Home > Dicas de viagem > Como conseguir o melhor câmbio para viagens internacionais

Como conseguir o melhor câmbio para viagens internacionais

Passagem comprada, hotel definido, roteiro pronto, chegou a hora de comprar a moeda estrangeira. Como conseguir o melhor câmbio para viagens internacionais? O fato é que não podemos controlar a cotação, mas dentre as opções de compra disponíveis, dá para achar o melhor negócio e fazer o seu dinheiro render mais na viagem! Basta planejamento e conhecimento, como mostraremos a seguir!

O que é taxa de câmbio?

Na definição do dicionário Michaelis, câmbio, na área da economia, é uma operação financeira centrada na compra, venda ou troca da moeda de um país pela de outro. A mesma fonte nos mostra que taxa nada mais é do que o valor cobrado pela venda de um produto.

Sendo assim, taxa de câmbio expressa o custo de uma moeda estrangeira em relação à nacional. Por exemplo, ao afirmar que um dólar americano (US$ 1) custa quatro reais (R$ 4), estamos falando em taxa de câmbio, que nesse caso é de R$ 4.

Então, o primeiro passo para conseguir o melhor câmbio é já saber do que se trata esse tipo de transação. Entendido? Então, parabéns, você começou bem sua jornada!

Cotações comercial e turismo

Sabendo que taxa de câmbio é o valor que você pagará pela moeda estrangeira, há outro detalhe importante a se entender: as cotações comercial e turismo. Qual a diferença, afinal?

Estes são termos adotados no mercado para designar a natureza da operação. A cotação comercial vale para contratos de importação, exportação, transferências financeiras, etc. Já a turismo é empregada para a negociação da moeda para viagens internacionais, geralmente envolvendo dinheiro em espécie. A verdade é que a turismo costuma ser mais cara que a comercial.

Quem determina a taxa de câmbio é o próprio mercado, e uma das razões para a cotação turismo ser mais alta que a comercial é o fato de a comercial movimentar maiores quantias e não envolver dinheiro físico.

De posse dessa informação, passe a ficar de olho na cotação turismo da moeda que deseja comprar (dólar turismo, por exemplo). Assim, não terá o risco de se confundir e conseguirá focar melhor para obter o melhor câmbio!

Ah, mais um ponto: foque no preço de venda, pois o preço de compra é aquele que as casas de câmbio pagam caso você venda alguma moeda estrangeira para ela. O preço de compra costuma ser menor que o de venda, então se atentar a isso ajuda a manter seu foco, sem ilusão, no valor correto: o de venda.

Cartão de crédito ou dinheiro em espécie?

Caso use o seu cartão de crédito internacional, a moeda levada em consideração é a comercial, justamente por não envolver dinheiro vivo. No entanto, há outros encargos, como o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) e eventuais taxas do seu banco para transações fora do país.

Outra questão é que você se sujeita à taxa de câmbio vigente no dia em que a sua fatura fechar. Um gasto de US$ 150 com a taxa de câmbio a R$ 3 no dia da compra, teoricamente sairia a R$ 450, mas se o dólar aumentar para R$ 4 no fechamento da fatura, a mesma compra sairia a R$ 600, sem contar impostos e eventuais taxas.

Por isso, a recomendação geral é que o cartão de crédito seja reservado para emergências. Talvez valha mais a pena esperar para conseguir o melhor câmbio e levar dinheiro em espécie.

Mas nada te impede de avaliar o seu caso em especial para decidir a melhor forma de pagamento no exterior: dinheiro ou cartão internacional. Afinal, o seu cartão de crédito pode ser uma ótima forma de acumular milhas e viajar mais!

Planejamento dos gastos no exterior

O ideal é já planejar o quanto pretende gastar em sua viagem, pois o valor de compra da moeda dificilmente será o mesmo de venda. E o que isso quer dizer? Se sobrar muito da moeda estrangeira no final da viagem e, de volta ao Brasil, você for vendê-la, pode ser que a cotação de compra esteja menor, e isso lhe dê algum prejuízo.

Uma dica é fazer uma boa pesquisa sobre o país para o qual se pretende viajar. Tanto em nosso site quanto em nosso canal do YouTube, publicamos roteiros de viagens nacionais e internacionais. Nessas dicas, mostramos preços de hotéis, refeições e atrações turísticas diversas. Tudo para ajudar você a planejar melhor a sua viagem.

Mais uma vantagem de planejar os seus gastos no exterior é que, assim, poderá acompanhar com antecedência as variações na taxa de câmbio, o que lhe dará uma boa base para conseguir a melhor oportunidade na época da viagem. Isto não é segredo: fazer as coisas com tempo é um ótimo meio para economizar!

Quando comprar moeda estrangeira?

Não tem como prever exatamente se a moeda estará mais cara ou mais barata nas vésperas da sua viagem. Assim, uma dica é comprar aos poucos. Provavelmente, você vai pagar mais caro ou mais barato em um ou outro dia, mas a relação entre custo e benefício pode valer a pena.

Só de pesquisar no Google pela taxa de câmbio da sua moeda, vêm os resultados no próprio site com os valores atualizados.

#DicaPI: o Google pode ajudar você em todos os momentos da sua viagem; um bom exemplo é usar o Google Maps para não se perder no seu destino!

Onde comprar para ter o melhor câmbio?

A opção mais segura para transações cambiais ainda é a casa de câmbio. Se alguém sugerir fazer a compra da moeda nos guichês de aeroportos, fuja!

Nos aeroportos, as taxas costumam ser bem mais altas, assim como aquele pão de queijo que você chega a pagar até R$ 8 a unidade. A lógica é mais ou menos a mesma. Em nosso roteiro pela Dinamarca, mostramos as desvantagens da taxa de câmbio no aeroporto.

Além disso, nas casas de câmbio a possibilidade de negociação com os corretores é maior. No caso de viagem em turma, uma dica legal é todo mundo comprar junto, pois o montante do valor pode gerar descontos.

Existem meios “não ortodoxos” de trocar moeda, mas é bom lembrar que em situações assim a chance de ser ilegal é imensa, bem como a de ter prejuízos.

Em países da Europa ou América do Norte, não leve seu dinheiro em reais. Optar por realizar o câmbio já no país destino, nesses casos, significa perda de dinheiro, uma vez que o real não é valorizado por lá. Ou seja, é praticamente impossível obter o melhor câmbio em países assim.

Realize suas operações antecipadamente e já saia do Brasil com a moeda local do país para o qual você estiver indo.

Como lidar com moeda fraca/incomum?

Existem algumas moedas consideradas “fracas” no Brasil. No caso de países da América do Sul, como Chile, Uruguai e Argentina, leve seus reais e converta o dinheiro já no destino.

Já em viagens para o Japão, Noruega, Dinamarca, África do Sul e Tailândia, por serem moedas difíceis de achar, você acabará caindo em uma cotação desvantajosa. A dica para esses casos é trocar os seus reais em dólares e converter os dólares em moeda local no próprio país. Se por um lado isso significa ser taxado duas vezes, por outro é valorização do seu dinheiro.

Mais uma vez, é uma questão de relação entre custo e benefício. Lembre-se de que seu objetivo é conseguir o melhor câmbio dentro das possibilidades existentes.

#DicaPI: para continuar seu planejamento, é uma boa ideia conferir como levar dinheiro em espécie para o exterior!

Dica bônus para conseguir o melhor câmbio!

Transferwise

A TransferWise funciona de modo semelhante a um banco: você envia ou recebe dinheiro no exterior. O grande diferencial são as taxas menores, o que possibilita obter o melhor câmbio. Isso também é possível porque a transferência considera a cotação comercial da moeda (mais barata que a turismo).

No caso de viagem internacional, essa é uma opção para quando você tem um parente ou amigo no país de destino e resolve levar parte do dinheiro em espécie e transferir parte para sacar lá. Também é uma alternativa para quando você está no exterior e precisa receber dinheiro de alguém do Brasil (ou de outros lugares), contanto que tenha uma conta bancária no país onde está.

O processo para enviar dinheiro ao exterior por esse meio é simples. Basicamente, você transfere a quantia de dinheiro desejada para a TransferWise e a empresa envia o valor na moeda estrangeira para a conta escolhida. A transferência é feita via boleto, ou seja, ao escolher o valor desejado, é emitido um boleto (na sua moeda), que você paga assim como qualquer outro. O restante fica por conta da TransferWise

Levando em conta o fato de precisar ter uma conta no exterior (sua ou de alguém de confiança), a TransferWise é uma alternativa para obter o melhor câmbio na conversão de reais em moeda estrangeira.