Home > Dicas de viagem > Roteiro de 3 dias por Moscou, a capital da Rússia

Roteiro de 3 dias por Moscou, a capital da Rússia

Viagem realizada por Patrícia Guedes e Jairo dos Santos em junho de 2018 | Nossa busca por novos países, cidades e culturas não para! Embarcamos para Moscou, na Rússia, onde curtimos um roteiro de três dias. Visitamos as principais atrações da cidade, mergulhamos na história e costumes locais e nos apaixonamos por esse enorme país.

Para descobrir tudo o que você precisa saber antes de viajar para a Rússia, leia este material completo com dicas e informações importantes, como plano de internet, comunicação, câmbio e muito mais!

Confira também como foi nossa primeira parada no país, em São Petersburgo. Curtimos um roteiro de 5 dias incríveis pela “Veneza do Báltico”.

Chegamos em Moscou

Moscou possui três aeroportos internacionais: Domodedovo (DME), Vnukovo (VKO) e Sheremetyevo (SVO). Partimos de Copenhagen, na Dinamarca, para a capital russa, por voo interno. Nossa chegada foi pelo aeroporto Sheremetyevo, que fica a aproximadamente 25 km de distância da região central da cidade.

É bem provável que você também desça pelo Sheremetyevo, ou então por Domededovo. De toda forma, independente de qual for o local da sua chegada, pode ficar tranquilo(a) porque você será bem servido(a) por transportes públicos. Em Moscou há Uber e os preços são bem justos. Do aeroporto ao centro, a distância foi de quase 30 km e as corridas de Uber X têm preço médio de 850 RUB (R$50).

Ainda na área de desembarque do aeroporto de Sheremetyevo, nos deparamos com um quiosque da MTC, que é a rede de internet que utilizamos na nossa viagem e aprovamos. Compramos logo quando chegamos na Rússia, em São Petersburgo, e custou 300 RUB (R$ 18) para 7 GB.

#DicaPI: o câmbio deve ser feito na região central. Em maio de 2018, R$ 1 valia 17 rublos – conversão utilizada neste post.

Um detalhe legal a ser ressaltado é que muitas das placas que vimos no aeroporto são escritas em russo e em inglês. Além disso a wi-fi é gratuita e disponível para todos que estiverem no local! É pra chegar agradecendo, avisando os parentes que tá tudo certo e fazendo check-in nas redes sociais. =)

Se você gosta de mais conforto pode, saiba como acessar a sala VIP dos aeroportos!

Como sair do aeroporto?

Para sair do aeroporto de Sheremetyevo rumo a região central, você pode usar:

  • Táxi, mas lembre-se que a comunicação pode ser um problema. Empresas certificadas realizam o trajeto por preços fixos. Os valores partem de 2.500 RUB (R$ 147), para dois passageiros e duas bagagens.
  • Transfer: também com valores pré-definidos, custam a partir de US$ 130 (R$ 500) para dois passageiros e bagagens.
  • Uber: para nós, é a melhor opção. Com cerca de 800 RUB (R$47) você consegue pagar um carro que te deixe na porta do seu hotel. O valor pode ser dividido com até 4 pessoas.
  • Aeroexpress: um trem específico para o trajeto. A viagem leva 35 minutos e custa 420 RUB (R$25) por pessoa, na classe Standard. Na Business o ticket custa 1000 RUB (R$ 59). O meio de locomoção é uma ótima opção para quem quer fugir do trânsito da cidade. Ou para quem está sozinho e quer economizar.
Mapa do aeroporto Sheremetyevo

No aeroporto Sheremetyevo, o embarque no Aeroexpress está localizado próximo ao terminal E | Crédito: site aeroexpress.ru

Como funciona o Aeroexpress?

Para comprar o seu ticket de trem, busque um dos guichês de atendimento ou as máquinas da Aeroexpress. Em russo, se escreve assim: Аэроэкспресс – o símbolo é uma estrela. As máquinas disponibilizam várias opções de línguas para atendimento, entre elas o inglês. O pagamento pode ser feito em cartão de crédito ou rublos. Você também pode comprar o seu ticket online, antecipadamente.

O Aeroexpress parte do aeroporto e vai até a estação Belorusskiy, no centro de Moscou. De lá, pegue um metrô até a região da sua hospedagem (confira com antecedência qual estação melhor te atende). As partidas do trem acontecem de 30 em 30 minutos. O embarque é realizado próximo ao terminal E.

Fique de olho: o Aeroexpress também está disponível nos demais aeroportos da cidade, Domodedovo e Vnukovo.

Entre São Petersburgo e Moscou

Se você pretende partir de São Petersburgo para Moscou (ou o contrário) é possível pegar o trem Red Arrow, que funciona desde 1931 e transportou figuras importantes como Lenin e Stalin. Outra alternativa é o Sapsan, trem de alta velocidade que faz a viagem em menos de quatro horas. Confira aqui as opções que fazem este e outros trajetos e escolha a opção que mais atende as suas necessidades. Também é possível fazer a viagem, de trem, para outras cidades da Europa #PartiuEurotrip.

O que saber sobre a capital russa

  • Moscou é a maior cidade do continente europeu;
  • Conta com cerca de 12 milhões de habitantes;
  • A cidade tem o maior número de milionários em todo o mundo! São 84, de acordo com a Forbes;
  • Também é um dos lugares mais caros do mundo;
  • O primeiro McDonald’s da cidade foi inaugurado em 1990, na praça Pushkin;
  • O nome da capital tem origem no rio Moskva, que corta a cidade;
  • Sete prédios em Moscou têm o mesmo visual e são chamados de as “Sete Irmãs” ou “Os arranha-céus de Stalin”. Entre eles o hotel Ukraina e o hotel Leningradskaya;
  • Mais de 100 mil pessoas passam pelo parque Gorky aos finais de semana;
  • Aliás, cerca de 40% da cidade é verde e a capital conta com mais de 100 parques no total;
  • No verão faz bastante calor, com temperaturas acima dos 20ºC;
  • Já no inverno, a temperatura média é de 0ºC;
  • Desde sua inauguração, em 1941, o metrô de Moscou funcionou todos os dias, sem parar;
  • A grande ponte de pedra é a mais antiga da cidade, construída no século XVII;
  • O Kremlin de Moscou é a maior fortaleza medieval de todo o mundo;
  • As estações de metrô na cidade são absurdamente profundas! Algumas delas alcançam cerca de 85 metros abaixo da terra, como a de Admiralteyskaya;
  • As ruas são muito largas e imponentes. São várias faixas para a passagem dos carros e o pedestre não consegue atravessar por elas. Por isso, existem passarelas subterrâneas. Estas também são importantes no inverno rigoroso;
  • “Por favor” se fala “pajálsta” (Пожалуйста). “Você fala inglês?” é “vy gavarítie pa-anglísski?” (Вы говорите по-английски?). Não ajudou muito? Vá de Google Tradutor.

Importante! Antes de partir para qualquer viagem, faça o seu Seguro Viagem! Entenda a importância de assegurar sua viagem.

Detalhe do nosso quarto no Peter 1. O hotel está localizado na região central, próximo a muitas atrações

Dia 1

Nossa primeira parada em Moscou foi no hotel Peter 1, que escolhemos pela localização. Ele fica bem próximo ao Kremlin e perto de outras grandes atracões da região central. Diárias partem de R$ 800, quarto para dois adultos. Confira outras opções aqui.

#DicaPI! A localização ideal na capital russa é dentro do grande anel que circunda a cidade, o chamado ring line. Neste post, te explicamos tudo sobre como usar o Booking.com nas suas reservas.

O melhor lugar para se hospedar em Moscou é dentro do anel que circunda a região central da cidade | crédito: site maps.google.com

Deixamos nossas malas no hotel e fomos conhecer a cidade! Para entrar no clima fomos direto para a icônica Praça Vermelha, onde está localizado o Kremlin de Moscou entre outros monumentos famosos da cidade. Um deles é o Marco Zero das estradas da Federação Russa.

Quer sorte? Segundo a tradição, se você jogar uma moeda por trás do seu ombro, neste local, você terá bastante. Ah! Moeda na mão direita arremessada acima do ombro esquerdo!

A icônica Praça Vermelha

A icônica Praça Vermelha

O que fazer na Praça Vermelha

A Praça Vermelha é uma dos principais pontos turísticos de Moscou. Separa a cidade real, chamado Kremlin, do bairro histórico de Kitay-gorod.

Mausoleu de Lenin

O Mausoleu de Lenin, localizado na Praça Vermelha

Mausoléu de Lenin

Na Praça Vermelha está o Mausoléu de Lenin. A atração é gratuita e funciona em horário limitado, das 10h às 13h – terça, quarta e quinta-feira, além de sábado. Nele, é possível encontrar e visualizar o corpo embalsamado do líder da União Soviética, Lenin. Ele está do mesmo jeito desde sua morte, em 1924. Quando fomos, no início de junho/2018, o local estava fechado, mas seria reaberto ainda no mesmo mês. E um detalhe extra sobre a atração: imagens não são permitidas – nada de fotos ou filmagens.

#Curiosidade: conservar a múmia de Lênin custa aos cofres públicos russos mais de 13 milhões de rublos! Não precisa nem converter pra saber que é muito dinheiro. Em reais, mais de 760 mil!

Catedral de São Basílio e suas cúpulas multicoloridas

Belíssima que fala?! A Catedral de São Basílio e suas cúpulas multicoloridas

Catedral de São Basílio

Um grande símbolo russo também também está por lá, a Catedral de São Basílio. O valor da entrada é de 1000 RUB por pessoa (R$59). A igreja foi construída por Ivan, o terrível, entre 1555 e 1561 em comemoração da conquista da cidade de Kazan pela Rússia.

Uma lenda diz que o czar mandou cegar o arquiteto que construiu a catedral para que ele não conseguisse mais reproduzir tanta beleza. Hoje, a Igreja Ortodoxa é um patrimônio tombado pela UNESCO e, desde 1928, faz parte do Museu Histórico do Estado.

Catedral de São Basílio: abre todos os dias, das 11h às 17h. No verão funciona até as 18h. Entre junho e setembro não abre na quarta-feira. Fecha toda primeira quarta-feira de cada mês para limpeza e também nos dias nos quais a temperatura chega a -15ºC #vixi.

GUM

Logo ao lado da catedral está o GUM (Gosudarstvenny Universalny Magazin, ou Loja Universal Estadual), a mais antiga loja de departamento da cidade. Feito de vidro e aço, o prédio é lindo e fica muito bem localizado. Antigamente era uma loja de departamento estatal, na época da União Soviética, entre 1921 e 1927. Em 1928, Stalin o transformou em uma loja-modelo de varejo e abriu um enorme espaço para escritórios.

GUM: prédio histórico que hoje abriga um shopping

GUM: prédio histórico que hoje abriga um shopping

Em 1953, o GUM voltou a ser uma loja de departamento do Estado e assim ficou até o fim da União Soviética, quando foi privatizado. Apenas em 2005, ele foi reaberto como um shopping elitizado, exibindo várias lojas de grife internacionais como Chanel, Gucci, Louis Vuitton, Cartier e outras.

Lugar para achar de tudo!

Caso você não tenha conseguido resolver seu chip de internet no aeroporto, pode comprá-lo na Megafon do shopping GUM. Os preços variam de 400 RUB (R$23) por 4 GB, até 1.000 RUB (R$58) por 30 GB. A troca de moedas também pode ser feita por lá. Trocamos € 500 por 35.325 RUB. No terceiro andar do shopping existe uma variedade imensa de bancos e casas de câmbio para fazer a troca. Indicamos que ela seja feita na mais conveniente para você e que tenha o melhor valor.

GUM: Aberto diariamente, das 10h às 22h.

Kremlin de Moscou: a maior fortaleza medieval de todo o mundo

Depois das compras, hora de conhecer o Kremlin!

Kremlin

O Kremlin é um dos principais pontos turísticos de Moscou. Trata-se de um complexo e um forte, que conta com quatro catedrais e cinco palácios, construído em 1147. A sua primeira versão era toda de madeira e foi ali que a cidade de Moscou começou.

Mapa do Kremlin de Moscou | Crédito: maps-moscow-ru.com

Por ser uma das atrações mais concorridas da cidade, é ideal que o Kremlin seja visitado logo no começo do dia. O espaço abre a partir das 9h30.

Jardins de Alexandre

A primeira parada no Kremlin é nos Jardins de Alexandre, justamente por ali ser o local da venda de tickets. Existe um mapa na entrada que serve de guia para o local, e a troca de guarda acontece todos os dias, das 8h às 20h, de hora em hora, em frente ao Monumento do Soldado Desconhecido. Este monumento representa os milhões de soviéticos que morreram durante a Segunda Guerra Mundial, sem que seus corpos fossem reconhecidos.

Em todas as cidades russas existe um monumento chamado Fogo Eterno. É um lugar onde o fogo nunca apaga, em homenagem aos que morreram nas guerras.

Passear pelos Jardins é um programa imperdível em Moscou. Na bilheteria são vendidos os ingressos individuais para cada construção que você deseja visitar. A entrada é feita pela Torre da Trindade, a mais alta do Kremlin – com 80 metros. Era por lá que os Czares e suas famílias passavam. Inclusive, foi no local que Napoleão entrou quando invadiu Moscou. Sobre esse fato, uma curiosidade: o frio para ele, na época, era muito intenso, fazendo com que o líder político ficasse por apenas um mês.

Ingressos:

  • Palácio do Arsenal do Kremlin: 700 RUB (R$ 41)
  • Conjunto arquitetônico das quatro catedrais: 500 RUB (R$ 29,50)
  • Praça do Kremlin, memórias históricas: 250 RUB (R$ 15)
  • Campanario de Ivan: 250 RUB (R$ 15)

Ao lado da Torre está o Palácio Estatal do Kremlin. O prédio chama a atenção das demais construções por ter um estilo soviético. As formas são mais retas e ele é mais imponente, porém o edifício não estava aberto a visitação.

Os Jardins de Alexandre

Os Jardins de Alexandre são a entrada para o Kremlin

Um pouco de história sobre o Kremlin de Moscou

Durante os bombardeios que a Rússia sofreu nas guerras, o Kremlin era despistado com algumas alterações para que os inimigos achassem que era apenas uma residência comum e não o acertassem. Nos dias de hoje, ele é a residência oficial do Presidente da Federação Russa e capital política do país.

Canhões e munições enormes são expostos ao longo dos prédios. Entre eles está o maior canhão do mundo, o Tsar Pushka, com calibre de 890 mm. Pesa 18 toneladas e tem mais de cinco metrôs! Nunca foi utilizado. E em frente ao Campanário de Ivan é possível ver o maior sino do mundo. Ele tem 202 toneladas. O sino se chama Tsar Kolokol e é considerado, também, o maior do mundo. São mais de seis metros de altura e comprimento, com peso estimado de 202 toneladas.

Tsar Kolokol, o maior sino do mundo

O maior sino do mundo, Tsar Kolokol, está localizado em frente ao Campanário de Ivan

O sino, o canhão e as catedrais ficam no Architectural Complex of the Cathedral Square, ou Conjunto Arquitetônico do Quadrado da Catedral. A entrada custa 500 RUB (R$29). É possível acessar o interior de algumas catedrais, mas não é permitido filmar ou fotografar.

O Kremlin de Moscou passou por alguns momentos importantes, como: em 1812 que Napoleão invadiu o local e destruiu seis das construções. Já em 1917 foi novamente invadido, mas por revolucionários que tomaram o poder na época da Revolução Russa.

Museus do Kremlin: entre maio e outubro, aberto de sexta a quarta, das 9h30 às 18h; entre outubro e maio, das 10h às 17. Não funciona na quinta-feira. Informações detalhadas aqui.

Você sabia? Kremlin, em russo, significa fortaleza. Por isso no país existem vários kremlins. O mais importante entre eles é o de Moscou.

Quanto tempo dura a visita?

A sua visita ao Kremlin depende do tempo que você tem disponível e dos ambientes que você escolhe conhecer. Na nossa opinião, o mais legal de fazer este passeio é poder olhar o todo e perceber o quanto ali é importante para a história russa e mundial. A palavra que usamos para descrever Kremlin é imponência. Vale a pena conhecer!

vista do Kremlin e da Catedral de São Basílio, a partir do Zaryadye Park

As belezas do anoitecer e a vista do Kremlin e da Catedral de São Basílio, a partir do Zaryadye Park

Vista das grandes atrações de Moscou

Saímos do Kremlin e voltamos para a Praça Vermelha, já que queríamos ter a vista dele a partir da ponte que atravessa o Rio Moscou.

De lá fomos ao Zaryadye Park que tem uma das melhores vistas do Kremlin e da Catedral de São Basílio. No parque urbano há uma ponte flutuante de 140 metros de altura que te permite admirar, além do rio, toda a região. A vista é de tirar o fôlego e, o melhor, gratuita! Sugerimos ir no anoitecer. É lindo quando as luzes da cidade começam a se acender.

Culinária que exalta os produtos russos no restaurante Selfie

Restaurante Selfie

Depois de muito passear fomos jantar! Escolhemos o restaurante Selfie, um dos melhores do mundo pela lista dos 50 Best. Os pratos são assinados pelo chef Anatoly Kazakov, que também comanda o White Rabbit – outro famoso restaurante na cidade. A cozinha é aberta e isso é um plus a mais, digamos que um show gastronômico aos clientes. Os pratos enaltecem os produtos russos de acordo com a estação e trabalha com elementos tradicionais e técnicas atuais.

A la carte, os pratos custam a partir de 290 RUB (R$17). O menu degustação de nove passos sai por 5500 RUB por pessoa (R$320). Existem opções de pratos para vegetarianos, como risotos de cogumelos.

Achamos o restaurante ótimo e indicamos fazer reserva.

No nosso Youtube, você também confere os vlog’s dessa e de outras viagens! Vem ver mais detalhes do nosso primeiro dia em Moscou:

Esse conteúdo faz parte da web série “PI na Estrada”, que mostrará diversos roteiros de viagem e é um produto exclusivo do Passagens Imperdíveis para o canal do Youtube.

Dia 2

Escultura da estação da Praça da Revolução

Na estação da Praça da Revolução está a estátua do cão com o guarda: passar a mão no focinho é obrigatório, para ter sorte

Para começar bem o segundo dia em Moscou fomos conhecer uma das joias da cidade: o metrô. O bilhete custa 55 RUB (R$ 3,25) e é unitário. Indicamos que você use as máquinas de autoatendimento para comprar seu bilhete, já que é possível selecionar o inglês como idioma.

Ao andar pelas estações, atente-se aos detalhes. A linha vermelha é uma das mais impressionantes!

Assim como em São Petersburgo, as grandiosas estações de metrô são uma herança da União Soviética, mais especificamente do período em que Stalin estava à frente. A preocupação era fazer com que o trabalhador se sentisse cuidado e privilegiado até mesmo no meio de transporte que o levava ao trabalho.

Você sabia? Os russos são muito supersticiosos. Dizem que, ao esfregar os focinhos dos cachorros e as cristas dos galos das estátuas das estações, sua sorte estará garantida. Por precaução, não custa nada dar uma passadinha de mão neles, né? #DicaPI.

Rua Arbat

Ao sair da estação Smolenskaya do metrô, chegamos à rua Arbat. Ela tem, mais ou menos, um quilômetro de extensão e é exclusiva para os pedestres. A rua te permite, inclusive, comprar as lembrancinhas. Tem de tudo um pouco, entre matrioskas, bolsas e chaveiros.

Rua Arbat em Moscou

Tem de tudo na rua Arbat, desde lembrancinhas a restaurantes

Nela há uma unidade do Shake Shack, uma hamburgueria americana que a gente ama! Nas paredes, o cardápio é disposto todo em russo. Mas é possível pedir por um impresso e em inglês.

Permita-se, principalmente em Moscou, caminhar pela cidade, sem obrigação ou rumo certo. Sinta toda a imponência de uma nação que, ao longo do tempo, precisou se reinventar completamente.

Bolshoi

Depois de caminhar e nos encantar pelas ruas da cidade, fomos conhecer o mais famoso teatro russo: Bolshoi. Os ingressos para o teatro maior, que é o mais tradicional, se esgotam com muita antecedência. Por isso, indicamos fazer como a gente: compramos os ingressos para uma peça que foi realizada no Teatro Novo, New Stage. Ele é um pouco menor, fica ao lado do Bolshoi e possui o mesmo corpo de dança.

Grupo de bale no teatro Bolshoi

Bolshoi: experiência única em Moscou e uma das grandes joias da cultura russa

O balé de Bolshoi é a Companhia do Grande Teatro Acadêmico para Ópera e Ballet de Moscou. Ele surgiu em 1773, quando um grupo de bailarinos e bailarinas carentes e outros cidadãos servos se reuniu em um orfanato da cidade. A companhia, então, foi acomodada no Teatro de Bolshoi.

Prédio do Teatro de Bolshoi

O prédio do Teatro de Bolshoi, tombado pela ONU

Hoje, ele é tombado pela ONU como um Patrimônio Arquitetônico e Cultural da Humanidade.

Nossa experiência

O início da peça que assistimos estava marcado para 19 horas, mas chegamos com um pouco de antecedência para encontrar os nossos lugares. O espetáculo que fomos assistir era uma mistura de dança com música clássica: o supertradicional ballet de repertório Carmen.

O primeiro ato durou mais ou menos uma hora. O segundo, por volta de 40 minutos, e o último, cerca de 45 minutos. Logo, a duração total foi de três horas, mais ou menos.

Ficamos impressionados com o show que vimos no palco! Se você tiver esta oportunidade, não deixe de ir. Pagamos R$600 por pessoa pelos ingressos mais baratos. Ele pode ser adquirido no site do teatro. É um investimento caro, mas achamos que vale muito a pena! No geral, os ingressos têm preços que variam de 1.500 RUB (R$ 88,20) a 88.000 RUB (R$ 5.176,50)! Só é possível comprar quatro tickets por pedido, ok? E crianças menores de 10 anos não são aceitas nas apresentações noturnas. 

Como comprar ingressos para os espetáculos do Bolshoi

Nos nossos stories do Instagram, em que mostramos essa viagem em tempo real (segue a gente no @passagenimperdiveis!), contamos que iríamos colocar o passo a passo para que você consiga comprar ingressos para o Bolshoi sem dificuldades. Vamos lá?

  • Acesse o site oficial, na parte de tickets, que você pode dar o clique aqui;
  • Assim que abrir o site, clique na opção “Em inglês”, no canto superior direito;
  • Observe que há duas opções de palco: o Historic Stage e o New Stage. O Historic Stage é o palco principal, o maior, equivalente ao prédio tradicional do Bolshoi. E o New Stage é o palco menor, mais recente, que fica na lateral do Historic Stage, como contamos nos parágrafos acima.
  • Depois de escolher o palco, pesquise sobre os espetáculos disponíveis. Uma boa opção para saber mais sobre eles é ler a sinopse do evento. Dá uma olhada no caminho:
  • Escolhido o espetáculo, é só clicar em “Buy Tickets”, criar um Login e Senha e pronto! Fácil, fácil, né?
Sinopse espetáculos Bolshoi

Primeiramente, busque pelo palco que deseja | Crédito: site Bolshoi

Como comprar ingresso para o Bolshoi

Avalie as opções e veja o espetáculo que mais lhe interessa | Crédito: site Bolshoi

Tá vendo esse espetáculo que selecionamos? Ele é o famoso “Lago dos Cisnes”, peça mundialmente conhecida. Se o seu sonho é ver de pertinho esse tipo de atração, a dica é comprar com antecedência, já que se esgotam rapidamente!

Ainda sobre isso, tente se programar para comprar os ingressos  2, 3 meses antes da viagem. Agora, caso você decida em cima da hora, dê uma olhada na programação do site oficial e veja, ao lado de cada peça, se ainda há bilhetes disponíveis. Pode ser que você esteja no seu dia de sorte, então, confia e vai!

#DicaPI: lembre-se de garantir a libertação do seu cartão de crédito para compras internacionais antes de realizar transações em sites de outros países. Mesmo com limite disponível, e por medida de segurança, a compra pode ser negada pela instituição financeira, ou mesmo pelo site em questão.

Assista ao nosso segundo dia em Moscou!

Esse conteúdo faz parte da web série “PI na Estrada”, que mostrará diversos roteiros de viagem e é um produto exclusivo do Passagens Imperdíveis para o canal do Youtube.

Dia 3

O nosso terceiro dia em Moscou começou no metrô. Optamos por este tipo de transporte porque o trânsito por lá é bem movimentado e as melhores formas de conhecer a cidade são por caminhada e/ou metrô.

Partimos para o Parque Gorky e no nosso trajeto vimos uma escultura de bronze que nos chamou muita atenção. A Estátua de Pedro, O Grande é uma das estruturas mais odiadas pelos moscovitas, principalmente pelo fato de que Pedro, o Grande, não gostava de Moscou. Para te refrescar a memória, ele foi um czar russo e fundador de São Petersburgo. Foi por culpa dele que a cidade perdeu, em 1712, o título de capital da Rússia.

Gorky Park, mais de 120 hectares de área verde

Gorky Park, mais de 120 hectares de área verde

Gorky Park

O Gorky Park é uma herança do período soviético, já que ele foi imaginado para ser a principal área de lazer de todos os trabalhadores da cidade. São mais de 120 hectares de área verde. Criado em 1928, tem entrada gratuita e é um parque bem gostoso, tanto no inverno quanto no verão. Nos dias mais quentes é normal ver os locais aproveitando, crianças brincando e muitos piqueniques. Já nos dias mais frios, é montada uma pista de patinação no gelo.

Ele fica às margens do Rio Moscou e a caminhada para chegar até o parque é muito agradável, principalmente se você vem do metrô. É um bom lugar para passear, organizar o roteiro e relaxar por um tempinho, como os locais fazem.

Vista da cidade no Gork Museum

O Gork Museum conta com uma linda vista da cidade

Gork Museum

No alto do portão de entrada do bosque está o Gork Museum, onde, no ponto alto, é linda a vista da cidade. Apesar de se denominar como museu, é, na nossa opinião, um mirante.

A entrada custa 300 RUB (R$ 17,65). Achamos muito legal porque ele é vazio, interativo e conta a história do parque e da União Soviética. É pequeno, mas vale a pena pela vista. 

Uma das Sete Irmãs de Stalin

Uma das Sete Irmãs de Stalin

Do alto do museu é possível enxergar alguns dos prédios que constituem as Sete Irmãs de Stalin. São sete edifícios de visual semelhante, construídos entre 1947 e 1953, para que a Rússia, a exemplo do que acontecia nas nações grandes, também tivesse seus arranha-céus enormes que serviam de vista para quem julgasse a nação.

Passeio de barco pelo Rio Moscou

Passeio de barco pelo Rio Moscou, com vista para os principais pontos da cidade

Passeio de barco pelo rio Moscou

Aproveitamos que estávamos no Gork Parque e fizemos um passeio a bordo de um barco, do Hotel Radisson. São duas horas e meia pelo Rio Moscou, passando pelos principais pontos da cidade. O valor? 900 RUB (R$53) por adulto. O píer do Gorky Park é apenas um dos pontos de embarque para o passeio, pelo site do Radisson, você pode comprar seu ingresso e ver as outras saídas aqui.

Dentro do barco existem mesas com serviço de restaurante. É indicado que você chegue cedo no ponto de embarque para conseguir pegar uma lugar com vista.

Durante o percurso é possível pedir comidas e bebidas. Escolhemos o Cheese Platter, que saiu a 960 RUB (R$57). Também pedimos uma salada Caprese que saiu por 560 RUB (R$33). O passeio termina no lugar em que se iniciou e recomendamos muito!

House of Honey: lugar para comprar o tradicional mel russo

House of Honey: lugar para comprar o tradicional mel russo

House of Honey

E saindo do Parque Gorky fomos caminhando até a loja de mel House of Honey. Sim! O mel na Rússia é algo muito tradicional e gostoso. Além da vodca, é claro.

A loja não é turística e os atendentes não falam inglês. Neste caso, use e abuse do Google Tradutor! Veja aqui como usar este aplicativo e confira, também, informações essenciais sobre a Rússia.

Jantar no White Rabbit

Jantar no White Rabbit, do conceituado chef Vladimir Mukhin

White Rabbit

Depois das compras, fomos jantar. Escolhemos o White Rabbit, que é considerado em muitas listas especializadas o melhor restaurante da Rússia. Ele fica em uma cúpula de vidro e a cozinha mistura a culinária russa com as últimas tendências gastronômicas.

Um dos episódios da série Chef’s Table aborda o restaurante e seu chef, Vladimir Mukhin, e está disponível na Netflix. Então, se você gosta de gastronomia vale dar uma conferida.

O menu degustação tem 13 passos e custa 9500 RUB (R$558). O serviço à la carte tem opções de entrada a partir de 390 RUB (R$22). Os pratos principais saem por volta de 1000 RUB (R$59) e as sobremesas, 450 RUB (R$26).

Prato do restaurante White Rabbit

No White Rabbit experimentamos o menu degustação, mas não ficamos impressionados

Ao final, a conta é levada para a mesa dentro de uma Matriosca, um símbolo tão característico da Rússia. Para ir ao restaurante é importante fazer reservas, acesse o site.

#PISincero: Ficamos decepcionados com o restaurante. O ambiente é lindo, mas a comida não agradou. A sugestão, para quem quiser conhecer, é não participar do menu degustação e escolher uma opção do menu à la carte.

White Rabbit: aberto diariamente, das 12h à 0h. O bar permanece aberto até as 6h da manhã, entre quinta e sábado. 

Assista ao nosso terceiro e último dia por Moscou! Te mostramos todos os detalhes dos pratos do White Rabbit abaixo, é só dar o play!

Esse conteúdo faz parte da web série “PI na Estrada”, que mostrará diversos roteiros de viagem e é um produto exclusivo do Passagens Imperdíveis para o canal do Youtube.

O que mais fazer na capital russa

Concordamos que três dias podem ser pouco para você curtir a cidade de Moscou. Por isso, separamos outras dicas e sugestões para quem quer conhecer mais a fundo a capital russa. Confira!

Cemitério Novodevichy

Um dos cemitérios mais conhecidos de toda a Europa, o Novodevichy é Patrimônio Mundial do século XVI. Pessoas importantes da Rússia foram, e ainda são, sepultadas por lá – como o montanhista Yevgeniy Abalakov, o revolucionário Nikolai Abelman, o dramaturgo Alexander Afinogenow e o escritor Sergei Aksakow. Entre as mais de 27 mil sepulturas estão cientistas, políticos, além de atores, poetas e músicos, entre outros. Entrada gratuita. Tours guiados custam 250 RUB (R$ 13,90). Aberto diariamente, das 9h às 17h, entre outubro e abril, e até as 19h, entre maio e setembro.

Convento Novodevichy

Logo ao lado do cemitério Novodevichy está o convento homônimo, também conhecido como “Mini Kremlin” por ser uma fortaleza com várias estruturas dentro. O mosteiro, construído dentro de uma enorme muralha, em 1524, foi fundado para celebrar a retomada de Smolensk sob posse dos Lituanos até 1514. É considerado um patrimônio mundial da UNESCO, desde 2004. Detalhe importante no complexo é a catedral ortodoxa da Nossa Senhora de Smolensk, além da Torre do Sino. Conhecer apenas a área do convento é gratuito. Para visitar as igrejas e exposições é cobrado 300 RUB (R$ 17,70). Aberto de quarta a segunda, das 7h às 17h – os museus abrem apenas às 9h.

Museu Pushkin

O museu Pushkin se localiza onde era o antigo museu Alexandre III de Belas-Artes. Ele foi inaugurado em 1912 e sua coleção engloba de antiguidades e retratos do século XIV a obras de vários pintores europeus, como Botticelli, Poussin e Delacroix. É o maior museu de Moscou dedicado a arte européia. Bilhete de entrada para um edifício: 400 RUB (R$ 23,50); para dois edifícios – Principal e Galeria de Arte da Europa e América dos séculos XIX-XX: 600 RUB (R$ 35,30); exposições especiais: 600 RUB (R$ 35,30). Aberto de terça a domingo, das 10h às 20h.

Galeria Tretyakov

Tretyakov é um museu russo que conta com mais de 130 mil obras de arte que vão desde o século XI até o período contemporâneo. A galeria é toda dedicada à arte russa e abriga muitas obras famosas. Horário de funcionamento: quinta a sábado, das 10h às 21h; domingo, terça e quarta, das 10h às 18h. O ingresso simples custa 500 RUB (R$ 29,40) ou 700 RUB (R$ 41,20) para o prédio principal e o edifício de engenharia

Catedral de Cristo Salvador

Construída em 1812 para homenagear a derrota de Napoleão Bonaparte na tentativa de invadir a Rússia, a Catedral de Cristo Salvador foi demolida depois da Revolução Russa e morte de Lênin – para que fosse construído um monumento socialista. Em razão da falta de dinheiro durante a Segunda Guerra a construção do monumento não foi para frente. Apenas após a queda da União Soviética, em 1990, a igreja foi reconstruída de acordo com seu modelo original. Fica ao lado do Kremlin, a beira do rio Moskva. Estrada gratuita. Aberto diariamente, das 9h às 18h. Fecha na última segunda-feira de cada mês.

Casa-museu Tolstoy

O Leo Tolstoy Museum é um complexo de museus, dedicado ao escritor. São vários quartos com a mobília e seus objetos de trabalho do cotidiano. Quem transformou a casa do artista em um museu foi Lenin, em 1921. Aberto de novembro a março, das 9h às 17h e entre abril e outubro, das 9h às 20h. Fechado na segunda-feira. Ingressos por 100 RUB e visitas guiadas por 350 RUB durante a semana e 400 RUB aos finais de semana.

Praça Lubianka

A praça é grande e tem uma construção imponente e com grande significado histórico. No edifício de tijolos amarelos funcionava a sede de uma companhia de seguros, mas no início da década de 1920 se transformou no quartel-general dos serviços de informação soviéticos – depois russos. Abrigou as instalações da Tcheka e também da KGB. Além disso, por ali morou a assassina em série Dária Saltikova.

Praça Komsomolskaya

Cheia de alto-falantes e obra-primas de grandes arquitetos: assim é a praça Komsomolskaya ou, como é conhecida popularmente, Três Estações. Seu nome vem das lindas estações de metrô que estão nela: a de São Petersburgo, que é inspirada no Renascimento Italiano; a Iaroslav é decorada de cerâmica e um estilo moderno; e a Kazan é inspirada na torre de Kazan e é uma joia! 

Bolshoy Kamenny Bridge

Revitalizada, a ponte Bolshoy Kamenny cruza o rio Mosby e é um ótimo lugar para quem quer observar o Kremlin.

Nikolskaya Street

Uma das ruas mais antigas de Moscou, Nikolskaya reúne lojas de luxo, hotéis, bancos e mistura prédios do século 19 com construções do século 17. Se na época de Natal fica completamente decorada, na Copa da Mundo da Rússia a rua se transformou em ponto de encontro para torcedores de todo os cantos!

Kosmo Museum

O Museu do Cosmonauta é um daqueles programas imperdíveis em Moscou. Reúne registros da história de Yuri Gagarin, além de informações sobre tudo o que envolve os projetos espaciais da Rússia. Prepare-se para encontrar foguetes, roupas, satélites e tudo mais. Completamente interativo, o museu abre de terça, quarta, sexta e domingo, das 10h às 19h, quinta e sábado, das 10h às 21h. Fecha na segunda-feira. Ingressos por 250 RUB (R$ 14,70).

Dica extra

Quer um lugar bom e barato para comer em Moscou? Vá de Teremok. Considerado o McDonald’s da Russia, o fast food conta com várias unidades espalhadas pela capital do país – e tem até mesmo lojas nos Estados Unidos. Tá bom pra você? Um bom lugar para experimentar pratos como o Borsch.

O que é Borsch? Sopa de legumes tradicionalmente russa que tem como elemento central a bateria.

Mapa do metrô de Moscou

O mapa do metrô de Moscou | Crédito: site news.metro.ru

Tudo sobre o metrô de Moscou

Também conhecido como Palácio Subterrâneo, o metrô de Moscou é um dos sistemas de transporte sobre trilhos mais utilizado no mundo! Por meio dele é possível chegar a qualquer local da cidade, já que há uma linha circular que liga todas as outras linhas. Essa característica, aliás, faz com que a locomoção pela cidade seja bem simples.

No total, o metrô da capital russa possui 12 linhas que cobrem 346 km e transportam mais de nove milhões de pessoas em um único dia. A mais antiga é a Socolhnitcheskaia (linha 1 – vermelha no mapa), inaugurada em 1935. A mais recente a Butovskaia (linha 12), em 2003.

O metrô de Moscou começa a funcionar às 6h, mas as estações abrem às 5h30. À 1h da manhã as entradas são fechadas e o último trem parte à 1h03. O monotrilho (monorail) funciona das 7h às 23h, diariamente. Já o Moscow Central Circle (MCC) funciona das 5h45 à 0h30.

O metrô conta com wi-fi gratuito (MT-Free) e os celulares funcionam por lá. Para descobrir como chegar ao seu destino, clique aqui.

Preços do metrô de Moscou

  • 1 viagem: 55 RUB (R$ 3,25)
  • 2 viagens: 110 RUB (R$ 6,50)
  • 2o viagens: 747 RUB (R$ 43,95)
  • 40 viagens: 1494 RUB (R$ 88)
  • 60 viagens: 1765 RUB (R$ 103,80)

Também é possível comprar cartões para uso por dias:

  • 1 dia 218 RUB (R$ 12,80)
  • 3 dias 415 RUB (R$ 24,40)
  • 7 dias 830 RUB (R$ 48,80)
  • 30 dias 2,075 RUB (R$ 122)
  • 90 dias 5,190 RUB (R$ 305,30)

Troika card

O Troika é um cartão de plástico reutilizável que serve de forma de pagamento nos meios de transporte de Moscou – ônibus, troles e trams, além do metrô. Ele pode ser adquirido nos pontos de vendas mediante depósito de 50 RUB (reembolsáveis mediante devolução do cartão). E a carga pode ser feita tanto nas estações de metrô, quanto em lojas espalhadas pela cidade. Com o Troika a sua viagem de metrô sai por 36 RUB e o uso compartilhado do metrô com outro meio de transporte (utilizados em até 90 minutos a partir do primeiro embarque) sai por 54 RUB. A carga total no cartão não pode passar 3.000 RUB.

cartão do metrô de Moscou

Troika, o cartão do metrô de Moscou | Crédito: site mos.ru

O cartão também pode ser utilizado para pagar as viagens no Aeroexpress e também para o aluguel de bikes na cidade. A título de curiosidade, o aluguel de uma Velobike para 1 dia de uso custa 150 RUB (R$ 8,80) – válido para usos ilimitados de até 30 minutos, por vez.

Uma forma, digamos, mais “nova” de usar o seu Troika é através de pulseiras de silicone e anéis de cerâmica equipados com microchips que funcionam da mesma forma que o cartão. O anel é vendido por 350 RUB (R$ 20,60) e a pulseira por 450 RUB (R$ 26,50) – ambos são considerados também uma lembrancinha da capital russa #fofo.

Onde comprar o seu Troika

  • Bilheterias das estações de metrô;
  • Máquinas automáticas nos metrôs;
  • Lojas Megafone;
  • Lojas Svyaznoy;
  • Bilheteria do Aeroexpress, nos aeroportos de Moscou;
  • Online (se você entende russo, tá?!);
  • Por telefone, via SMS.

#DicaPI: o Troika pode ser utilizado de maneira compartilhada. Ou seja, não é preciso comprar um cartão para cada pessoa!

Queremos que você conheça o mundo!

Se você vai viajar para o exterior pela primeira vez, acesse este guia de viagens internacionais para visitantes. E antes de montar a sua mala de viagem, confira as dicas que separamos para você não se perder nas novas regras de bagagem.

Embarque para a Rússia!

Nos encantamos com a carga histórica e cultural que a Rússia carrega. Adoramos conhecer o povo russo e este país tão icônico para o mundo. Aproveite este roteiro para preparar a sua viagem para Moscou!

Além de te ajudarmos a organizar seu itinerário, também podemos dar um forcinha com as passagens. Baixe nosso aplicativo gratuitamente (iOS, Android e Windows Phone) e nos acompanhe nas redes sociais (Facebook, Instagram, Twitter). TODOS OS DIAS tem promoções, viu? Fique de olho!

Acompanhe, também, o nosso canal no YouTube. Por ele, você terá acesso a conteúdos fresquinhos e exclusivos de vários lugares do mundo!

SalvarSalvarSalvarSalvar

SalvarSalvar

SalvarSalvar

SalvarSalvar

SalvarSalvarSalvarSalvarSalvarSalvarSalvarSalvar

SalvarSalvarSalvarSalvar

SalvarSalvar

Comments are closed.