanha ajudou a fazer a reconstrução do castelo. Ele se tornou um grande espaço de encontro de monarcas e local em que várias festividades e momentos de burocracia aconteceram.

Após a independência do país, em 1922, ele foi entregue ao governo irlandês. De lá pra cá, todas as grandes cerimônias do governo ainda são feitas no Castelo, inclusive a posse dos presidentes.

Dublin Garden

Na parte de trás do Castelo, está o Dublin Garden. A entrada é gratuita e o jardim é muito lindo.

O ingresso para entrada no Dublin Castle custa € 7 (R$ 30,70) ou € 10 (R$ 43,90), com visita guiada. É possível comprar os ingressos com antecedência (e reservar o seu horário de visitação). A atração também é coberta pelo Dublin Pass.

Dublin Castle: aberto diariamente, das 9h45 às 17h45 (entrada até as 17h15).

Na saída do castelo e do seu jardim, você dá de cara com a Dame Street, onde fica a casa de show Olympia.

Olympia Theatre

A Olympia Theatre é uma casa de show vitoriana, de 1879, que funciona até hoje. Inicialmente chamava The Star of Erin Music Hall. Foi renomeada por várias vezes, até 1923, quando recebeu o nome atual.

Olympia Theatre

Olympia Theatre

Ao longo de sua história, o teatro sofreu inúmeras reformas. Uma delas aconteceu em 1974, quando o Olympia teve que fechar depois de sofrer danos estruturais e parte do teto desabar durante a pausa de um dos ensaios para a produção West Side Story. Nessa época, houve até o pensamento de demolir o edifício, mas foi decidido preservar o teatro e fazer uma restauração. Apenas em março de 1977 que ele foi reaberto.

A Olympia Theatre fica na Dame Street e tem capacidade de lotação para 1.600 pessoas. Por lá, já se apresentaram vários artistas, como David Bowie, Foo Fighters e Charlie Chaplin, além artistas irlandeses. A fachada ainda se mantém original.

Se conhecer o espaço está no seu roteiro por Dublin, basta assistir a uma produção! A compra de ingressos pode ser feita pelo site do teatro.

River Liffey

Ainda andando, voltamos à Temple Bar e chegamos até o River Liffey. Ele percorre 125 km até chegar à Dublin e, depois, deságua no mar da Irlanda.

Passamos pela Ha’penny Bridge e já começava a escurecer – na época em que fomos, meados de março e abril, a noite começa a cair por volta das 18h30.

Ha'penny Bridge

Ha’penny Bridge

Ha’penny Bridge

A Ha’penny Bridge é um símbolo do século XIX!

Quando foi criada, em 1816, era cobrado metade de um penny – metade de 1 centavo – para atravessar. Por isso o nome: Ha’penny = Half Penny.

A Ha’penny Bridge foi a primeira ponte de Dublin dedicada somente a pedestres. Antes dela, balsas levavam as pessoas de uma margem a outra. Esse pedágio era cobrado para que a ponte suprisse o ganho que existia com as balsas.

Mas, em 1919, ela deixou de ser uma passagem paga e, desde então, é possível atravessá-la gratuitamente.

Alguns pubs irlandeses para incrementar o roteiro por Dublin

The Old Storehouse Bar

Nossos seguidores nos recomendaram ir ao The Old Storehouse Bar, mas não conseguimos. De toda forma, deixamos a dica compartilhada. Vai que você se interessa e gosta do lugar? Se for, conta pra gente!

O The Old Storehouse Bar é mais uma opção na região do Temple Bar. Ele fica aberto todos os dias, a partir do meio-dia. As refeições de prato principal custam até € 14,95 (R$ 65,60) e se quiser acrescentar cerveja ou vinho, sai a €17,95 (R$ 78,80).

O espaço ainda oferece música ao vivo e tem uma área separada para fumantes.

No site do restaurante é possível encontrar uma lista com as atrações do mês.

The Old Storehouse Bar: domingo a quinta, das 12h às 23h30; sexta e sábado, das 12h às 0h30.

O'Donoghue's Bar

O’Donoghue’s Bar

O’Donoghue’s

Da região do River Liffey, fomos caminhando até o pub O’Donoghue’s, que fica na Suffolk Street, para tomar uma Guinness. A decoração dele foi toda feita em madeira de demolição, que dá um ar de passado. O bar se destaca pela variedade de cervejas oferecidas. Um pint de Guinness (régua de cerveja) custa € 5,50 (R$ 24,15).

Achamos o O’Donoghues of Suffolk Street muito legal, mas estava desanimado. As músicas que tocavam eram de programas da rádio da madrugada, bem no estilo Love Songs.

O’Donoghue’s: aberto diariamente, das 10h à 0h – e até 1h nas sextas e sábados. 

The Temple Bar Pub

Então, decidimos dar um pulo ao superturístico – e animado – The Temple Bar Pub. Ele estava muito agitado e descobrimos que por lá toca música irlandesa ao vivo todos os dias! O pub carrega o nome da região e oferece várias atrações para o público. Além da música, eles têm a maior seleção de whiskeys da Irlanda e tipos de sanduíches de vários lugares do mundo.

O Temple Bar Pub existe desde 1840 carregando a cultura e animação dos irlandeses. Um pint de cerveja custa €6,60 (R$ 29).

Temple Bar: aberto de segunda a quarta, das 10h30 à 1h30; quinta a sábado, das 10h às 2h30; domingo, das 11h30 à 1h.

Depois de curtirmos o lugar, fomos jantar no Fade St. Social e encerrar mais um dia de roteiro por Dublin

Tapas do Fade St. Social

Tapas do Fade St. Social

Fade St. Social

Para começar a falar do Fade, olha que frase fofa vimos lá: “Compartilhar comida é a base da vida social”. Amorzinho, né?

O restaurante serve pequenas porções, as tapas, a partir de € 6 (R$ 26,30). Esse é um conceito ainda novo nos restaurantes de Dublin, mas está chegando com tudo. O objetivo das tapas é proporcionar uma explosão de sabor com o simples e sazonal.

O Fade abre para o almoço e jantar. Sugerimos que façam reservas com antecedência.

Fade St. Social: para almoço, aberto sábado e domingo, das 12h30 às 15h30; para jantar, domingo a quinta, das 17h às 20h30; e sexta e sábado, das 17h às 23h.

O vídeo do nosso terceiro dia de roteiro por Dublin mostra

Em nosso roteiro por Dublin, passeeamos por pontos históricos, como o St. Patrick's Park, Museu Viking Dublinia e Christ Church Cathedral, Medieval City, Dublin Castle, Olympia Theatre, River Liffey, Temple Bar. Veja o que fazer em Dublin!

Roteiro por Dublin: dia 4

O nosso último dia de roteiro por Dublin amanheceu lindo! Nossa primeira parada foi o Georges Street Arcade para umas comprinhas.

George Street Arcade

O George Street Arcade é um shopping, como se fosse uma galeria, e é cheio de lojinhas. Ele foi o primeiro centro comercial da Irlanda para fins específicos. Criado em 1881, o mercado vitoriano apresenta desde lojas de roupas até restaurantes.

O shopping fica a 5 minutos de caminhada do Temple Bar, bem na região central e cultural de Dublin.

No início da sua história, o local era mal visto pela população natural de Dublin, por não ter sido convidada para a inauguração e pelo George Street Arcade ter sido desenvolvido por ingleses. Porém, em 1892, um incêndio devastou todo o prédio, fazendo com que os comerciantes perdessem toda sua mercadoria e loja. Um fundo foi levantado para auxiliar esses trabalhadores e, em 1894, o mercado foi reaberto. Desta vez, os dublinenses foram convidados para a grande festa.

Atualmente são aproximadamente 50 lojas que agitam o George Street Arcade. Ele não é muito grande, é só uma ruazinha no sentido de ir e de voltar, mas é uma boa opção para comprar souvenirs para você ou para levar de presente. Tem coisas bem fofas com preços que partem de € 1 (R$ 4,39).

#DicaPI: o George Street Arcade tem wi-fi gratuita para os clientes! Então, se precisar usar a internet, já sabe onde ir! 

George Street Arcade: aberto da segunda a quarta, das 9h às 18h; quinta a sábado, das 9h às 19h; e domingo, das 12h às 18h.

De lá, fomos ao National Leprechaun Museum para conhecer melhor um dos símbolos da Irlanda.

Leprechaun são os duentes, ícones da Irlanda

Leprechaun são os duentes, ícones da Irlanda

National Leprechaun Museum

Antes de tudo, do que se trata Leprechaun? O nome é diferente, mas você sabe muito bem o que é. Quem, na verdade! É aquele popular duende, símbolo da Irlanda!

Agora sim, o museu! O National Leprechaun Museum busca oferecer aos visitantes uma viagem ao “Outro Mundo” (Otherworld), terra dos leprechauns e outras criaturas místicas. A proposta é contar a história da Irlanda por meio dessas lendas e fazer com que as pessoas sintam um pouco como é a cultura do país. Durante a visita, você passa por alguns ambientes e o guia conta rápidas histórias do folclore irlandês.

National Leprechaun Museum

National Leprechaun Museum

A visita guiada  dura, aproximadamente, 45 minutos. Elas acontecem todos os dias, das 10h às 18h30. Essa atração de Dublin não aceita o Dublin Pass e o ingresso custa € 16 (R$ 70,25) por adulto. É possível comprá-lo pelo site do museu.

#PISincero: não indicamos a visita porque achamos caro e estranho. Na verdade, o tour é um guia que nos conta várias histórias da cultura irlandesa. Porém, não tem nenhum “tcham”, nada que agregue e chame muito a atenção. Achamos superficial e sem sentimento.

De lá, seguimos caminhando! É possível curtir Dublin a pé! E nós amamos isso! Em menos de 10 minutos chegamos ao Four Courts.

Four Courts

Four Courts

Four Courts

O Four Courts é o centro jurídico do país. O prédio foi construído em 1802 e já passou por algumas ocupações revolucionárias. A última delas foi em 1922, durante a Guerra Civil Irlandesa, em que o Exército Republicano Irlandês tomou conta do prédio. Nessa guerra, ele foi parcialmente destruído e precisou ser reconstruído. Apenas 10 anos depois, em 1932, que o Four Courts foi reaberto.

Ele é o centro das atividades jurídicas do país e tem acesso livre ao público. Era a sede da Suprema Corte, do Alto Tribunal, do Tribunal de Círculo de Dublin e da Corte Tribunal. Porém, a última deixou o prédio em 2010.

Achamos o prédio lindo! Ele fica às margens do Rio Liffey. Infelizmente não é possível filmar ou fotografar no seu interior.

Four Courts: aberto de segunda a sexta, das 9h às 18h.

De lá, foi a vez de entender que não é só de cerveja que a Irlanda é feita. Fizemos um tour pela fábrica de whisky James Distillery Bow St.

Tour pela James Distillery Bow St.

O James Distillery Bow St. foi onde tiramos a prova que Dublin também é feita de whisky! Durante todo o dia, acontecem tours guiados pela fábrica do primeiro whisky irlandês: JJ.

James Distillery Bow St.

James Distillery Bow St.

No mesmo ambiente da destilaria, há uma unidade do hostel Generator. Mostramos ele em Paris, lembra? Assista aqui! Apesar de não ficar na muvuca de Temple Bar, a localização é muito boa. As diárias saem a partir de € 30.

Voltando ao tour! Logo que você entra na destilaria, já encontra um bar muito lindo! Nele, os drinks com whisky saem a partir de € 4,60 (R$ 20,20) e os tours custam a partir de € 17 (R$ 74,60). É uma atração de Dublin coberta pelo Dublin Pass.

Drink na James Distillery

Drink na James Distillery

A visita é guiada e são dadas informações sobre a origem da empresa, o processo de produção do whisky e termina com uma degustação! O tour com a degustação demora cerca de 40 minutos. E o melhor: seu ingresso ainda te dá direito a um dos drinks disponíveis na casa. Valeu a pena ter colocado a fábrica no nosso roteiro por Dublin, né?

No final de tudo, tem uma lojinha com vários produtos da marca!

Achamos o tour pela James imperdível! É tudo muito bem explicado e bem cuidado. Fora que, no final, você tem direito a experimentar um drink.

Opções de tours na James Distillery

  • Distillery Tour: a partir de € 20 (R$ 87,80) ou € 17 (R$ 74,60) para os tours durante a manhã
  • Whiskey Tasting Experience: € 30 (R$ 131,70)
  • Whiskey Blending Class: € 60 (R$ 263,40)
  • Whiskey Cocktail Making Class: € 50 (R$ 219,50)
  • Maturation House Cask Draw: € 20 (R$ 87,80)

James Distillery Bow St.: aberto diariamente, a partir das 10h; fecha às 19h entre domingo e quinta, e às 20h, nas sextas e sábados. 

Depois de ficarmos encantados, fomos à região central da cidade e conhecemos o Garden of Remembrance – Jardim da Recordação.

Garden of Remembrance

O Garden of Remembrance fica na região central de Dublin. O parque foi construído em 1966 para homenagear todos que deram sua vida pela liberdade da Irlanda. Sua inauguração aconteceu no dia do aniversário dos 50 anos do levante de 1916 – momento em que os irlandeses lutavam para ter sua independência em relação ao Reino Unido; esse momento também é conhecido como Revolta da Páscoa.

No centro do parque, está um espelho d’água no formato de um crucifixo. Na parte de dentro desta água, azulejos compõem um mosaico de espadas, lanças e escudos quebrados. Tudo isso simboliza o momento de implementação da paz e abandono das armas.

No final do jardim, está uma escultura de bronze que foi colocada ali em 1971. Ela simboliza o renascimento e a ressurreição, depois de 900 anos de luta pela liberdade. O acesso ao parque é gratuito, mas no dia que fomos, excepcionalmente estava fechado.

Garden of Remembrance: aberto todos os dias, das 8h30 às 18h.

Seguimos nosso roteiro por Dublin e fomos à primeira universidade da Irlanda, a Trinity College.

Trinity College

Trinity College

Trinity College

A Trinity College é a única universidade constituinte de Dublin e foi a primeira universidade da Irlanda, sendo a de maior prestígio no país. Ela foi fundada em 1592 pela Rainha Isabel I, da Inglaterra. O campus é lindo! São 190.000 metros quadrados cheios de prédios antigos contrastando com modernos dispostos em campos gramados. A biblioteca é um dos pontos mais turísticos e lindos da universidade.

Trinity College Library

A Trinity College Library é linda e enorme! É um dos lugares mais importantes que tivemos o prazer de conhecer. São livros para todos os lados, de um lado e de outro, em cima e embaixo. É a maior biblioteca da Irlanda, com mais de 4,5 milhões de volumes de livros. Ela também possui depósitos legais com vários materiais publicados pela República da Irlanda.

Biblioteca Trinity College

Biblioteca Trinity College

O acesso à biblioteca é pago, custa 14 por pessoa. Não está incluso no Dublin Pass, mas vale muito a pena conhecer!

Old Library

No interior da Old Library, como é chamada, você tem acesso a uma das harpas irlandesas mais antigas do mundo. A que está exposta pertenceu a Brian Bowen, que foi um grande responsável pela retomada do território irlandês dos vikings. A harpa é a marca da Guinness e um símbolo muito significativo para o país.

Harpa da biblioteca da Trinity College

Harpa da biblioteca da Trinity College

No andar de baixo da biblioteca, você encontra uma raridade: o The Book of Chaos. Não é possível tirar foto ou filmar. Ele é uma espécie de manuscrito que foi escrito no ano 800 d.C. pelos monges celtas – tipo um evangelho. É muito bonito e tem muitos detalhes. Na saída, tem uma lojinha que expõe um livro que conta a história do Book of Chaos.

A vista, os prédios, o pátio, a biblioteca, tudo é lindo na universidade!

Em frente à universidade, está o prédio do Central Bank of Ireland. Ele é muito imponente e foi fundado em 1783. Caminhamos um pouco e chegamos à O’Connells Bridge, uma ponte que nos leva a uma das ruas comerciais mais movimentadas em Dublin, a O’Connell Street.

O’Connells Bridge

A Ponte O’Connells leva até a rua com o mesmo nome – que é uma das ruas comerciais mais movimentadas da cidade.

Quando ela foi inaugurada, em 1794, carregava o nome de Carlisle Bridge. Só que nos anos 1880 foi vista a necessidade de reformar a ponte para facilitar o trânsito e conectar a rodovia do lado norte com a ponte. Por isso, em 1882, ela foi inaugurada com medidas maiores.

O nome foi alterado no mesmo ano, quando uma estátua de Daniel O’Connell foi inaugurada em frente à ponte. O’Connell era um político muito engajado, principalmente na causa da independência da Irlanda.

Para encerrar o dia e nosso roteiro por Dublin, fomos jantar no Rustic Stone Restaurant.

Jantar no Rustic Stone

Jantar no Rustic Stone

Rustic Stone Restaurant

O Rustic Stone tem a filosofia de trabalhar com os ingredientes sazonais e aplicar técnicas simples para extrair sabores e promover valores nutritivos. Trabalham querendo construir bons pratos para agradar a todos os gostos. Eles utilizam de produtos caseiros e ingredientes irlandeses.

O restaurante adota uma técnica espanhola que ainda é bastante nova na Irlanda. Os clientes são servidos com seus pratos de carne ou peixe em uma pedra vulcânica quente em que eles mesmos cozinham. O objetivo é permitir que o prato seja preparado exatamente como o cliente gosta.

É uma opção para colocar no seu roteiro por Dublin. Os pratos saem a partir de € 4,50 (R$ 19,75). O atendimento precisa melhorar, mas a comida é boa.

Rustic Stone: aberto de segunda a quinta, das 12h às 14h30 e das 17h às 22h30; sexta, das 12h às 14h30 e das 17h às 23h; sábado, das 13h às 23h; e domingo, das 13h às 22h.

Em nosso quarto dia de roteiro por Dublin, conhecemos o National Leprechaun Museum, Four Courts, Old Jameson Distillery, Garden of Remembrance, Trinity College, O' Connel Street e mostramos algumas opções de onde comer na Irlanda!

Heritage Card

Além do Dublin Pass, você pode visitar várias atrações de Dublin com o Heritage Card. Ele custa € 40 (R$ 175,60) e abrange atrações que são patrimônio da capital da Irlanda e da região. São mais de 70 pontos turísticos! Vale por um ano a partir da sua ativação, ou seja, é ótimo para intercambistas ou para quem vai curtir uma longa viagem pelo país. Confira o mapa das atrações e onde comprar.

Pausa no roteiro por Dublin para falar sobre o que é uma viagem real

Tínhamos planejado ir para a terra dos Beatles, Liverpool, depois de visitar Dublin. Porém, como em toda viagem real, aconteceram alguns imprevistos que mudaram nossos planos.

Houve uma nevasca em Dublin e nossa programação de passeios foi interrompida. Mas resolvemos estender nosso roteiro pela capital da Irlanda por mais um dia e não ir a Liverpool. Nessas horas, hospedagens com bons preços são uma boa!

Saímos de Dublin e fomos para Amsterdam, o último destino da nossa viagem.

Imprevistos acontecem! E, também por isso, lembre-se de fazer um Seguro Viagem – faça a sua cotação com nossa parceira, Mondial Travel! Escrevemos um artigo explicando a importância de assegurar sua viagem.

Aeroporto de Dublin

Tchau, Dublin

Depois de ler o roteiro por Dublin, é hora de viajar

Agora que já está por dentro de todo o roteiro por Dublin e sabe o que fazer na cidade, embarque! Pelo aplicativo do PI, você fica sabendo de todas as promoções de passagens que encontramos. Vai que uma delas é para Dublin e você aproveita para conhecer a cidade? Ele é gratuito e está disponível para iOS, Android e Windows Phone.

Para acompanhar novos textos e conteúdo exclusivo, nos siga no Facebook, Instagram, Twitter (@passagensimperdiveis) e se inscreva no nosso canal do Youtube!

 

SalvarSalvar

SalvarSalvar

SalvarSalvarSalvarSalvar

SalvarSalvar

SalvarSalvar

SalvarSalvarSalvarSalvar

SalvarSalvar

SalvarSalvar

SalvarSalvar

SalvarSalvar

SalvarSalvar

SalvarSalvar

SalvarSalvar

SalvarSalvar

SalvarSalvar