Home > Dicas de viagem > Roteiro de 2 dias em Copenhagen, capital da Dinamarca

Roteiro de 2 dias em Copenhagen, capital da Dinamarca

Viagem realizada por Patrícia Guedes e Jairo dos Santos em junho/2018 | Prepare-se para conhecer um pouco da capital da Dinamarca, considerada uma das cidades mais felizes do mundo. Curtimos um roteiro de 2 dias em Copenhagen, que reúne tradição com modernidade. Embarque com a gente e confira como foi!

Quer viajar? Baixe o nosso aplicativo gratuito e acompanhe promoções de passagens aéreas. Todos os dias, divulgamos promoções de passagens aéreas todo o mundo!

O que você precisa saber antes de viajar para Dinamarca

Aeroporto Dinamarca

A língua falada na Dinamarca é o dinamarquês. Mas no aeroporto, por exemplo, há muitas placas em inglês. Se precisar, recorra ao Google Tradutor

Idioma

A língua falada na Dinamarca é o dinamarquês, mas muita calma: também é possível se comunicar em inglês e alemão.

A maioria das placas estão escritas no idiomas citados. No entanto, se você for em algum restaurante ou atração na qual os textos não estejam em inglês, use o Google Tradutor. Basta baixar o aplicativo, que tem versão tanto para Android quanto para iOS, e fotografar os cardápios ou placas, e a tradução é feita na hora!

Fuso horário e melhor época para ir

A Dinamarca está a cinco horas na nossa frente, em relação ao horário de Brasília. No nosso horário de verão, a diferença do fuso diminui para quatro horas.

O país é frio o ano todo, sendo que a temperatura média anual é de 7,7°C. Então, se você é um(a) amante do frio, pode ficar bem animado(a). No verão, por sua vez, que dura entre junho e setembro, os dias tendem a ser mais quentes e os termômetros podem chegar a até 25°! De qualquer forma, não deixa de colocar na mala um casaco mais quentinho, tá? #PIprecavido.

O Cais de Nyhavn

O Cais de Nyhavn

Um fator que interfere nos passeios e dinâmica na cidade é o tempo que o sol fica exposto. Geralmente, entre novembro e fevereiro, os dias são mais curtos e podem chegar a ter apenas sete horas de iluminação solar. Já entre maio e agosto, os dias ficam claros por até 17 horas. Aliás, essa é a época de alta temporada.

Vacinas e Visto

Para a entrada na Dinamarca não é necessário apresentar o Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia, CIVP. Mas é aconselhável estar com todas suas vacinas em dia, por segurança e para sua saúde.

O país também não exige visto para brasileiros, em caso de estadias de até 90 dias. Na imigração basta apresentar o passaporte com validade para até seis meses, os documentos referentes a hospedagem, além da passagem de volta – assim você comprova a sua intenção de viagem (turismo). Então, será precisa apenas ter o seu passaporte!

#Importante. Evite dores de cabeça e, antes de embarcar para qualquer destino internacional, faça o seu Seguro Viagem. Entenda aqui.

Moeda

Na Dinamarca se usa a coroa dinamarquesa. Em junho/2018, 1 DKK equivalia a R$0,60.

Como a moeda dinamarquesa tem pouca circulação no Brasil, o mais indicado é comprar euros ou dólar aqui e fazer o câmbio assim que chegar lá. No centro da cidade existem vários lugares para tal. Observe os valores para que você consiga a melhor cotação no dia! Como ficamos pouco tempo na cidade, realizamos o câmbio no aeroporto, mesmo não sendo o mais recomendado.

Dicas e Curiosidades sobre Copenhagen

  • A Dinamarca é terra do famoso escritor de histórias infantis Hans Christian Andersen. Ele escreveu Pequena Sereia, Roupa Nova do Rei e Soldadinho de Chumbo.
  • O Lego foi fundado pelo dinamarquês Ole Kirk Christiansen, em 1932. O nome é uma abreviação das palavras leg godt (brincar bem, em português).
  • No país há até mesmo um parque Lego (Legoland) e ele fica na cidade de Billunde, construído em 1968. O local tem brinquedos e réplicas de grandes atrações, como a Estátua da Liberdade e o templo Abu Simbel, no Egito, feitos de Lego! O ingresso custa a partir de 309 DKK (R$ 185,40) e pode ser comprado pela internet no site da atração.
  • Aprenda com os dinamarqueses! A regra da felicidade está nos três 8s: oito horas para o trabalho, oito horas para o lazer e oito horas para o descanso. Anotou?
  • A Dinamarca conta com 444 ilhas, mas só 76 são habitadas.
  • O Congresso Mundial de Papais Noéis acontece na Dinamarca, no mês de julho, em Bakken – a 10 km de Copenhague.
  • Fazem parte do alfabeto dinamarquês as letras Æ, Ø e Å.
  • O meio de locomoção preferido dos dinamarqueses é a bicicleta. Em Copenhagen é possível ver que o transporte por meio de bikes recebe incentivos do governo. Afinal, são 390 quilômetros de ciclovias que possuem até semáforos para os ciclistas! Desde a crise do petróleo, em 1973, o uso das magrelas é estimulado. É estimado que mais de 62% dos moradores locais possua uma bicicleta e a utilize no dia-a-dia.
  • No país, muitos banheiros são de uso unissex. Ou seja, para homens e mulheres!
  • O sistema de saúde é gratuito, assim como a educação.
  • Choveu? É normal. Na Dinamarca chove a cada dois dias. A média é de 170 dias chuvosos, por ano.
  • O país não é só um dos mais felizes do mundo, como também é um dos mais seguros e igualitários! #partiu

Chegando em Copenhagen

Partimos para Copenhagen a partir de São Petersburgo, em voo da Air Baltic. Como estávamos visitando a Rússia com alguns amigos, e eles tinham um compromisso na capital dinamarquesa, achamos uma boa oportunidade para conhecer o país. Confira como foram nossos dias em São Petersburgo aqui.

Aeroporto de Copenhagen na Dinamarca

A internet é gratuita no aeroporto de Copenhagen

A internet do aeroporto é gratuita. E achamos tudo muito bem sinalizado. As opções de transporte para chegar ao centro da cidade são variadas. Só não vá contando com o Uber, porque por lá não existe esta opção.

De táxi, a corrida custou 319 DKK (R$190) e deslocamos por 13,4 Km. Achamos muito caro, mas depois ficamos sabendo que este tipo de transporte é mais custoso no país, já que o governo quer incentivar as pessoas a usarem os meios de locomoção públicos.

Também é possível pegar um trem para sair do aeroporto e chegar na estação central. O ticket custa 36 DKK (R$20,60) e pode ser comprado em alguma das máquinas expostas.  Você vai precisar do tipo 3-zone. Veja onde fica o seu hotel e qual a estação de metrô mais próxima, para saber onde desembarcar (pesquise mesmo antes de viajar e evite correria, ok?). Existem placas que te informam qual é o local de embarque.

#DicaPI. Na Dinamarca os bilhetes de metrô não precisam ser validados! Mas nem tente viajar sem o seu ticket… você pode ser multado em 750 DKK – mais de R$ 420. Compre o ticket antes de embarcar no metrô, não há outra opção.

Na cidade, pegamos temperaturas de 27 graus. A energia estava incrível!

Copenhagen Card

Quem gosta de descontos e quer visitar várias atrações na cidade pode apostar no Copenhagen Card, um cartão pré-pago que abrange várias atrações e meios de transporte. Confira os preços:

  • 24 horas: 54 EUR (R$ 236,70) para adultos e 27 EUR (R$ 118,35) para crianças;
  • 48 horas: 77 EUR (R$ 337,52) para adultos e 39 EUR (R$ 170,95) para crianças;
  • 72 horas: 93 EUR (R$ 407,66) para adultos e 47 EUR (R$ 206,02) para crianças;
  • 120 horas: 121 EUR (R$ 530,39) para adultos e 61 EUR (R$ 267,39) para crianças.
Copenhagen Card

O Copenhagen Card é o principal cartão de descontos e atrações da capital dinamarquesa | Crédito: site copenhagencard.com.

Além de cobrir muitos pontos importantes da cidade e região, o cartão dá descontos em restaurantes, bares e visitas guiadas. O turista recebe, também, um guia que pode ser acessado pelo celular.

Dica: o Copenhagen Card pode ser comprado, com antecedência, online! Imprima o voucher e apresente em uma das quatro localizações indicadas aqui. Dá até mesmo para sair do aeroporto já com seu cartão. Se preferir, compre presencialmente – aqui estão os pontos de venda espalhados pela cidade.

Dia 1

Viajar para a Dinamarca sai caro. E assim também é com Copenhagen. O custo, aliás, é bem alto para a hospedagem… escolhemos o Hotel Danmark, na região de Vesterbro. As diárias partem de R$ 800.

Quarto do Hotel Danmark

Em Copenhagen nos hospedamos no Hotel Danmark, localizado na região de Vesterbro

A localização foi um dos pontos fortes do nosso hotel – bem de frente para Parque Tívoli!! Mas, nosso quarto não tinha ar-concionado, o que não é incomum na cidade, já que é raro fazer calor por lá. Se isso para você for essencial, procure bem. Pesquisar o hotel com carinho é super importante e faz toda diferença na hora da viagem.

Deixamos nossas coisas no hotel e saímos para dar uma primeira volta pela cidade. Notamos uma coisa bem legal: os países nórdicos são conhecidos pela temperatura baixíssimas, por isso os locais ficam super ansiosos para ver o sol e sentir o calor na pele, sabe?

A cidade é bem pequena e, por isso, é possível fazer quase tudo a pé. Mas, se preferir, você pode utilizar os meios de transporte público. Falaremos sobre isso mais tarde.

Demos sorte: o 108 acaba de entrar na lista dos melhores do mundo!

108 Restaurante

Nosso primeiro jantar na cidade foi no restaurante 108! A casa é nada mais, nada menos, que a irmã mais nova do Noma (um dos melhores do mundo!). Além de ter um ambiente muito bonito, e inovar nos pratos e nas combinações de sabores – valorizando ingredientes simples, o 108 deixa os clientes livres para escolher entre o cardápio tradicional ou um menu degustação.

O 108 é o irmão mais novo do Noma

 

 

 

As opções à la carte saem a partir de 85 DKK (R$51). Para quem preferir uma experiência mais completa, o menu degustação de oito passos custa a partir de 1150 DKK (R$690). É fundamental fazer reserva pelo site. Principalmente agora que o 108 acaba de entrar na lista dos melhores do mundo!! O restaurante é caro e só vale a pena, de fato, para quem valoriza mais a experiência do que a comida.

108: aberto diariamente, das 17h à 0h.

Noma

Eleito o melhor do mundo por quatro vezes, o Noma é comandado por René Redzepi. A casa troca o cardápio algumas vezes ao ano, de acordo com as estações e os melhores ingredientes de cada temporada. Entenda: Game & Forest Season (entre outubro e dezembro de 2018), Vegetable Season (entre junho e setembro de 2018) e Seafood Season (para 2019).

Tamanho requinte tem um preço:

  • Menu degustação: 2.250 DDK (R$ 1.350)
  • Harmonização com vinho: 1.100 DDK (R$ 660)
  • Harmonização com suco 950 DDK (R$ 570)

O local foi reformado, e reaberto, recentemente. Por isso, reservas com muita antecedência são primordiais! O Noma é imperdível para os amantes da alta culinária. Então, quer conhecer? Garanta a sua mesa assim que comprar a sua passagem! Ou, então, reserve e depois compre a passagem – é sério. Não visitamos, mas recomendamos. #DicaPI

Noma: quarta a sábado, das 12h às 16h e 18h à 0h30.

Assista ao primeiro vídeo do nosso roteiro por Copenhagen!

Esse conteúdo faz parte da web série “PI na Estrada”, que mostrará diversos roteiros de viagem e é um produto exclusivo do Passagens Imperdíveis para o canal do Youtube.

Dia 2

Logo de frente para o nosso hotel, o Danmark, estava o Tivoli Gardens ou Parque de Diversões Tivoli. É um dos pontos mais tradicionais da cidade, existe desde 1843. E também é um dos partes mais antigos do mundo!

O Tivoli inspirou Walt Disney na criação da Disneylândia

Tivoli Gardens

O parque foi idealizado para ser um espaço que diverte e atrai pessoas de todas as idades – conheça aqui! O cenário é exótico, os jardins surpreendentes e há até mesmo alguns prédios históricos. Barraquinhas, lojinhas, comidas típicas e restaurantes se misturam. E, ah! Walt Disney visitou o Tivoli inúmeras vezes e muitos dizem que ele até mesmo se inspirou no lugar para criar a Disneyland, inaugurada só em 1955.

Um mix de nostalgia e mágica garante boas doses de entretenimento no Parque Tivoli. Ponto alto é a montanha-russa de madeira que está lá desde 1914! Mas funciona direitinho, tá? Recentemente, em 2017 atrações mais modernas foram adicionadas.

Dica: datas como Halloween, Natal e Ano Novo são especialmente incríveis no Tivoli, com decoração mais do que elaborada.

E qual o horário de funcionamento? No verão, entre março e setembro, abre de segunda a quinta e domingo, das 11h às 23; sexta e sábado, das 11h à 0h. Fique de olho porque no inverno os horários são bem diferentes!

Confira alguns preços:

  • Ticket avulso adulto: 110 DDK (R$ 66)
  • Ticket avulso criança de 3 a 7 anos: 50 DKK (R$ 30)
  • Ticket avulso criança acima de 8 anos: 120 DKK (R$ 72)
  • Ticket avulso para 2 dias adulto: 200 DDK (R$ 120)
  • Acesso ilimitado aos brinquedos: 230 DKK (R$ 138)

São muitas as possibilidades, então veja a que mais se adequa ao seu roteiro por Copenhagen. Ah! A atração é coberta pelo Copenhagen Card. 

Thorvaldsens Museum

Thorvaldsens Museum

Thorvaldsens Museum

Caminhamos por uns dez minutos a partir do Tivoli e chegamos ao Thorvaldsens Museum. O museu é dedicado exclusivamente ao artista neoclássico Bertel Thorvaldsen, um dos mais importantes da Europa. A entrada é paga, custa 70 DKK (R$ 42) e, nas quarta-feiras, é gratuita! #DicaPI

Funcionamento: terça a sábado, das 10h às 17h. Segunda-feira não abre. 

O Palácio de Christianborg

O Palácio de Christianborg

Palácio de Christianborg

Bem em frente ao Thorvaldsens conhecemos a região do Parlamento Dinamarquês, Palácio de Christianborg. Ela é bastante representativa já que ali estão os membros do poder legislativo do país.

 

 

A política na Dinamarca possui a figura de um monarca, rei, que é a mais significativa. O poder executivo é exercido pelos ministros, sendo o primeiro-ministro o mais importante deles. O legislativo pertence aos membros do parlamento, que trabalham na região.

É possível subir até a torre do Palácio de Christianborg gratuitamente, por elevador. Nos surpreendemos com a linda vista!

Quando não estão acontecendo atividades no parlamento as visitações são permitidas. O complexo abriga, ainda, um estábulo com charretes e cavalos reais e um teatro antigo – ambos podem ser visitados.

Palácio de Christianborg aberto diariamente, das 10h às 17h. A entrada é gratuita.

Emblemático Børsen

#FicaaDica. Se assim como a gente você tiver pouco tempo em Copenhagen, comece seu roteiro pelo Parlamento. Vários pontos estão perto dele, como o Thorvaldsen Museum e o prédio da Bolsa de Valores, Børsen.

Børsen

O Børsen é um dos prédios mais emblemático e antigo da cidade! Ele foi inaugurado em 1642 e serviu de espaço para um mercado local com mais de 40 comerciantes. Seu topo é acobreado e formado por quatro caldas de dragão que representam os reinos originais da Dinamarca, Suécia e Noruega.

É possível visitar apenas as redondezas do prédio. Entradas não são permitidas.

Catedral de Nosso Salvador

Catedral de Nosso Salvador

Catedral de Nosso Salvador

Com uma torre muito alta e uma belíssima vista da cidade, a Catedral de Nosso Salvador (ou Vor Frue Kirke) impressiona por sua arquitetura barroca. Foi construída em 1680 e tem como ponto de destaque uma torre em caracol. Chegar ao topo? Suba os 95 metros através de 400 degraus e, como presente, receba uma vista incrível de toda Copenhagen. 

Do alto da catedral é possível ver importantes prédios da cidade, além da ponte que liga a Rússia à Suécia.

Vor Frue Kirke: aberta diariamente, das 8h às 17h.

 

Christiania

A entrada da comunidade Christiania

Christiania

Caminhamos menos de três minutos, a partir da catedral, e chegamos na entrada da comunidade Christiania. Antes de 1971 era uma base militar que foi abandonada e ocupada por pessoas consideradas anarquistas, como hippies e sem-teto. Na região, alguns moram e vivem e possuem uma lei própria – por isso o local é chamado, também, de Cidade Livre. É uma comuna dentro da cidade de Copenhagen.

Green Light District. Christiania pratica a liberdade em todos os sentidos, inclusive na venda e utilização de maconha. No final da comuna existe uma feirinha que comercializa a cannabis. Na Dinamarca é ilegal seu uso e comercialização, mas a comunidade não segue as leis do país. Sendo assim, é importante destacar que fotos e registros no interior do local são proibidos!

Cais de Nyhavn

Seguimos o nosso corrido roteiro de 2 dias em Copenhagen e fomos ver, de perto, os Cais de Nyhavn – uma das regiões mais populares da cidade. Eles foram construídos entre 1671 e 1673 para permitir que os navios mercantes entrassem no país. Com isso, muitos mercadores foram morar nas suas margens e foi uma época de grande riqueza por lá.

Os Cais de Nyhavn

Os Cais de Nyhavn

Você sabia? Durante as Guerras Napoleônicas, o local foi bombardeado e o período de pompa chegou ao fim. A boa reputação só voltou quando o escritor Hans Christian Andersen foi morar em Nyhavn e seus contos começaram a fazer sucesso.

Atualmente, os prédios são cafés e restaurantes e quando o sol brinda Copenhagen com momentos de calor, a população vai até o cais se divertir.

Pelos canais é possível fazer um passeio de barco com uma hora de duração e passar pelos principais pontos da cidade como a Ópera, a Pequena Sereia e o Palácio de Amalienborg. O passeio se chama Canal Tours e está incluso no Copenhagen Card.

Caso você não tenha o cartão, o passeio custa 85 DKK (R$ 51) para adultos e 43 DKK (R$ 25,80) para crianças de até 15 anos. Funciona diariamente, mas os horários variam bastante de acordo com a época do ano. Confira aqui e programe-se.

Palácio de Amalienborg

Nossa próxima parada foi o Palácio de Amalienborg. Quatro prédios iguais, dispostos em torno de uma praça, formam o complexo. Ao centro está a estátua de rei Frederik V montando em um cavalo no centro.

Quem foi Frederik? Rei da Dinamarca de 1808 até sua morte, foi importante para o país porque realizou uma série de reformas como a liberdade de imprensa, direito civil dos judeus e abolição do comércio de escravos.

Atualmente, parte do Palácio abriga a família real e só um dos prédios está aberto para a visitação do público. Neste, existe um museu com obras que retratam a monarquia e suas tradições. A entrada custa 95 DKK (R$ 57).

Amalienborg pode ser visitado entre maio e outubro, diariamente, das 10h às 16h (horários podem variar de acordo com a temporada). Entre os meses de novembro e dezembro a visitação acontece entre terça e domingo, das 11h às 16h. Confira aqui mais detalhes.

A troca de guardas é uma atração a mais do local e ocorre todos os dias, no centro da praça.

Statens Museum for Kunst

Deixamos o Amalienborg para conhecer o Statens Museum for Kunst, considerado o “Louvre” dinamarquês pelo seu tamanho e importância. Ele é composto por várias obras adquiridas pelos monarcas ao longo dos séculos.

Statens Museum dor Kunst, ou o Louvre da Dinamarca 

São encontrados vários artistas como Mantegna, Nolde e Matisse – todos grandes nomes da Dinamarca. Eles são pintores da Era de Ouro, que data entre o fim do século XVIII e o início do século XIX.

O museu funciona de terça a domingo, das 11h às 17h. Nas quartas, ele abre às 11h e fica até às 20h. O ingresso custa 110 DKK (R$ 66) – adultos de até 30 anos pagam 85 DKK (R$ 51). Mais informações podem ser encontradas no site.

Den Lille Havfrue (A Pequena Sereia)

A estátua da Pequena Sereia foi um esculpida por Edvard Eriksen, em 1913. Ela se tornou um grande símbolo de Copenhagen por ficar na beira no porto, observando as águas que banham a cidade e, também, por homenagear a obra do autor Hans Christian Andersen.

Em 1964, ela sofreu um ato de vandalismo e teve sua cabeça arrancada. Porém, passou por uma restauração e está no local bem plena, atraindo os olhares e flashes dos turistas.

Mc Donalds Dinamarca

Um Big Mac em Copenhagen sai por 30 DKK (R$ 18)

Momento McDonald’s: como em toda grande cidade, o McDonald’s está presente. E, neste caso, salvando a economia (a história do “quem converte não se diverte” não vale para Coroa Dinamarquesa). Um Big Mac em Copenhagen sai por 30 DKK (R$ 18) e a promoção do Big Tasty por 72 (R$ 43). Nada mal.

Onde mais comer?

Na capital da Dinamarca existem muitos restaurantes com pratos do Oriente Médio.

Trata-se de uma boa opção para comer bem, pagando barato – além do fast food, não muito popular por lá. Os pratos custam, em média, 40 DKK (R$ 24).

Assista ao nosso segundo dia em Copenhagen! Vem com a gente 😉

Esse conteúdo faz parte da web série “PI na Estrada”, que mostrará diversos roteiros de viagem e é um produto exclusivo do Passagens Imperdíveis para o canal do Youtube.

Só 2 dias em Copenhagen?

Nosso roteiro de 2 dias por Copenhagen foi corrido, mas compartilhamos mais dicas para você que está se preparando para conhecer a cidade! Partiu?

Frederik’s Church

Localizada no centro de Copenhague, em frente ao Palácio de Amalienborg, está a Igreja de Mármore – ou Frederik’s Church, que levou mais de um século para ser construída. O trabalho de construção começou em 1749, como parte de um grande plano de criação de um novo distrito da cidade chamado Frederiksstaden. Quem teve esta ideia foi o rei Frederico V. Porém, o arquiteto que a desenhara morreu e a obra teve continuidade por outra pessoa que redesenhou. Por várias questões financeiras a conclusão do prédio foi adiada. A inauguração aconteceu apenas em 1894. Funcionamento: de segunda a quinta e sábado, das 10h às 17h. Sextas e domingos, das 0h às 17h.

Rundetaarn

Construída no século XVI, abriga o observatório astronômico da Dinamarca. A torre redonda com 35 metros de altura tem uma ótima vista da antiga Copenhagen. É possível subir até o alto por uma rampa espiral de 209 metros de extensão, que passa por algumas exposições. Também se passa por um chão de vidro que te permite ver a base da torre a 25 metros de altura.

A entrada custa 25 DKK (R$ 15) e deve ser comprada aqui. Funcionamento: entre maio e setembro, no verão, todos os dias das 10h às 20h. Na temporada de inverno, entre outubro e abril, segunda e quinta a domingo, das 10h às 18h; terça e quarta, das 10h às 21h.

Strøget

Uma das ruas de pedestre mais antigas da Europa! Ela começa na praça da prefeitura e vai até Kongens Nytorv. É uma boa opção para bater perna e fazer algumas comprinhas.

Visit Carlsberg

Com o Copenhagen Card é possível visitar a fábrica de cerveja Carlsberg, fundada em 1847. Há um tour por toda sua estrutura. A história dela é contada a partir de vídeos, documentos e reconstruções. Até a carroça que entregava as cervejas no princípio pode ser encontrada.

Ingressos:

  • Adulto: 100 DKK (R$ 60)
  • Adulto com almoço: 179 DKK (R$ 107,40)
  • Degustação: 80 DKK (R$ 48)
  • Tour histórico: 60 DKK (R$ 36)

Confira aqui a opção mais adequada para você. Horário de funcionamento: de outubro a abril, diariamente, das 10h às 17h. De maio a setembro, terça a domingo, das 10h às 17h.

Ny Carlsberg Glyptotek

Carl Jacobsen é um cervejeiro que ofereceu sua coleção de arte à Copenhagen, em 1888. As obras são egípcias, greco-romanas, dinamarquesas e francesas e somam mais de 10 mil. Também possui um jardim de inverno mediterrâneo com um espelho d’água que recebe luz de um domo de vidro. O museu abre de terça a domingo, das 11h às 18h, na quinta, abre às 11h e vai até às 22h. O valor do ingresso é 115 DKK (R$ 69). Às terças, a entrada é gratuita.

Relae

Considerado um dos melhores do mundo, o Reale trabalha com comida saborosa, sem frescuras. Simplicidade está em seu caminho, assim como alimentos orgânicos. Reservas são imprescindíveis! O menu degustação custa 475 DKK (R$ 285) e a harmonização sai por 395 DKK (R$ 235,20). Já a experiência mais completa tem preços de 895 DKK (R$ 537) e 685 DKK (R$ 411) para a harmonização. Funcionamento: terça a quinta, das 17h à 0h; sexta e sábado, das 12h às 15h e 17 à 0h. Não abre aos domingos e segundas.

Geist

Para uma experiência completa baseada nos ingredientes nórdicos, visite o Geist. O menu não é fixo e varia de acordo com a disponibilidade dos produtos. Não deixe de reservar, caso queira conhecer. O almoço, com dois pratos, trem preço de 250 DKK (R$ 150). Outras opções estão disponíveis. Aberto diariamente das 12h às 15h e das 17h30 à 1h.

Geranium

Culinária escandinava moderna, assinada pelo chef Rasmus Kofoed – nada menos que três estrelas Michelin. A casa figura no alto da lista das melhores do mundo. Seu menu degustação sai por 2.500 DKK (R$ 1.500) – harmonização com vinho a partir de 1.400 DKK (R$ 840). Reservas são altamente recomendáveis, com mais de 90 dias de antecedência, e pedem um depósito de 750 DKK (R$ 450) para garantia do lugar. Já avisamos que a localização é, digamos, peculiar: em um estádio de futebol. Aberto de quarta a sábado, das 12h às 15h30 e das 18h30 à 0h.

Helsingor

Para quem for ficar mais dias na Dinamarca, saiba que existe a possibilidade de passear por Helsingor. A cidade está localizada a 47 km de Copenhagen e tem como principal atração o Castelo de Kronborg.

Castelo de Kronborg

O Castelo de Kronborg serviu de ambientação para Hamlet, de Shakespeare. Ele é tombado como patrimônio da Unesco e, antes de ser um castelo, era uma fortaleza militar, construída no século XV, para controlar as taxas de saída dos navios que iam até a Dinamarca e circulavam pelo Mar Báltico. No século XVI, Frederick II mandou construir um imponente castelo dentro da fortaleza para que ele mesmo acompanhasse os navios que passassem pela região.

É possível visitar o castelo e ver os móveis da família real. A entrada no castelo e o transporte até lá estão inclusos no Copenhagen Card.

A viagem entre Copenhagen até Helsiongor dura 45 minutos. Basta pegar um trem regional no sentido Helsingor – incluso no Copenhagen Card. Ingressos: de novembro a maio, 90 DKK; de junho a agosto, 140 DKK. O funcionamento varia de acordo com a época do ano. Confira aqui.

#DicaPI: também vale a pena visitar o centro histórico da cidade de Helsingor. É super charmoso!!

Hillerod

Apenas 23 km separam Helsingor de Hillerod. As cidades podem (e devem) ser visitadas em um mesmo dia. É uma viagem rápida e os trens saem a cada 30 minutos. Ponto de destaque por lá é o Castelo de Frederiksborg, o maior castelo renascentista da Escandinávia. Ele fica aberto todos os dias da semana, mas os horários mudam ao longo dos meses. Confira aqui. Ingressos por 75 DKK. Também é coberto pelo Copenhagen Card.

O metrô de Copenhagen conta com 2 linhas (M1 e M2) | Crédito: site intl.m.dk.

Metrô em Copenhagen

A cidade é plana, as distâncias curtas e o clima agradável. Por isso é possível fazer quase tudo caminhando. No entanto, caso você queria usar o metrô não há muita dificuldade.

O valor do ticket único é de DDK 24 para 2-zone e 36 DKK, para 3-zone. A cobrança é realizada pelo número de zonas percorridas.

 

 

Uma opção para quem quer economizar é o Citypass. Com ele você pode utilizar o transporte público por quantas vezes quiser, no tempo de validade do seu cartão. É válido tanto no metrô, quanto nos trens e bondes.

Confira os preços:

  • 24 horas: 80 DKK (R$ 48)
  • 48 horas: 150 DKK (R$ 90)
  • 72 horas: 200 DKK (R$ 120)
  • 120 horas: 300 DKK (R$ 180)
  • Crianças de até 12 anos não pagam.

O Citypass pode ser comprado online e o ticket fica disponível no seu celular! Outra opção é a compra em uma das máquinas localizadas nas estações de metrô. Ou você pode apostar no Copenhagen Card, que já explicamos anteriormente.

Bycyklen

É possível alugar uma bike elétrica por meio do Bycyklen | Crédito: site bycyklen.dk.

De bike em Copenhagen

Você ainda pode alugar uma biclicleta elétrica, pelo sistema de compartilhamento Bycyklen. Mais de 100 estações estão espalhadas pela cidade.

O custo é de 30 DKK/hora (R$ 18), ou você pode pagar 500 DKK (R$ 300) por 20 horas de utilização, no modelo pré-pago. Para utilizar, registre-se aqui. As bikes estão equipadas com tablets e mapa GPS. É perfeito para quem quer viver um pouco da rotina de um dinamarquês.

Até breve Copenhagen

Com vontade de ficar mais, nos despedimos de Copenhagen e seguimos para Moscou. Voamos pela Aeroflot, por 2h30.

Aproveite que você já sabe tudo sobre a capital da Dinamarca e embarque também! Para te ajudar na compra da passagem, aconselhamos que baixe nosso aplicativo. Ele é gratuito em todas as lojas de aplicativo (iOS, Androide Windows Phone) e te envia notificações a cada promoção de passagem aérea que encontrarmos.

Além do app, nos acompanhe nas redes sociais – Facebook, Instagram, Twitter – e se inscreva no nosso canal do YouTube. Sempre divulgamos conteúdo de viagem e dicas muito legais!

Até a próxima! 🙂