Toscana: roteiro de 6 dias pela região

A Toscana é uma das mais belas regiões da Itália e atrai milhares de visitantes em todas as estações do ano. E não é à toa, pois suas inigualáveis cidades medievais, cheias de lindas colinas repletas de vinhedos que produzem alguns dos melhores vinhos do mundo, uma paisagem encantadora de vinhas e de ciprestes realmente compõem os cenários dos sonhos.

Compilado da viagem compartilhada em tempo real em nosso Instagram (@passagensimperdiveis), através dos InstaStories, no mês de Maio/2017. Os preços e demais informações são relativos a esta época. Vem (re)ver tudo de lindo que a Itália tem! O post escrito sobre a Toscana, com todos os detalhes deste destino (assim como hoteis, vinícolas, restaurantes, ingressos, etc.) pode ser encontrado no seguinte link: https://www.passagensimperdiveis.com.... Inscreva-se no canal: https://www.youtube.com/passagensimpe... Vem ver o que estamos aprontando por esse mundão: Site do PI – https://www.passagensimperdiveis.com.br Instagram: https://www.instagram.com/passagensim... Facebook: https://www.facebook.com/passagensimp... Twitter: https://www.twitter.com/passagensimperd Quer viajar MUITO, gastando POUCO? Faça o download do nosso app gratuito e seja o primeiro a saber das melhores promoções de passagens aéreas: App GRÁTIS para iOS: http://pij.cc/appios App GRÁTIS para Android: http://pij.cc/appandroid App Grátis para Windows Mobile: http://pij.cc/appwindowsphone E-mail: [email protected] Direção, produção e edição: Passagens Imperdíveis

Acompanhe o nosso roteiro de 6 dias pela Toscana e, saiba, desde já, como aproveitar melhor a sua viagem que, independentemente da fase de planejamento em que ela se encontra – seja sonho, programação ou breve realidade – vai acontecer!

Seja qual for o seu perfil de viajante, a Toscana tem muito a te oferecer e uma viagem pra lá certamente estará entre uma das melhores que fará na vida. Durante a nossa estadia por lá, passamos pelas cidades de Florença, Greve in Chianti, San Gimignano, Siena, Montalcino e Pienza. Veja o mapa:

Então, para montar seu roteiro pela Toscana, navegue como quiser!

Como se locomover entre as cidades da Toscana

Trem, avião ou carro? Como escolher o melhor meio de transporte para desfrutar o melhor da Toscana? Já adiantamos que o avião serve apenas para chegar até a Toscana, já que existem apenas dois aeroportos: um em Firenze e o aeroporto principal, que fica na cidade de Pisa.

Portanto, restam duas opções: carro ou trem. Não existe uma resposta certa para esta pergunta, por uma questão muito simples: depende do tipo de turismo que você pretende fazer.

Durante a nossa viagem, optamos por conhecer a Toscana de carro. Esta, em nossa opinião, é a melhor forma de aproveitar o seu tempo e dinheiro, realizando atividades de deslocamento no roteiro pela Toscana de uma maneira mais confortável, mais rápida e menos trabalhosa. Ainda mais quando você está viajando com pelo menos mais uma pessoa que possa revezar no volante.

Mas, antes de começarmos a falar sobre o roteiro e as cidades, especificamente, queremos compartilhar com vocês uma dica que será útil para qualquer itinerário que quiserem traçar, seja nessa viagem, seja em qualquer outra: o Google Maps.

Independentemente da sua opção de meio de locomoção, ele deverá ser seu melhor amigo durante uma viagem. E sabem por quê? Porque ele sempre vai te ensinar a chegar em algum lugar.

#DicaPI: Para alugar carro durante a sua viagem para a Itália, confira valores no nosso parceiro!

Melhor época para viajar

Viajar para a Toscana é sempre uma grande experiência, cada época tem algo especial para oferecer. A região é linda o ano todo e tem sempre uma atração melhor do que a outra, não é? Então venha em todos os períodos e confira quais são as suas temporadas:

  • Alta temporada: verão (junho a setembro), entre Natal e Réveillon e Semana Santa
    • Neste período reserve tudo com antecedência: hotéis, carros, passeios, etc.
  • Baixa temporada: outono e inverno (novembro a março);
  • Média temporada: primavera (março a junho).

Dia 1 – Florença

A lista de coisas para conhecer em Florença é grande. Mas, infelizmente, em uma viagem com o tempo limitado – como é a situação da maioria dos viajantes – talvez não seja possível conhecer todos os locais que deseja. Por isso focaremos aqui nas principais atividades.

Quantas vezes mais voltarmos a Florença, certamente encontraremos novas atrações. A cidade é linda, encantadora, uma verdadeira aula de história a céu aberto! Nada deve ser considerado como obrigatório. Uma viagem é um momento especial demais para nos sentirmos obrigados a fazer algo que não queremos né? Siga, portanto, seu coração e seja feliz nessa cidade que, definitivamente, ganhou o nosso coração!

Sendo assim, se você não for passar muitos dias na cidade, o ideal é economizar tempo nas filas, já que ela oferece diversas atrações imperdíveis. Para isso, o ideal é comprar o Firenze Card, o cartão turístico que facilita a vida de muitos viajantes.

Piazza Del Duomo e Cattedrale di Santa Maria Del Fiore

A Piazza Del Duomo é uma grande praça pública do centro histórico de Florença. Devido a sua localização privilegiada, é um dos locais mais visitados da Europa. Dentre os principais pontos de interesse, destacam-se o Duomo de Florença, que dá nome ao local; o Campanário de Giotto; o Batistério de São João e o Museo dell’Opera del Duomo.

O Duomo de Florença, também conhecido como Cattedrale di Santa Maria Del Fiore  encontra-se na Piazza del Duomo. Sua construção foi iniciada no final do século XIII com o projeto de Arnolfo di Cambio.

O local é, de fato, um dos mais impactantes do roteiro, e considerado o grande marco da cidade. Da cúpula Cattedrale di Santa Maria Del Fiore (onde só tem acesso mediante pagamento e agendamento prévio), é possível ter acesso a um panorama inesquecível de 360 graus da cidade de Florença. Atenção: a subida não é indicada para quem não tem fôlego: são 463 degraus de pedra.

  • Funcionamento: de segunda a sexta-feira, das 10h às 16h30, aos sábados das 10h às 16h45 e aos domingos das 13h30 às 16h30. Fechado 1º de janeiro e 25 de dezembro.
  • Endereço: Piazza del Duomo, Firenze
  • Entrada: na catedral/igreja é gratuita; ingresso combinado para a cúpula, o batistério, o campanário, a cripta e o museu: 18 (é obrigatório portar o bilhete impresso). Mais informações!

Piazza della Signoria

Uma das mais importantes de Florença, a Piazza della Signoria (Praça da Senhoria), está situada entre a Piazza del Duomo e o rio Arno. É considerada o centro da vida fiorentina há séculos, e conta com muitas obras renascentistas espalhadas pelo local, dentre elas, uma réplica de David, de Michelangelo, que está lá desde 1910. A original foi retirada em 1873 e levada à Galleria dell’Accademia.

  • Localização: Piazza della Signoria, Florença

Palazzo Vecchio

O Palazzo Vecchio (Palácio Velho) é o primeiro a atrair a atenção do visitante que entra pela primeira vez na Piazza della Signoria. Sua forma de castelo e sua torre de 94 metros de altura são um dos símbolos de Florença.

O local, que também é sede da Prefeitura e da Câmara Municipal Fiorentina, foi projetada entre 1298 e 1314, para a “signoria”, que era o nível mais alto do governo municipal. Uma de suas atividades imperdíveis é a subida, através de uma escada de pedra, à Torre d’Arnolfo. O local também foi um dos cenários do filme “Inferno”, de Dan Brown.

O Palazzo Vecchio não costuma ter muitas filas, podendo a aquisição dos ingressos ser feita ali mesmo, na hora. O ingresso mais completo (Museu + Passeio Arqueológico + Torre) custa €23.50.

  • Funcionamento:
    • Abril – Setembro: Todos os dias, exceto quintas-feiras: 9h às 23h; quinta-feira: 9h às 14h
    • Outubro – Março: Todos os dias, exceto quintas-feiras: 9h às 19h; quinta-feira: 9h às 14h

Última entrada 1 hora antes do encerramento.

Dias de encerramento: 25 de dezembro

  • Endereço: Piazza della Signoria – 50122 Firenze
  • Entrada:
    • Torre e ameias: adultos: jovens entre 18 e 25 anos: €10

Menores de 18 anos: entrada gratuita.

    • Museu e sítio arqueológico: adultos: €20

Jovens entre 18 e 25 anos: €16,50
Menores de 18 anos: entrada gratuita.

    • Museu, torre e sítio arqueológico: adultos: €23,50

Jovens entre 18 e 25 anos: €20,70
Menores de 18 anos: entrada gratuita.

Ponte Vecchio

ponte vecchio em florença

A Ponte Vecchio é uma ponte em arco medieval sobre o Rio Arno, em Florença | Foto: Commons Wikimedia

Com suas casas e lojas suspensas, a Ponte Vecchio é uma das pontes mais famosas do mundo. Como curiosidade, a “Ponte Velha” também é a ponte de pedra mais antiga da Europa.

Sua existência se dá desde o ano de 972. E, até o século XVI era ali que funcionava o comércio de carnes (açougue e peixaria), ocasião em que um dos Médici determinou que não mais poderiam trabalhar os açougueiros, que vira e mexe dispensavam carcaças de animas no Rio Arno, mas sim joalheiros, que lá são permitidos até os dias atuais;

Reza a lenda que, ao cruzar a Ponte Vecchio, o casal deve se presentear com um item de ouro, um anel, ou algo do tipo, para garantir a boa sorte do relacionamento. Portanto, aos apaixonados que assim querem permanecer, #ficadica.

  • Localização: Conecta as ruas de Santa Maria e Guicciardini

Dia 2 – Florença

Galleria dell’Accademia

Fundada em 1784, a Galleria dell’Accademia é o museu de belas artes de Florença. Um dos mais importantes, afinal, é onde está a peça original de David, de Michelangelo. É bem menor que a Galleria degli Uffizi, mas a fila é igualmente gigante. A dica é: já esteja com os ingressos em mão no horário escolhido e pegue somente a fila de verificação de segurança.

Mesmo que não aprecie esse tipo de arte, vale a pena para ver a peça de Michelangelo. A estátua é enorme e os detalhes impressionantes. Recomendamos, sem dúvidas, a compra do ingresso antecipado, ou então do Firenze Card, já que qualquer uma dessas opções lhe dará o direito de ingressar na atividade sem enfrentar filas regulares, que são muito grandes.

  • Funcionamento: De terça a domingo, de 8h15 às 18h50
  • Endereço: Via Ricasoli, 58/60, Florença
  • Entrada: €12

David, de Michelangelo

peça original de david, de michelangelo

Peça original de David, de Michelangelo, na Galleria dell’Accademia | Foto: Passagens Imperdíveis

O David, de Michelangelo, é realmente de tirar o fôlego. O maior tesouro da Galleria dell’Accademia em Florença conta com mais de cinco metros da obra, carregados de intenso realismo e sutilezas. É possível perceber cada detalhe do corpo, músculos, expressões e até as veias dos braços.

Pensando que se trata de uma obra entalhada com um nível surreal de detalhes, a partir de um único bloco de mármore Carrara e esculpida nos anos de 1501 a 1504, já temos motivos suficientes para querer ver, de perto, se tudo isso é verdade.

É emocionante chegar aos pés de David, de Michelangelo, principalmente ao perceber que ele quis transmitir com cada um dos detalhes que entalou naquele bloco de mármore. Vale a pena visitar a Galleria e ver, de pertinho, o David, de Michelangelo.

Piazzale Michelangelo

Responsável pelo por do sol e a vista mais incrível da cidade, a Piazzale Michelangelo é uma das maravilhas de Florença. Construída sobre uma colina ao sul do rio Arno, o que dá ao seu público o direito de apreciar uma paisagem esplêndida.

Além de não custar nada para você ir até lá, pode ter certeza que será um passeio muito bom e prazeroso. Muitos turistas costumam ir no final da tarde, por causa do por do sol. A forma mais legal de chegar à Piazzale Michelangelo é à pé, aproveitando o caminho que,  por si só, já é uma atração imperdível.

Quando estivemos lá, em maio de 2017, o sol começou a pôr por volta das 18h25. Portanto, nossa dica é: chegue antes, por volta das 17h30 para apreciar o visual e tirar muitas fotos lindas.

Galleria degli Uffizi

galleria degli uffizi em florençag

A Galleria degli Uffizi é um palácio situado em Florença e abriga um dos mais antigos e famosos museus do mundo | Foto: Commons Wikimedia

A Galleria degli Uffizi é uma das mais belas galerias de arte, não só da Itália, mas de todo o mundo, pois possui um inestimável patrimônio de obras de arte. Localizada dentro do Palazzo defli Uffizi, construído entre 1560 e 1580 como prédio governamental, abriga a coleção de arte privada da família Médici.

É lá que se encontra a espetacular “Sala del Botticelli” – de deixar qualquer um em estado de choque – onde podem ser encontradas 15 obras do mestre renascentista, dentre elas, as mais conhecidas: O Nascimento de Vênus (de 1485), A Primavera (de 1482), Anunciação (1490), Adoração dos Magos (1475) e Nossa Senhora do Magnificat (1483). Há também obras de Michelangelo, como o famoso retrato da Sagrada Família.

  • Funcionamento: Terça a domingo, das 8h15 às 18h50, entrada a cada 15 minutos.
  • Endereço: Piazza della Signoria – 50122 Firenze
  • Entrada: Bilheto completo: €8
  • Bilhete reduzido: €5. Saiba mais!

Corridoio Vasariano

Em 1565, o recém grão-duque de Firenze, Cosimo I de’ Medici, pediu ao arquiteto Giorgio Vasari para construir um corredor sobrelevado que ligasse o palácio do governo (Palazzo Vecchio) à sua residência (Palazzo Pitti), passando pelo Ponte Vecchio e Chiesa di Santa Felicità.

Sua motivação foi a incerteza do apoio da população ao Duque e ao novo sistema de governo que substituiu a Republica Fiorentina. O Corridoio Vasariano (como é conhecido hoje) foi construído em apenas 5 meses!

  • Endereço: Praça Uffizi, Florença
  • Funcionamento:
    • Baixa temporada: (de 1 de novembro a 28 de fevereiro): terça, quinta e sábado com início às 15h30 e duração de três horas;
    • Alta temporada: (outros períodos): de terça à domingo, às 15h30. Saiba mais!
  • Entrada: €92

O preço inclui: serviço de guia licenciado monolíngue (inglês), sem entradas de linha, fones de ouvido para grupos com mais de 15 participantes.

#DicaPI: Saiba mais sobre o que fazer em Florença!

Dia 3 – Florença > San Gimignano

Palazzo Pitti

O Palazzo Pitti é um grande palácio renascentista que foi construído em 1458 pelo banqueiro Lucas Pitti e comprado em 1539 pela família Médici, para servir de residência oficial dos grandes duques da Toscana. Ele já alojou importantíssimas famílias, como os Bonaparte e os Saboia.

O local abriga, hoje, diversos museus, como a Galleria Palatina, a Galleria d’Arte Moderna, o Museo degli Argenti e muito mais. A dica é reservar uma tarde inteira para conhecer suas dependências e fazer um tour com bastante tranquilidade.

  • Endereço: Piazza Pitti, Florença
  • Funcionamento:
    • Novembro/Fevereiro: 8h15 às 16h30
    • Março e Outubro: 8h15 às 17h30
    • Junho/Agosto: 8h15 às 19h30
  • Entrada: €16,75. Saiba mais!

Giardino di Boboli

Instalados atrás do Palácio Pitti, os Jardins de Boboli são a maior zona verde de Florença, com 45 mil metros quadrados. A história do parque começou quando a família Médici comprou o Palazzo Pitti em 1550. No início, o parque abrigava apenas a parte que ia do palácio ao Forte di Belvedere e hoje são tidos como um exemplo perfeito de um jardim formal toscano.

  • Funcionamento: Março: 8h15 às 17h30
    • Abril/Maio: 8h15 às 18h30
    • Junho/Agosto: 8h15 às 19h30
    • Setembro/Outubro: 8h15 às 18h30
    • Novembro/Fevereiro: 8h15 às 16h30
  • Endereço: Piazza Pitti, Florença
  • Entrada: €6. Saiba mais! 

Parada na Vinícola Castello Di Verrazzano em Grevi in Chianti

castello de verranazzo

Castello de Verranazzo em Greve in Chianti | Foto: Passagens Imperdíveis

Se você é apreciador de vinhos, na saída de Florença, é possível fazer uma parada em Greve in Chianti, para conhecer e almoçar na vinícola Castello di Verrazano.  A distância entre os dois pontos de é de 28.5km, o equivalente a 44 minutos de viagem de carro, respeitando os limites da via.

Mas, suponhamos que você pretenda realizar o mesmo itinerário de transporte público. Segundo informações fornecidas pelo Google Maps, ao invés de 44 minutos de deslocamento de carro, seria gasto algo em torno de 1h30, entre caminhadas e viagens de ônibus.

A região de Chianti, onde está localizado o Castello Di Verazzano, é famosa na Itália pelo cultivo da Uva Sangiovese e produção de uma das suas principais e mais respeitadas variações de vinho: o DOCG Chianti Classico (vinho de origem garantida e controlada, com pelo menos 80% dessa uva e os outros 20% à escolha do produtor; além de graduação alcóolica a partir de 12%.

Tempo para conhecer

Existem várias opções de visitas/degustações disponíveis nesta vinícola, em inglês e italiano, com valores entre €21 e €58. Mas, antes de mais nada, é imprescindível a pré-reserva pelo site. Clique aqui!

San Gimignano

Não é à toa que a cidade de San Gimignano já foi cenário de alguns filmes e até mesmo novelas brasileiras, como a Passione, na Rede Globo, no ano de 2010. Na Idade Média figurava com uma grande produção de açafrão. E, atualmente, o cultivo ainda existe, sem o uso de qualquer produz químico.

Alvo de disputas entre Florença e Siena por bastante tempo, teve sua população drasticamente reduzida pela peste negra em 1348 (de 13.000 para 3.000 habitantes), mas não poupou esforços para se reerguer. Hoje, é reconhecida por sua beleza e importância cultural, e muitos são os turistas que se perdem pelos becos e vielas deste Patrimônio da Humanidade.

#DicaPI: No momento de escolher o local de sua hospedagem, vale a pena conferir as opções na Piazza della Cisterna, que é muito bem localizada para turistas. Confira em nossos parceiros, Booking e Hotéis.com!

Quanto tempo ficar

San Gimignano é um dos vilarejos medievais mais característicos e encantadores da Toscana. Por ser bem pequena, dá para conhecer a cidade tranquilamente em apenas um dia. Durante a estadia por lá, gastamos 1 dia e meio para conhecer. Mas, é claro, que você pode ficar o tempo que desejar.

Principais atrações

Piazza dellla Cisterna: há um poço muito fotogênico, que mais parece o componente de um cenário fotográfico, mas que, na verdade, foi construído em 1287 para abastecer a cidade;

rocca di montestafoli em san gimigniano

Vista da Rocca di Montestafoli em San Gimigniano | Foto: Passagens Imperdíveis

Rocca di Montestafoli: um “forte” construído quando a cidade de San Gimignano passou a ser domínio de Florença, para que pudesse se proteger dos ataques de Siena.

Em relação às cidades da Toscana – inclusive San Gimignano – a grande atração da cidade é andar. Caminhar, encontrar um lugar legal. Parar, fotografar, estudar um pouco mais sobre o ponto/monumento, e retomar o caminho, tudo num modelo “easy going” de viagem. O legal é não ter atividade obrigatória, não ter horário, e poder decidir onde e a que horas parar.

Onde comer em San Gimignano

Não tivemos muito tempo em San Gimignano. Mas, nas horas em que estivemos por lá, pudemos experimentar, além do sorvete que já foi classificado como o melhor do mundo; também as deliciosas bruschettas de uma bruschetteria local, comandada por um italiano que ama o Brasil.

Gelateria Dondoli

A premiada gelateria de San Gimignano tem, de fato, um dos melhores sorvetes do mundo. Não é à toa que é tão premiada. O mestre-sorveteiro Sergio Dondoli faz questão de acompanhar, pessoalmente, a produção dos mais de 400 kg de sorvete por dia.

São mais de 100 sabores na vitrine. E, com as longas filas que se formam na porta, é bem difícil conseguir se decidir com a agilidade que o movimento das coisas exige. Mas, se não tiver como pensar calmamente nos seus sabores preferidos, fique tranquilo! Qualquer que seja o sorvete escolhido, você estará muito bem servido! Há opções para os celíacos e intolerantes a lactose.

  • Funcionamento: todos os dias, das 9h às 23h
  • Endereço: Piazza della Cisterna, 4, San Gimigniano
  • Mais informações

Bruschetteria Echoes

Mais um lugar  imperdível! Nesse restaurante, tocado por uma família italiana, tudo que ali é servido, como uma simples bruschetta, vira, de fato, um acontecimento.

O dono, um italiano raiz, ama o Brasil. E, mais do que isso, tem uma foto do Estádio do Mineirão no acervo decorativo do restaurante, que foi presente de um amigo brasileiro, que mora em Belo Horizonte, o Leonardo. Como sabemos o nome do amigo do dono do restaurante? Ele quase enlouqueceu quando, durante a nossa passagem por lá, dissemos que éramos do Brasil. E quase pirou por completo, quando dissemos que éramos de BH!

  • Funcionamento: todos os dias, das 11h30 às 15h e das 18h30 às 21h30
  • Endereço: Via Mainardi, 10, San Gimigniano

#DicaPI: O seguro viagem é obrigatório na Itália. Saiba as vantagens e por que contratar!

Dia 4– San Gimignano > Montalcino

Ao incluir Montalcino no seu roteiro pela Toscana, sua única tarefa será passear sem rumo, e visitar vinícolas sensacionais, famosas pela produção de um dos vinhos mais cobiçados do mundo: o Brunello di Montalcino.

Situado em uma colina alta entre os vales do Rio Ombrone, fica a 564 metros acima do nível do mar. A cidade, que já esteve sob o domínio de Siena, apresenta, atualmente, cerca de 5.000 habitantes. E, pelas condições climáticas e geográficas que a envolvem, é considerada uma das mais importantes produtoras de vinho do mundo todo.

Na metade do século 19, os produtores locais começaram a abandonar o tradicional jeito toscano de fazer vinho, e passaram a desenvolver um método próprio, que culminou na criação do Brunello. E mal sabiam eles o resultado de sua audácia!

Mas engana-se quem pensa que Montalcino é apenas vinho. Há também alguns tesouros históricos, possíveis de encontrar durante os passeios pela cidadezinha. A visita a muralha é indicada.

Como chegar

Esta é mais uma cidade murada de nosso roteiro pela Toscana. E, na prática, mais uma oportunidade para aprendermos que, em se tratando de turistas, não é possível adentrar com veículos de passeio na parte de dentro do muro.

Assim, qual a solução para você que, está ou estará de carro durante a sua viagem, e pretende se hospedar na cidade histórica, ou até mesmo visitá-la, já que é nela que se concentram grande parte das atrações principais do local?

A resposta é: no seu navegador – Google Maps, por exemplo, quando estiver à procura do seu destino, busque pela melhor localização dos estacionamentos públicos ou privados, denominados: “Parcheggios”. Os preços são variáveis entre €6 e €20 o dia.

Quanto tempo ficar

Claro que cada um tem um ritmo de viagem e você pode querer ficar alguns dias para descansar e curtir o clima lento da Toscana rural. Mas em apenas um dia é possível passear com calma e sem rumo pelas ruas, fotografar e conhecer os principais pontos turísticos, além das vinícolas.

Principais atrações

Como dissemos no início do tópico, o que você terá a fazer por Montalcino é, além de caminhar tranquilamente pelo centro histórico, visitar vinícolas e experimentar vinhos. Citaremos algumas delas:

vinícola pogio antico

Vinícola Pogio Antico em Montalcino | Foto: Passagens Imperdíveis

Vinícola Poggio Antico

Conhecida por produzir um dos melhores vinhos da região, a Poggio Antico está localizada em uma propriedade de 200 hectares, com belíssimas paisagens. Famosa por seus premiadíssimos Brunellos, ela conta com produtos de excelente qualidade, sendo 100% deles produzidos no próprio local. Dentre os 6 vinhos feitos lá, os mais indicados são: Brunello Riserva e Brunello Madre.

  • Funcionamento: todos os dias, das 10h às 19h
  • Endereço: Loc. Poggio Antico, Montalcino SI, Itália
  • Preço: varia de €15 a €35 para degustações de três, quatro, cinco ou seis vinhos.
    • É indicado realizar a reserva prévia do horário. Saiba mais!

Podere Le Rippi

vinícola podere le ripi

Vista da vinícola Podere Le Ripi | Foto: Passagens Imperdíveis

Mais uma vinícola imperdível em Montalcino. Não apenas pela vinícola em si, mas também pela beleza do local, além da filosofia de vida e trabalho do proprietário da Podere Le Rippi: Francesco Illy. Sim! O dono dos cafés de mesma marca: Illy.

O método de trabalho respeita o princípio da biodinâmica e, acredita que o próprio solo, aliado aos demais elementos da natureza, é capaz de fornecer o ser vivo – no caso, ali, as parreiras de uva – todo o alimento que ela precisa para existir e se manter. Os vinhos são, de fato, deliciosos! Vale a pena a visita, e é recomendado reservar com antecedência.

  • Funcionamento: Todos os dias, das 9h às 18h
  • Endereço: Località Le Ripi, 53024, Montalcino
  • Preço: a tour pela vinícola (em italiano ou inglês) + degustações varia de €15 a €70.

Castello Banfi

castello banfi

Castello Banfi, Montalcino | Foto: Passagens Imperdíveis

O Castello Banfi é um dos principais produtores do Brunello di Montalcino, responsável por 70% da produção do vinho. As atrações são muitas: você pode degustar e comprar vinhos, conhecer os vinhedos, visitar a adega, almoçar no restaurante e visitar o o museu de vidro.

O local foi fundado pelos irmãos ítalo-americanos Mariani em 1978 com o objetivo de elaborar vinhos de qualidade em grande escala.

Importante: é necessário agendar a visita com antecedência. Você pode marcar uma visita pela adega, e conhecer ainda mais detalhes sobre os vinhos premiados, as instalações e história do local.
  • Funcionamento: todos os dias, das 10h às 19h30 (nos meses de janeiro e fevereiro, até às 18h)
  • Endereço: Poggio Alle Mura Sant’Angelo Scalo, Montalcino
  • Preço: 4 – a entrada;o valor da degustação pode ser confirmado no momento da reserva.

Dia 5– Montalcino > Siena

Siena é mais uma das encantadoras cidades medievas da Itália, e vale a pena fazer um passeio mesmo se você está na Toscana por apenas alguns dias. É reduto de uma enorme variedade de passeios, atrações e pontos turísticos incríveis.\

Aliás, uma das coisas bacanas para você saber antes de incluí-la em seu roteiro é que ela atende a todos os tipos de públicos e gostos, ou seja, independente do seu perfil de viagem, há lugares excelentes para se visitar em toda a cidade.

Siena e Florença, capital da Toscana, sempre foram rivais. Como vocês já devem ter lido nas demais descrições das cidadezinhas menores, era comum que houvesse a disputa, entre as duas, destes territórios. Siena, por um lado, tem suas glórias relacionadas ao “gótico”, enquanto Florença, teve seu grande “boom” na época do Renascimento.

O surto da peste negra também assolou a cidade em 1348, matando dois terços dos seus 100.000 habitantes. O centro histórico de Siena é tombado como Patrimônio Histórico da Unesco, por ser a representação fiel de uma cidade medieval.

Quanto tempo ficar

A pequena cidade de Siena certamente merece que você passe ali pelo menos uma noite, fazendo do local uma excelente base para explorar mais da Toscana. Durante a nossa passagem por lá, em 2017, optamos em ficar por um dia e meio. Mas, é opcional o período de permanência na montagem do seu roteiro.

Principais atrações

No roteiro pela Toscana, esse é, sem dúvida, mais um lugar para se perder, e se encontrar, e se perder de novo. Sem pressa, sem medo de não saber voltar. É possível fazer um tour pelo centro histórico, visitar as basílicas e monumentos espalhados por suas principais regiões ou até andar pelas suas ruelas estreitas que são um verdadeiro charme. É, já deu pra ver que opção não vai faltar, não é mesmo?!

 Duomo di Siena

duomo di siena

O Duomo di Siena é impressionante tanto por fora, quanto por dentro | Foto: Wikipedia

São muitos os pontos de interesse espalhados pela cidade. Mas, um deles, especificamente, merece a sua atenção: o Duomo di Siena. Bastante sofisticada e autêntica, esta é uma igreja que logo de cara surpreende qualquer visitante que vai até lá.

Repleta de detalhes, dentre os quais as listras em preto e branco se destacam, a igreja tem uma arquitetura toda voltada ao estilo gótico-romântico, Desde a entrada, em sua fachada, até a região interna da catedral, com seus mosaicos, vitrais, pinturas e esculturas, é possível observar um pouquinho da história de Siena.

  • Funcionamento: Todos os dias, das 10h30 às 18h (sendo o último acesso, permitido até às 17h30)
  • Endereço: Via dei Fusari, Siena
  • Entrada: Adultos – €6; crianças até 6 anos – €1; e crianças dos 7 aos 11 anos – €3. Mais informações!

Museu dell’Opera

O Museu dell’Opera del Duomo tem como objetivo abrigar e conservar esculturas, pinturas e manufaturas de renomados artistas, além de artigos religiosos usados em missas. O espaço ainda abriga a impressionante Gallerie della Statue e uma lojinha, cujo espaço antigamente era ocupado por uma igreja que se chamava Chiesa di San Niccolà in Sasso.

  • Funcionamento: 1º de março a 17 de abril: 10h30 às 19h;
    • 18 de abril a 1º de novembro: 10h às 19h;
    • 2 de novembro a 6 de janeiro: 10h às 17h30;
    • 7 de janeiro a 28 de fevereiro: 10h30 às 18h.
  • Endereço: Piazza del Duomo, 9, Siena
  • Entrada: Inteira: €20;
    • Reduzido (crianças de 7 a 11 anos): €5
    • Grátis: menores de 6 anos. Saiba mais!

Piazza del Campo

A principal praça de Siena fica bem no centro da cidade. Ela é enorme e no seu entorno há inúmeros restaurantes, lojas e cafés. Além disso, alguns edifícios importantes também se encontram nessa praça.

Por lá também é possível encontrar o imponente Palazzo Público. O palácio é a prefeitura da cidade desde 1930 e abriga o Museu Cívico. É dentro dele que se encontra a entrada para a torre mais alta de Siena, a Torre del Mangia (ou Torre do Sino – 10€ a entrada). A torre possui 102 metros, é tão alta quanto a Duomo de Siena! É possível chegar em seu topo após subir 400 degraus e dizem que a vista é incrível.

  • Localização: II Campo, Siena

Palio de Siena na Pizza del Campo

fachada dos prédio na piazza del campo

Fachada dos prédios na Piazza del Campo onde ocorre o Palio de Siena | Foto: Passagens Imperdíveis

Como se não bastasse ser importante por abrigar prédios históricos, a Piazza del Campo sedia uma das festas mais famosas da região: o Palio di Siena. O evento anual é realizado desde a Idade Média, nas datas de 2 de julho e 16 de agosto.

Trata-se de uma competição de corridas de cavalo entre 10 bairros de Siena – os chamados “contrade” – na qual o prédio é o palio, equivalente a um estandarte de seda. A corrida tem cerca de um minuto, e a velocidade alcançada pelos dez cavaleiros na pista de terra é assustadora!

Durante o Palio, a cidade fica lotada, e as diárias de hotéis aumentam absurdamente. Portanto, se não faz questão de participar do evento (onde você deve chegar com pelo menos 4 horas de antecedência, e só sair depois de terminado, pela impossibilidade de se locomover com tranquilidade em meio à multidão), evite Siena nestas datas.

Onde comer em Siena

A culinária toscana é, de fato, uma das mais saborosas do mundo. E claro que Siena não deixa nada a desejar nesse aspecto. Não faltam restaurantes na cidade e tem para todos os gostos: dos mais refinados aos mais simples. E, para finalizar, não poderia faltar as deliciosas sorveterias.

Pizzeria Vento

Boa pedida para quem quer economizar. Pizzas fresquinhas e quentinhas por valores a partir de €1. Boa dica para conseguir comer uma pizza bem gostosa: acompanhar os horários das fornadas, e passar por lá assim que uma nova “leva” tiver sido colocada à venda.

  • Funcionamento: Todos os dias, das 11h à 0h
  • Localização: Via  Camollia,63,  Siena

La Bottega del Tartufo

Um excelente lugar para experimentar e comprar trufas, em todas as versões possíveis e imagináveis.Há trufas in natura, trufas em forma de manteiga, azeite, geleia. Há também trufas em conserva, que são ótimas para trazer para o Brasil.

  • Funcionamento: Todos os dias, das 9h às 21h
  • Localização: Via di Citta’ 72, Siena
  • Site oficial

Osteria da Cice

osteria da cice

Pici Cacio e Pepe, na Osteria da Cice, em Siena | Foto: Passagens Imperdíveis

Um restaurante típico no centro de Siena, que vale a visita. O local, visivelmente frequentado  por locais, e com um preço excelente. Em maio de 2017, quando estivemos por lá, o preço do prato de macarrão (Pici Cacio e Pepe) custava €7. O restaurante é sempre bem cheio. Então, é indicado fazer reserva.

  • Funcionamento: de terça a domingo, das 12h15 às 15h e das 19h15 às 22h
  • Localização: Via San Pietro, 32, Siena

Gelateria GROM

Para a nossa alegria, a GROM está espalhada por diversas cidades italianas e do mundo! E, felizmente, Siena é uma das localidades. Um dos melhores gelatos que tivemos a oportunidade de experimentar.

  • Funcionamento: todos os dias, das 12h às 22h
  • Localização: Localita Banchi di Sopra, 11/13, Siena
  • Site oficial

Dia 6- Siena > Pienza

Em nosso roteiro pela Toscana, essa cidade nos fez, de uma maneira muito forte e intensa, retornar ao passado. O ar medieval da cidade é predominante. E as ruas, apesar de coloridas, ficam vazias bem cedo, já que as pessoas – pouco mais de 2.000 habitantes – que ali moram, estão realmente preocupadas com a sua vida além do trabalho.

Há uma atmosfera inexplicável de paz por essa, que é a cidade famosa pela produção de queijo pecorino, feito de queijo de ovelha. Os nomes das ruas são fofos. Há a Via do Beijo – Via del Baccio; a Via do Amor – Via dell’amore, e assim por diante.

Quanto tempo ficar

Pienza é bem pequena e uma ótima opção de passeio para quem fica hospedado em Siena. É propício para um passeio bate volta, mas também para ficar de 1 a 2 dias.

Principais atrações

O Centro Histórico é repleto de construções, mas, o mais legal, é poder se perder nos becos e ruazinhas, que na primavera ficam cheias de flores. Pienza é um ótimo local para você aproveitar a famosa cultura italiana do dolce far niente. No português simples e claro, a doçura de não fazer nada.

Mas não pensem que é chegar na cidade e fazer simplesmente nada. Em resumo, é aproveitar a cidade com calma, caminhar e apreciar cada canto, sem pressa. Principalmente se o seu roteiro não estiver corrido. Seja livre em Pienza, faça o que te der na telha! Afinal, a graça é essa! <3

Onde comer em Pienza

Bandita Townhouse

Durante a nossa estadia por Pienza, fomos em um único restaurante, mas que, sem dúvida, foi uma escolha acertadíssima. Um restaurante lindíssimo, com decoração tradicional, medieval, aliada a itens moderníssimos de decoração. Se tiver a oportunidade, vá! Você não vai se arrepender!

  • Funcionamento: todos os dias, das 12h às 14h e das 19h às 23h
  • Localização: Corso Il Rossellino, Pienza
  • Mais informações

Mais dicas de viagem para a Toscana

O roteiro pela Toscana você já tem! Chegamos ao fim com as nossas dicas pela belíssima região da Itália. Mas, separamos mais algumas informações que podem ser úteis para a sua viagem!

Itália: curiosidades e sugestão de roteiro

Viajar para a Itália: dicas para montar um roteiro que se encaixe em seu perfil

O que fazer em Roma: guia pela cidade e sugestão de roteiro

O que fazer em Florença: dicas para aproveitar melhor a cidade

O que fazer em Módena: como chegar, dicas de hospedagem e restaurantes

O que fazer em Veneza: quando ir, hospedagem e principais atrações