Home > Dicas de viagem > Salvador: roteiro de 2 dias (final de semana) na capital da Bahia!

Salvador: roteiro de 2 dias (final de semana) na capital da Bahia!

Viagem realizada por Talita Ribeiro em abril/2017 | Você que nos acompanha no stories do Instagram, já sabe que passamos um final de semana lindo em Salvador, a capital da Bahia. E, o melhor, aproveitando as dicas de nossos seguidores, que compartilharam excelentes sugestões para este roteiro de 2 dias!

Infelizmente, não conseguimos ir a todos os lugares, porque recebemos centenas de mensagens e tínhamos apenas 2 dias na cidade. Mas vamos citá-las neste post para que você possa aproveitá-las.

Já podemos começar com uma orientação sobre o que fazer em caso de voo atrasado, cancelado ou overbooking (nosso voo para Salvador atrasou por algumas horas).

Antes, porém, precisamos agradecer muito pela colaboração, companhia e carinho que nosso seguidores compartilharam durante essa viagem. Tudo foi ainda mais especial graças a vocês!

#PIInforma: os preços divulgados neste post correspondem à época em que viajamos para a capital da Bahia, em abril de 2017. Portanto, quando você viajar, os valores podem ser diferentes. Nosso intuito, ao divulgar preços, é dar uma noção para você se planejar melhor!

O que nós visitamos na cidade e recomendamos neste roteiro de 2 dias por Salvador:

Roteiro por Salvador: dia 1 – Pelourinho

Pelourinho_Bahia

Pelourinho, em Salvador

É o coração da cidade e da nossa história também, com seu casario colonial colorido, dos séculos 17 e 18, ruas de pedra, ateliês, igrejas e restaurantes. Ele foi declarado Patrimônio da Humanidade em 1985 e é um passeio imperdível, tanto para quem gosta de arte e arquitetura e quer conhecer um pouco mais do barroco português quanto para quem quer apenas tirar belas fotos.

Ficamos impressionados pela limpeza e segurança do local, que contava com muitos policiais nas ruas no dia da nossa visita, um sábado. Porém, para evitar dor de cabeça, é recomendável que você não saia do circuito turístico, entre as igrejas e conventos do Carmo e São Francisco, Casa Azul, etc. Para ajudá-lo a saber por onde andar, nós fizemos um mapinha com as principais atrações e restaurantes (disponível no final do post). Mas você também pode pegar um de papel e receber informações confiáveis no posto da Bahiatursa, na rua das Laranjeiras.

sorveteria acubana salvador

Sorveteria A Cubana, em Salvador

A melhor forma de circular por essa região é andando, já que carros não podem passar na maioria das ruas. Você pode ir de táxi ou Uber, por exemplo, até a parte baixa do Elevador Lacerda – que é obrigatório e custa apenas R$ 0,15 -, e começar o passeio lá, subindo para o Terreiro de Jesus. Mas, antes, visite o Mercado Modelo e garanta lá suas lembrancinhas, além de lindas peças rendadas. Ah! E na saída superior do elevador há a sorveteria A Cubana, a nossa favorita, com diversos sabores de frutas regionais (R$ 9,50 duas bolas), como umbu, pitanga e coco verde.

De lá vale a pena passar em frente à Catedral Metropolitana de Salvador, que está em reforma, no Largo do Cruzeiro, onde aos finais de semana há apresentação de capoeira, e seguir para a igreja que nós, particularmente, consideramos uma das mais bonitas e impressionantes do mundo – sim, do mundo!

A Igreja e Convento de São Francisco é deslumbrante, com seus altares feitos de madeira e ouro (mais de 800 quilos!), anjos barrocos e detalhes rococó. Sem falar nas pinturas feitas em mais de 50 mil azulejos, divididos em 37 painéis no claustro. Vale muito a pena separar uma horinha para apreciar com calma cada detalhe desta que é a principal construção barroca da Bahia. O ingresso custa R$ 5 e você pode tirar fotos de tudo, desde que sem flash – essa regra vale para a maioria de museus e igrejas.

De lá você pode seguir para a rua onde está a escola do Olodum. Os jovens ensaiam e muitas vezes se apresentam gratuitamente (você pode conferir a programação no site do projeto).

Outra atração que vale a visita é a Fundação Casa de Jorge Amando, popularmente conhecida como Casa Azul, no Largo do Pelourinho, que abriga alguns objetos pessoais de Jorge Amado, além de um café delicioso, batizado com o nome de sua esposa, a também escritora, Zélia Gattai.

Mas se você estiver com fome, o que aconselhamos mesmo é que se delicie com o bufê do Restaurante Escola do Senac, que fica a poucos passos dali. Por R$ 56, você pode comer à vontade 40 pratos típicos da culinária baiana, com ou sem dendê. Guarde um espacinho para a sobremesa, que também está inclusa nesse valor, com opções de doces de compota, cocada, quindim, manjar, etc.

Escadaria da Igreja do Passo

Escadaria da Igreja do Passo

Para queimar um pouquinho dessas calorias, você pode continuar andando rumo à Escadaria da Igreja do Passo, onde foi gravado o filme Pagador de Promessas. Também há um grafite lindo no local – aqui vale um adendo: a street art em Salvador está incrivelmente interessante, com painéis coloridos por toda a cidade.

Se você continuar subindo a Ladeira do Carmo, chagará até a Igreja e o Convento do Carmo, onde há um hotel super charmoso e confortável do grupo Pestana. Foi lá que nos hospedamos, em um quarto bem amplo e confortável (aproveite a piscina, que fica aberta 24 horas). Se quiser só conhecê-lo, sem se hospedar, é possível fazer uma reserva no restaurante do hotel – recomendo especialmente o café da manhã aos domingos, que conta com vários pratos regionais, como carne de sol, banana da terra e cuscuz nordestino.

Falando em comida, na mesma rua do hotel está o café mais amado pelos seguidores do Passagens Imperdíveis, que tem uma vista deslumbrante para o mar e um deque concorrido para ver o pôr do sol: Cafelier. Anote aí, porque 9 entre 10 moradores locais indicam esse lugar! 😉

Para o jantar, recomendamos a região da Marina, onde há restaurantes de culinária internacional, como o Lafayette, que serve excelentes peixes e risotos, o Soho, de comida japonesa, e o Amado, com uma vista maravilhosa.

Roteiro por Salvador: dia 2 – Rio Vermelho, Bonfim e outros paraísos

Acorde cedinho e vá ver a linda vista do Farol da Barra, onde está o Museu Náutico da Bahia (R$ 15), que conta um pouquinho sobre as primeiras embarcações que aqui chegaram e te dá acesso ao belíssimo terraço com vista para a praia, além do Farol – prepare-se para subir mais de 80 degraus em uma escada circular.

De lá, você pode pegar um táxi ou Uber até a Casa do Rio Vermelho (R$ 20), uma das atrações culturais mais bonitas e poéticas de Salvador. A casa de Jorge Amado e Zélia Gattai é um refúgio de passarinhos e boas histórias, o jardim é o nosso local preferido, mas dá para ver vários cômodos, a máquina de escrever do escritor, além de lindas cartas de amor.

restaurante_paraiso_tropical_salvador

Prato no restaurante Paraíso Tropical, em Salvador.

No Rio Vermelho há ainda 2 dos acarajés mais famosos de Salvador: da Dinha e da Regina, no Largo de Santana. Outras opções recomendadas para quem gosta do bolinho de feijão fradinho frito são: o acarajé da Cira, em Itapuã; e da Sônia, no Farol da Barra.

Mas acabamos optando por ir ao restaurante Paraíso Tropical para experimentar as famosas moquecas com frutas e lascas de coco verde. O restaurante é mais caro, porém, é maravilhoso – comemos toda a moqueca individual de polvo, que estava macio e super saboroso. Outro destaque são os sucos das frutas do pomar, que você também pode visitar (só não se esqueça de passar repelente antes).

De lá, fomos para a Igreja do Bonfim agradecer pelo banquete e amarrar a fitinha com três nós no portão da igreja, fazendo os três pedidos, claro, e tirando fotos clássicas na escadaria com o colorido das fitas atrás. Na igreja há ainda uma curiosa salinha de agradecimento por milagres, com velas em formatos diversos.

Museu de Arte Moderna da Bahia

Museu de Arte Moderna da Bahia

Ali perto está a famosa Sorveteria da Ribeira, onde a bola custa R$ 8 e há dezenas de sabores. Recomendamos, particularmente, que você experimente os de frutas locais, que tendem a ser mais naturais e menos doces.

Para o entardecer, uma boa pedida é ir ao Museu de Arte Moderna da Bahia, onde há apresentação de jazz aos sábados, o Jam no MAM, que é um evento cheio de gente interessante. Ah! E a entrada é super em conta: R$ 8,00 (inteira) e R$ 4,00 (meia).

Dicas para aproveitar melhor seu roteiro de 2 dias por Salvador

Uber é (bem) mais barato que táxi do aeroporto para o Pelourinho, por exemplo, a diferença pode ser até de R$ 100. Ao se cadastrar com o nosso código, v2sz9, você pode ganhar até R$ 20 de desconto, e nós também! 🙂

Não mergulhamos no mar, porque tínhamos pouco tempo e queríamos aproveitar a parte cultural e gastronômica da cidade. Mas se você quiser, as praias de Salvador mais indicadas são: Itapuã, Flamengo e Stella Maris, mais distantes do centro e com melhores condições de balneabilidade.

Tivemos sorte, pois visitamos Salvador em abril e quase não tomamos chuva. Na verdade, pegamos dias lindos de sol, mas nesse mês e em junho costuma chover bastante.

Que tal acompanhar este roteiro de 2 dias por Salvador em vídeo? Assista ao vlog que postamos em nosso canal do YouTube!

Roteiro de 2 dias por Salvador: que tal subir o Pelourinho, conhecer a Igreja de São Francisco e o Museu de Arte Moderna com a gente? Vamos te contar, também, sobre como é a segurança em Salvador, como é se hospedar no Pestana Convento do Carmo e vamos dar dicas dos melhores restaurantes.

Outras atrações de Salvador sugeridas pelos seguidores do PI