O que fazer em Florença: sugestões de roteiro e dicas para aproveitar melhor a cidade.

27-06-17 às 7:59 am Nenhum comentário

Por Patricia do Carmo Guedes e Jairo Santos de Jesus    –    Ao traçar o roteiro da nossa viagem para a Itália, não sabíamos ao certo quais seriam os destinos que estariam incluídos na programação. Mas de uma coisa nós tínhamos certeza: precisaríamos de, pelo menos, 03 dias nela, que além de ser o Berço do Renascimento, tem alguns dos cenários mais bonitos de todo o mundo. Sim! Estamos falando da Capital da Região da Toscana! Vem com a gente ver o que fazer em Florença, e anotar todas as nossas dicas para aproveitar melhor a cidade!

O que fazer em Florença - Vista da cidade a partir da Piazzale Michelangelo

O que fazer em Florença – Vista da cidade a partir da Piazzale Michelangelo

1) Florença, Firenze, e a importância da Família Médici para a região. 

Florença ou Firenze. Afinal de contas, qual o nome correto?

Tanto faz! Em português, dizemos Florença. Mas, em italiano, é por Firenze que a cidade berço do Renascimento é conhecida. Assim, qualquer uma das denominações está correta, sendo ambas condizentes com o mesmo lugar.

A Família Médici e o que ela tem a ver com a sua viagem.

Não há como pensar em Florença sem pensar na Família Médici. São considerados os “senhores” da Toscana, e a sua influência em Florença, ao longo da história, é indiscutível.

Não se sabe ao certo a data da chegada do primeiro Médici a Florença. O que se sabe é que a Família de Banqueiros fez história na região – e em grande parte da Europa – principalmente durante os séculos XV e XVIII.

Trazendo os acontecimentos para o nosso contexto, sem adentrar em seus detalhes – que são muitos, e renderiam um ótimo enredo de novela, com direito a babado, confusão e gritaria – é importante falar sobre um Médici em específico.

Anna Maria Luisa de ‘Medici, a última na linha de sucessão da família, antes de transferir o poder à dinastia austríaca Arburgo-Lorena, assinou o “Pacto de Família”, documento com validade legal irrevogável, por meio do qual condicionou a transferência de titularidade dos bens, à obrigatoriedade de manutenção ETERNA dos mesmos na cidade de Florença e no Estado da Toscana.

Foi esta a atitude, portanto, que garantiu que toda a relíquia artística e histórica permanecesse ligada a quem, de fato, dela era dono: o povo florentino/fiorentino.

Já que, caso o documento em questão não existisse, muito provavelmente toda a riqueza até ali acumulada já teria sido consumida e comercializada, incluindo os conteúdos que fazem parte do Uffizi, Palazzo Pitti e das Vilas Medicais, além dos tesouros Palatinos.

Portanto, amigos, se hoje podemos visitar Florença e nos impressionar diante de tanta beleza e riqueza histórica, é à existência e à atitude dela que devemos agradecer: Anna Maria Luisa de Médici, que garantiu o #girlpower desde os idos anos de 1737, mediante catalogação de bens e assinatura do “Patto di Famiglia”.

2) O que fazer em Florença: Quando ir e Quanto tempo ficar.

Mês de Maio + Itália = <3

Estivemos lá no mês de Maio, mais especificamente nos dias 11, 12 e 13.

O clima estava INCRÍVEL. Nem frio, nem calor. Ameno, na medida.

Durante o dia, podíamos usar uma blusa de algodão, de manga comprida ou manga 3/4. E, apenas à noite, usávamos casaco leve, nada mais! No último dia, inclusive, pudemos ficar de camiseta de manga curta, tanto pela manhã, quanto durante a tarde e a noite.

Por todos os lados, predominavam o verde das plantas e o colorido das flores, fazendo com que ficasse ainda mais mágico o que já era poético por si só : a  simples existência da cidade de Florença.

Outros meses considerados como os mais indicados para visitar a Capital da Toscana são os seguintes: Junho (onde será possível encontrar o clima bem parecido com aquele que vivenciamos em Maio); Julho (quando há muitos festivais de música, deixando a cidade ainda mais animada; mas sem a lotação excessiva do mês de Agosto); ou de Setembro a Novembro, quando já passou a fase de colheita de uvas e azeitonas, declarando-se por iniciada a época das trufas (hummmm).

Florença: quanto tempo ficar?

Como dissemos acima, a nossa passagem por Florença durou 3 dias. Se achamos suficiente? Sim. É claro que gostaríamos de ter ficado MUITO mais. É o tipo de cidade onde poderíamos passar, tranquilamente, 2 ou 3 semanas.

Há muito o que ver e o que fazer por lá. Mas, pensando na duração regular de uma viagem como a nossa – 14 dias, no total – 3 (três) dias é o período indicado como o mínimo para permanência em “Firenze”.

“E se eu não puder viajar nos meses que vocês indicaram? E se eu só puder ficar 1 dia em Florença?” 

Por tudo o que nós já tivemos a oportunidade de vivenciar e compartilhar através do PI, acreditamos que vocês já tenham identificado o nosso posicionamento.

Não importa se você vai conseguir se encaixar nas melhores condições da viagem, de acordo com as atividades que você gostaria de realizar nesse destino. Afinal, o “feito” é sempre melhor do que o “perfeito”.

Assim, se a oportunidade irrecusável bateu à sua porta, com o porém de ter que viajar em um mês que não está entre os mais indicados; ou se o seu roteiro permite apenas passar por Florença, por 2 dias, 1 dia ou algumas horas, não importa, VÁ!

Quando estamos falando de um lugar especial como Florença, não há, literalmente, tempo ruim!

Seja com mais tempo para aproveitar, seja com menos tempo; seja no calor, seja no frio, esta é uma cidade que, se conhecida, te marcará pra sempre, assim como nos marcou!

3) O que fazer em Florença: Como chegar. 

De carro

Florença foi o nosso terceiro destino na Itália. Quando lá chegamos, já havíamos passado por Veneza e Módena.

E o nosso meio de condução de Módena até Florença foi o carro que alugamos em Veneza – veja mais detalhes em nosso post com dicas gerais sobre a viagem para a Itália – e que nos levaria a todas as demais cidades do roteiro até a chegada em Roma.

De Módena até Florença são 138 km, e aproximadamente 2h de viagem.

Com a observância das regras básicas de direção na estrada e na cidade – veja mais detalhes em nosso post com dicas gerais sobre a viagem para a Itália – foi bem tranquila a nossa chegada.

E, para estacionarmos com segurança e em local permitido, contamos com a ajuda do staff do nosso hotel, mediante pré-reserva de estacionamento privativo, no valor de EUR 26 por dia.

O pagamento do valor de EUR 26/dia, garantia, além da segurança de estacionar em local permitido, a tranquilidade e comodidade de, no dia do check-out, receber nosso carro na porta do hotel – localizado na Zona de Tráfego Limitado , já que era conduzido por um residente local.

Independentemente da sua cidade de origem, chegar a Florença de carro é bem tranquilo!

Apenas tome as precauções necessárias à localização prévia do melhor estacionamento público/privado; já que, durante a sua estadia por lá, não será necessário usar o carro.

Você precisará apenas deixá-lo na chegada, e retirá-lo na saída, uma vez que o grande lance deste destino  é a facilidade de conhece-lo a pé.

De trem

Caso a sua viagem esteja sendo realizada de trem, Florença também pode ser facilmente alcançada fazendo-se uso deste tipo de transporte público.

A Stazione di Santa Maria Novella é a estação central de trem de Florença, e de lá partem os trens rumo a destinos nacionais e internacionais.

A empresa mais conhecida é a Trenitalia, que interliga, entre si, as mais diversas cidades italianas, e também a outras cidades da Europa.

Uma passagem de trem de Veneza a Florença (2h de duração), por exemplo, para viajar no dia 09/09/2017, pode ser encontrada, hoje, mês de Junho/2017, com antecedência, por EUR 20.

Simulação de passagem de trem - Trenitalia

Simulação de Passagem de Trem – Trenitalia

Dica marota: No site da Trenitalia, lembre-se de pesquisar pelas origens/destinos desejadas em italiano. Por exemplo: “Venezia”, na origem; e “Firenze” no destino. Trata-se de uma empresa italiana, e, portanto, o idioma oficial do país é o utilizado no site em questão. Digitando “Veneza” e “Florença”, você não conseguirá pesquisar pela passagem desejada.

De ônibus

Há ainda a opção de chegar a Florença de trem. Duas empresas bem tradicionais na Itália e na Europa, em geral, são a Flixbus e a RegioJet. 

Simulando uma viagem de Veneza para Florença, na mesma data do trem que testamos acima (09/09/2017), encontramos, como valor mais barato de passagem, o de EUR 15.90, para uma viagem direta de 3h35 de duração.

Simulação de passagem de ônibus - Flixbus

Simulação de Passagem de Ônibus – Flixbus

De avião

Durante a nossa jornada de pesquisa/acompanhamento de preços de passagens, conseguimos identificar que, o mais comum em uma viagem como a nossa, que envolve cidades da Toscana em seu roteiro, é chegar do Brasil à Itália, por Roma ou Veneza, realizando o transporte dentro do país, por um dos meios de transporte acima relacionados: carro, trem ou ônibus.

As passagens de avião do Brasil para Florença, especificamente, não são as mais baratas. E, dificilmente alguém viajará para este destino, exclusivamente.

Mas, se você já estiver na Itália ou em outro país da Europa – ou ainda mesmo no Brasil – e tiver a pretensão de chegar a Florença fazendo uso de avião, é possível também!

Fizemos aqui uma simulação de Veneza para Florença, pela Alitalia, no mesmo dia 09/09/2017, e encontramos apenas opções de voos com escala – no mínimo 3h de viagem – por valores a partir de EUR 125, na Tarifa que não dá direito ao despacho de mala, mas tão somente de mala de mão de até 8 kg.

Simulação de Passagem de Avião - Alitalia

Simulação de Passagem de Avião – Alitalia

E dentre elas – carro, trem, ônibus e avião – qual a melhor forma de chegar a Florença?

Considerando os critérios de tempo de viagem e custo, temos que, as melhores opções são o carro (principalmente se você está viajando em 2 ou mais pessoas), ou o trem.

Nós, especificamente, não consideraríamos viajar internamente na Itália de ônibus ou avião, por julgarmos que estas duas são as piores opções, em questão de custo x benefício.

4) O que fazer em Florença: Como se locomover. 

Florença é uma cidade pequena, deliciosa para se conhecer a pé.

As principais atrações são bem centrais, e estão localizadas no coração da cidade, mais especificamente entre as Praças Piazza del Duomo e Piazza della Signoria.

5) O que fazer em Florença: Onde se hospedar. 

Onde se hospedar em Florença: os nossos parâmetros para escolha

Florença é mais uma cidade da Itália que concentra a maior parte de suas atrações no Centro Histórico. Portanto, o melhor dos mundos é escolher uma opção de hospedagem exatamente nesta região!

Como teríamos um número razoável de dias por lá, decidimos que ficaríamos em uma localização privilegiada, que nos permitisse ir para qualquer uma das atrações a pé, e com rapidez e facilidade de locomoção.

E foi assim que escolhemos o Mabelle Firenze Residenza Sassetti, sobre o qual falaremos abaixo, com mais detalhes.

Como reservar hotel em Florença?

É importante lembrar que, para reservar os nossos hoteis, fazemos uso dos serviços do Booking – CLIQUE AQUI PARA CONHECER E RESERVAR OS SEUS HOTEIS PARA QUALQUER DESTINO DO MUNDO; e, nos filtros avançados de tipo de hospedagem, selecionamos sempre: (i) os mais bem avaliados por outros viajantes, (ii) os que oferecem as comodidades e os extras pelos quais procuramos – WI-FI de qualidade; café da manhã; quando possível; estacionamento, etc; bem como (iii) os classificados com boa ou excelente localização.

As nossas sugestões de hotel em Florença

De acordo com os nossos critérios de julgamento do que seria um bom hotel em Florença, escolhemos aqui pra vocês, 06 (seis) opções de hoteis em que nos hospedaríamos, nas regiões de fácil acesso ao Centro Histórico e também à Estação de Trem – principalmente para quem irá fazer Florença como a cidade-base para alcançar as demais cidades da Toscana.

5.1) CENTRO HISTÓRICO – Mabelle Firenze Residenza Sassetti – onde nos hospedamos – CLIQUE AQUI PARA ACESSAR A PÁGINA DE RESERVAS DESTE HOTEL NO BOOKING 

Características principais do hotel
  • Diárias a partir de EUR 130
  • Localizado a 300m da Catedral Duomo – Santa Maria del Fiore
  • WI-FI grátis e Facilidades de Estacionamento por EUR 26/dia (pagando o estacionamento, você recebe a autorização necessária para chegar ao hotel, e dele sair, com a ajuda de um residente local, sem correr o risco de levar uma multa por trafegar na Zona de Tráfego Limitado da cidade).
  • Uma garrafa de vinho de boas-vindas incluída no preço da diária 🙂
  • Duas garrafas de água por diária

Ao chegar no endereço indicado no Booking como sendo o do hotel, nos deparamos com uma enorme porta de madeira, que parecia ser a entrada de um prédio residencial.

E, quando nos aproximamos mais do interfone do tal prédio, percebemos que, em uma das indicações dos andares – onde geralmente fica o nome/sobrenome do morador italiano – havia o nome da nossa hospedagem: Mabelle Firenze Residenza Sassetti. 

É isso mesmo! Aquele prédio histórico/renascentista L-I-N-D-O abrigava, em um dos seus andares, os quartos da “Residenza” que, durante os dias em que estivemos em Florença, nos fez sentir em casa.

O hotel – áreas comuns e os quartos

O andar em que ficavam os quartos do hotel eram luxo puro: cheirosos, arejados, iluminados e cheirosos, MUITO CHEIROSOS! E nós, que temos memória olfativa bem aguçada, sempre que sentirmos o cheiro suave de essência de baunilha, conseguiremos nos lembrar da sensação exata de adentrar o corredor da Residenza Sassetti.

Mabelle Residenza Sassetti - Corredor dos Quartos

Mabelle Residenza Sassetti – Corredor dos Quartos

Neste mesmo andar, havia uma salinha comum a todos os quartos, onde nos sentávamos à noite para conversar sobre o dia que passou, as atividades do dia seguinte, e, é claro, para dividir mais uma garrafa de vinho delícia.

Mabelle Residenza Sassetti - Sala de Estar Comum

Mabelle Residenza Sassetti – Sala de Estar Comum

Esta salinha tinha um quadro muito legal: um mapa-mundi feito com fatias de pão de forma! Você acha que quisemos levar o quadro pra casa? ( ) SIM ( ) COM CERTEZA ou ( ) COM CERTEZA ABSOLUTA? Rsrsrsrs

Mabelle Residenza Sassetti - Quadro de Mapa-Mundi de Pão de Forma

Mabelle Residenza Sassetti – Quadro de Mapa-Mundi de Pão de Forma

O quarto era uma delícia: super arejado, com cama e roupas de cama confortáveis e cheirosas, pé direito alto, além de um teto de madeira que, segundo explicado pelo funcionário do hotel, era original, antigo.

Mabelle Residenza Sassetti - Quarto

Mabelle Residenza Sassetti – Quarto

Mabelle Residenza Sassetti - Quarto / Banheiro

Mabelle Residenza Sassetti – Quarto / Banheiro

Mabelle Residenza Sassetti - Teto de Madeira Original

Mabelle Residenza Sassetti – Teto de Madeira Original

O hotel – as nossas impressões e recomendações

A localização do hotel era, de fato, INCRÍVEL. Estávamos a poucos metros das principais atrações de Florença. Fazíamos tudo a pé, com bastante agilidade, do jeitinho que queríamos e esperávamos.

Gostamos muito da nossa escolha, e o Mabelle Residenza Sassetti é uma hospedagem que indicamos fortemente, tanto pelo atendimento; quanto pela estrutura do quarto e das áreas comuns; bem como pelo cuidado com o hóspede, que foi algo bem perceptível por nós.

Ponto de atenção: Cartões American Express

Atenção: este é um dos hoteis que não aceita cartões da bandeira American Express, apenas Visa ou Mastercard. E, depois de feita a reserva pelo Booking – não só para este hotel, mas para todos os outros – é importante ficar de olho no seu e-mail, e também na Central de Reservas em sua Área de Administração/Cliente, já que todo tipo de comunicação será feita nestes canais.

Gostou do Mabelle Residenza Sassetti? Faça já a sua reserva CLICANDO AQUI! 

5.2) CENTRO HISTÓRICO – B&B La Terrazza Sul Duomo

  • Diárias a partir de EUR 80;
  • Localizado a 100m, 200m ou 300m das principais atrações de Florença;
  • Muito elogiado por um terraço que disponibiliza aos hóspedes, com uma vista incrível da cidade;
  • WI-FI incluído; Estacionamento privado disponível por EUR 25/dia.

5.3) CENTRO HISTÓRICO – Martelli 6 Suite and apartments 

  • Diárias a partir de EUR 96;
  • Localizado a 100m, 200m ou 300m das principais atrações de Florença;
  • Muito elogiado por sua localização e acomodações;
  • WI-FI incluído; Sem Estacionamento.

5.4) CENTRO HISTÓRICO – B&B I Quattro Poeti

  • Diárias a partir de EUR 56;
  • Localizado a menos de 500m das principais atrações de Florença;
  • Excelente custo x benefício;
  • WI-FI incluído; Estacionamento privado disponível por EUR 26/dia;
  • Café da manhã opcional, por um custo de EUR 7,50 por diária e por pessoa.

5.5) PRÓXIMO À ESTAÇÃO DE TREM – Residenza di Michelangelo

  • Diárias a partir de EUR 94
  • Localizado no Bairro San Lorenzo, a 3 minutos a pé da Estação de Trem Santa Maria Novella;
  • Café da manhã incluído; WI-FI gratuito; Estacionamento privado disponível por EUR 26/dia.

5.6) PRÓXIMO À ESTAÇÃO DE TREM – B&B Arco Antico

  • Diárias a partir de EUR 95
  • Localizado a 2 minutos a pé da Estação de Trem Santa Maria Novella;
  • Café da manhã incluído; WI-FI gratuito; Estacionamento privado disponível por EUR 21/dia.

6) O que fazer em Florença: Onde comer – Restaurantes e Sorveterias/Gelaterias. 

Comer é bom, e a gente gosta né?

Portanto, assim como as demais cidades da Itália, Florença é um excelente destino gastronômico!

A começar pela famosa “bisteca alla fiorentina”, passando pelas deliciosas massas, e finalizando nas indescritíveis “gelateries”; come-se muito bem em Firenze!

Para facilitar a vida, listaremos abaixo os lugares por nós frequentados/aprovados durante a nossa estadia. E, por fim, os colocaremos em um mapinha, para que seja possível visualizar as localizações com mais clareza, combinado? 🙂

O Mercado Central de Florença – Mercado Centrale Firenze

Em três dias de Florença, foi lá, no Mercado Central, que decidimos passar um bom pedaço da tarde/noite, em dois deles.

Um dos cantinhos mais apaixonantes de Florença

Sabem o Mercadão de São Paulo? O de Florença é mais ou menos assim, só que maior, com muitas mesas comuns espalhadas pelo espaço, e opções para todos os gostos e bolsos. A amplitude do salão, somada à energia deliciosa que emana das pessoas que ali estão – animadíssimas e felizes com a situação – faz com que esse seja um ambiente inesquecível, e uma atração IMPERDÍVEL quando você tiver o privilégio de viajar para esta incrível cidade da Toscana.

Mercado Central de Florença - Mercado Centrale Firenze

Mercado Central de Florença – Mercado Centrale Firenze

Mercado Central de Florença - Mercado Centrale Firenze

Mercado Central de Florença – Mercado Centrale Firenze

O que achamos o mais legal do mercado, é a enorme variedade de comidas e bebidas que você pode experimentar, a preços super justos!

Quer pizza? Tem! Massas frescas de todos os tipos? Tem também! Sobremesas variadas? Tem! E vinho? Esse não podia faltar! Tem nos mais diversos preços, das mais diversas localidades, principalmente vinhos italianos de altíssima qualidade.

 

Mercado Central de Florença - Mercado Centrale Firenze

Mercado Central de Florença – Mercado Centrale Firenze

Mercado Central de Florença - Mercado Centrale Firenze

Mercado Central de Florença – Mercado Centrale Firenze

O que nós comemos

Por lá, experimentamos pizzas, vinhos e massas, inclusive trufadas (e que estavam deliciosas).

E por falar em trufa, há um quiosque exclusivo para comercialização de tudo quanto é tipo de comida trufada, além, também, de opções para levar pra casa em forma de azeites, manteigas, e até mesmo a trufa “in natura”.

Percebemos também – e até compartilhamos com vocês em nosso Stories do Instagram – que dentro do mercado há um quiosque dedicado especialmente aos veganos e vegetarianos, com muitas opções de comidinhas deliciosas!

Pra vocês terem uma ideia, em um das melhores pizzarias da cidade – a Sud La Pizzeria – que fica dentro do Mercado Central, pagamos EUR 8 pela pizza da foto; e, também lá, em um quiosque específico de vinhos, pagamos EUR 26 por um Vinho Chianti Classico, “Gran Selecione” 2012 que, no Brasil, sequer encontramos para vender.

Um lugar que consideramos como visita obrigatória e, de preferência, para se apreciar com calma, aproveitando o clima e toda a amorosidade e o entusiasmo que paira sobre Firenze.

Trattoria Zà Zà Firenze

Logo ali, pertinho do Mercado Central de Florença, você irá encontrar a Trattoria Zà Zà.

Se ficar um pouco perdido, deixe-se guiar pelo olfato. De onde estiver vindo um SUPER cheio de trufas, é pra lá que você deve ir!

Esta foi uma indicação de vários de vocês, nossos leitores, como um restaurante imperdível para quem gosta ou está aprendendo a gostar de trufas. Há, inclusive, um menu inteirinho só de pratos trufados, denominado “Special Truffle Menu”.

O prato abaixo foi a nossa escolha, um Gnocchi com Trufa e Gorgonzola, por EUR 16.

Uma indicação e tanto! Restaurante testado e super aprovado, com opções a partir de EUR 7 (entradas) e a partir de EUR 14 (prato principal)!

Gnocchi de Batata com Trufas e Gorgonzola - Trattoria Zà zà Firenze

Gnocchi de Batata com Trufas e Gorgonzola – Trattoria Zà zà Firenze

All’antico Vinaio – O “Subway” dos Fiorentinos

Na Via Dei Neri, estão localizados alguns dos restaurantes mais frequentados pelos locais. É nessa rua que ficam os estabelecimentos no estilo “Subway” do Brasil. Porém, com ingredientes extremamente selecionados, como por exemplo o presunto Parma, e o queijo Pecorino.

Este restaurante é considerado como “comida de rua”e, ao final do expediente de trabalho, por volta de 18h, 19h, é possível confirmar, dos dois lados da rua, a popularidade do All’antico Vinaio que está SEMPRE lotado, com filas bem grandes – de 30 a 40 pessoas!

É isso mesmo! Há uma loja em frente à outra, na mesma rua e, qualquer que seja o horário – principalmente à noite – os restaurantes estarão lotados!

O pão é no estilo Focaccia com escolha de ingredientes conforme o gosto do cliente, e custa EUR 5. A porção é suuuuper bem servida, e pode até mesmo ser dividida entre duas pessoas de apetite moderado.

All'Antico Vinaio, Florença, Firenze

All’Antico Vinaio, Florença, Firenze

All'Antico Vinaio, Florença, Firenze

All’Antico Vinaio, Florença, Firenze

La Fettunta – Mais um restaurante de rua, no estilo “Subway”

Na mesma rua – Via dei Neri – está o La Fettunta, outra excelente opção para quem deseja experimentar o delicioso sanduíche personalizado de Florença.

Um pouco menos cheio do que o All’antico Vinaio, o La Fettunta apresenta-se tão bom quanto o concorrente, e com o mesmo preço: EUR 5 por um sanduíche super bem servido, que pode, tranquilamente, satisfazer alguém com mais fome, ou ainda, duas pessoas com apetite moderado.

Pode anotar, que essa dica é imperdível! A localização do La Fettunta – que é a mesma do All’antico Vinaio, é bem propícia, e certamente estará no meio de alguns dos seus passeios, já que fica entre o Palazzo Vecchio e a Galeria Uffizi.

Tavernetta della Signoria – Onde provamos a famosa “Bisteca alla Fiorentina”

Uma deliciosa experiência em Florença, onde pudemos provar a famosa “Bisteca alla Fiorentina”.

Bisteca alla Fiorentina, Florença

Bisteca alla Fiorentina, Florença

O restaurante fica próximo ao Palazzo Vecchio e à Galeria Uffizi – também na Via dei Neri – e tem um excelente custo x benefício, além de oferecer, entre as opções do cardápio, um tipo de macarrão tipicamente encontrado na Toscana: o “Pici”, que nada mais é do que uma versão mais rústica do Spaghetti, mais grosso, e preparado um a um.

Pici, Macarrão típico da Toscana

Pici, Macarrão típico da Toscana

Estávamos em 4 pessoas e a nossa pedida foi: 2 pratos de Pici – EUR 7,90 cada um; mais 1 kg de Bisteca Fiorentina – EUR 40.

Bisteca alla Fiorentina, Florença, Firenze

Bisteca alla Fiorentina, Florença, Firenze

E, de sobremesa, o Vin Santo com Cantucci, uma sobremesa tipicamente toscana, por EUR 6.

Vin Santo com Cantucci, Florença, Toscana

Vin Santo com Cantucci, Florença, Toscana

Outra opção testada e aprovadíssima!

Outros restaurantes indicados pela CVI – Comunidade de Viajantes Imperdíveis, como lugares/cardápios que vale a pena conhecer/experimentar:

Os sorvetes de Florença – a “difícil” missão de experimentar o maior número possível de “gelatos” florentinos

Esse tópico é complicado. Tentamos, a princípio, experimentar os “gelatos”, no intuito de compartilhar com vocês os que considerássemos os melhores.

Por fim, acabamos chegando à conclusão de que: se era sorvete, e se estava em Florença, era bom!

A dica é: o maior número de “gelatos”que conseguir experimentar, experimente!

É claro que você encontrará um ou outro que gostará mais. Mas, no final das contas, todos eles terão valido a pena, já que, pelo que pudemos perceber, a busca pela excelência é algo marcante nos estabelecimentos do ramo da alimentação em Florença.

Afinal, como há muita comida gostosa por lá, é preciso ser MUITO bom para se manter no mercado.

Os sorvetes que conseguimos experimentar em Florença e os nossos preferidos

Listaremos aqui as opções que conseguimos experimentar. Dentre todos eles, em Florença, o que se mostrou mais marcante, em questão de sabor e de cremosidade foi o sorvete da Gelateria Dei Neri.

Além do sorvete da Gelateria Dei Neri, provamos alguns outros, que também eram DELICIOSOS, e igualmente recomendados. Por via das dúvidas, faça como aconselhamos acima: prove todos! E depois, haja caminhada, escadarias e subidas para compensar toda a comilança! XD

Além dessas, vocês, seguidores lindos do PI, nos enviaram mais dicas de deliciosas sorveterias/gelaterias, que merecem ser compartilhadas com a CVI – a nossa “Comunidade de Viajantes Imperdíveis”.

7) O que fazer em Florença: Principais atrações e dicas de como aproveitar melhor o seu tempo e o seu dinheiro 

A lista de coisas a fazer e conhecer em Florença é grande. Mas, infelizmente, em uma viagem com o tempo limitado – como é a situação da maioria dos viajantes – focaremos aqui nas principais atividades.

Quantas vezes mais voltarmos a Florença, certamente encontraremos novas atrações. A cidade é linda, encantadora, uma verdadeira aula de história a céu aberto!

Nada deve ser considerado como obrigatório. Uma viagem é um momento especial demais para nos sentirmos obrigados a fazer algo que não queremos, né? Siga, portanto, seu coração de viajante e seja feliz nessa cidade que, definitivamente, ganhou o nosso coração!

O Firenze Card – 72 museus, para visitar em 72 horas, por 72 euros

Antes de iniciarmos a descrição dos pontos de interesse em Florença, falaremos um pouco sobre o Firenze Card, uma boa opção para quem deseja visitar alguns dos principais museus da cidade.

Dentre os monumentos incluídos neste, que é um passe facilitador de ingresso nas atividades, estão: o Museu e a Torre do Palazzo Vecchio (EUR 18 o bilhete individual da atração); o Palazzo Médici; a Igreja Santa Maria Novella; a Galleria Uffizi (EUR 12 o bilhete individual/regular da atração + fura fila); a Galleria dell’Accademia (EUR 12 o bilhete individual/regular da atração + fura fila); os Jardins de Boboli (Giardino di Boboli) + Palazzo Pitti (EUR 17 o bilhete individual da atração); o Duomo e o Museu da Ópera de Santa Maria Del Fiore (EUR 15); a Casa de Dante Alighieri (EUR 4 o bilhete individual da atração); e muitos outros.

Portanto, se a sua ideia é visitar o maior número de museus/pontos de interesse em 72 horas, faça as contas! Talvez, o Firenze Card seja a melhor opção pra você!

A compra do Firenze Card garante o acesso às atrações, sem filas, e sem necessidade de reserva prévia. O acesso é livre para menores de 18 anos, acompanhados de um portador do Firenze Card.

Caso opte por realizar a compra do bilhete online, saiba que será necessário imprimir o voucher que lhe será enviado por e-mail, e retirar o cartão, especificamente, em um dos pontos denominados “Collection Points” ou “Punti di Ritiro”.

Gostou? Quer adquirir, ANTECIPADAMENTE e ONLINE, o seu Firenze Pass? CLIQUE AQUI! 

Piazza Del Duomo / Cattedrale di Santa Maria Del Fiore

  • Uma das atrações incluídas no FIRENZE CARD – CLIQUE AQUI para comprar; 
  • É o grande marco da cidade;
  • Começou a ser construída em 1296, tendo sua construção se estendido por quase 150 anos;
  • Da cúpula (onde só tem acesso mediante pagamento e agendamento prévio / link abaixo), é possível ter acesso a um panorama inesquecível de 360 graus da cidade de Florença. Atenção: subida não indicada para quem não tem fôlego: são 463 degraus de pedra.
  • Entrada na catedral/igreja: grátis;
  • Ingresso combinado para a cúpula, o batistério, o campanário, a cripta e o museu: EUR 15 (é OBRIGATÓRIO portar o bilhete impresso). Para mais detalhes sobre o bilhete único/combinado, bem como para realizar a compra/agendamento de uso do seu, CLIQUE AQUI.

Obs.: Um dos lugares mais IMPACTANTES que vimos durante a viagem. A fachada, toda em mármore nos deixou boquiabertos por uns 30 minutos. Durante esse tempo, ficamos olhando pra Catedral, abobalhados, e gratos pela oportunidade de ver e viver tudo aquilo. E por lá passamos pela manhã, à tarde e também à noite.

Lindo! Simplesmente lindo. Nenhuma foto ou vídeo são capazes de representar a grandeza desse monumento.

Santa Maria del Fiore, Duomo, Cattedrale

Santa Maria del Fiore, Duomo, Cattedrale

Santa Maria del Fiore, Duomo, Cattedrale

Santa Maria del Fiore, Duomo, Cattedrale

Piazza della Signoria

  • É o centro da vida fiorentina há séculos;
  • Foi nesta praça que, em 1497, foram queimadas diversas obras de arte por um líder religioso – Savonarola – em repressão ao paganismo, que era indiscutivelmente condenado na época. Um dos artistas que teve diversas obras queimadas, por exemplo, foi Botticelli;
  • Há muitas obras renascentistas espalhadas pela Praça, dentre elas, uma réplica de David, de Michelangelo, que está lá desde 1910, já que a original foi retirada em 1873, quando foi levada à Galleria dell’Accademia).

Obs.: Um dos lugares mais emocionantes que tivemos a oportunidade de visitar, e um dos momentos mais mágicos que já pudemos vivenciar e compartilhar com vocês no InstaStories do Passagens Imperdíveis.

Foi essa praça que nos surpreendeu, quando voltávamos de um passeio na Piazzale Michelangelo (onde fomos ver o por do sol mais lindo de Florença) e de uma caminhada à beira do Rio Arno.

Estávamos andando tranquilamente, quando, de repente, os acordes de uma harpa, tocada por um artista de rua, nos chamaram a atenção e nos fizeram seguir a música, até despontarmos no meio dela, a Piazza della Signoria, onde deparamos com toda a imponência do Palazzo Vecchio, e uma série de esculturas renascentistas, dentre elas uma réplica de David, de Michelangelo.

Foi lindo! Se puderem, vivam a experiência! Sempre há um artista de rua por lá, tocando ou cantando lindamente durante a noite, entre 20h e 23h.

Piazza della Signoria

Piazza della Signoria

Piazza della Signoria e o Palazzo Vecchio

Piazza della Signoria e o Palazzo Vecchio

Palazzo Vecchio

  • Uma das atrações incluídas no FIRENZE CARD – CLIQUE AQUI para comprar; 
  • É a sede da Prefeitura e da Câmara Municipal Fiorentina;
  • Projetado entre 1298 e 1314, para a “signoria”, que era o nível mais alto do governo municipal;
  • Em 1540, passou a ser residência da família Médici que, posteriormente, julgou ser “pequeno demais” o palácio para nele ficarem durante o ano todo, quando foi então, em 1549, adquirido o Palazzo Pitti como casa de veraneio da Família Ducal;
  • Uma das atividades imperdíveis no Palazzo Vecchio é a subida, através de uma escada de pedra, à Torre d’Arnolfo, com 94m de altura.
Vista do alto da Torre do Palazzo Vecchio, Florença

Vista do alto da Torre do Palazzo Vecchio, Florença

  • Um dos cenários do filme “Inferno”, de Dan Brown.
  • O Palazzo Vecchio não costuma ter muitas filas, podendo a aquisição dos ingressos ser feita ali mesmo, na hora. O ingresso mais completo (Museu + Passeio Arqueológico + Torre) custa EUR 18. 
  • No entanto, caso queira, é possível adquirir seu ingresso para as atividades do Palazzo Vecchio antecipadamente, CLICANDO AQUI. 
A Sala dos Quinhentos, Palazzo Vecchio

A Sala dos Quinhentos, Palazzo Vecchio

Galleria degli Uffizi

  • Uma das atrações incluídas no FIRENZE CARD – CLIQUE AQUI para comprar; 
  • Localizada dentro do Palazzo defli Uffizi, construído entre 1560 e 1580 como prédio governamental;
  • Abriga a coleção de arte privada da família Médici;
  • É lá que encontra-se a espetacular “Sala del Botticelli” – de deixar qualquer um em estado de choque, como nós ficamos – onde podem ser encontradas 15 obras do mestre renascentista, dentre elas, as mais conhecidas: O Nascimento de Vênus (de 1485), A primavera (de 1482), Anunciação (1490), Adoração dos Magos (1475) e Nossa Senhora do Magnificat (1483);
  • Há também obras de Michelangelo, dentre elas o famoso retrato da Sagrada Família;
  • O pintor Caravaggio também está presente, com exibição de 3 obras de sua autoria;
  • Caso queira adquirir o ingresso antecipadamente para a Galleria Uffizi, CLIQUE AQUI! Pela compra antecipada do bilhete, você paga EUR 4 a mais, de taxa de conveniência, e ganha, em contrapartida o direito de “furar a fila”
  • Valor do ingresso regular: EUR 8 (a partir de 01/08/2017, o valor do ingresso regular passará a ser de EUR 12.50)
  • No local, disponibilidade de Audioguia em 8 línguas, inclusive Inglês e Espanhol, pelo preço de EUR 6; ou ainda de Videoguia, disponível em Italiano ou Inglês, pelo preço de EUR 8. A nossa escolha foi o Videoguia, e achamos que valeu super a pena, pois permitiu maior entendimento das obras e melhor interação com o museu.
O nascimento de Vênus, Botticelli, Galleria Uffizi

O nascimento de Vênus, Botticelli, Galleria Uffizi

Nossa Senhora do Magnificat, Botticelli, Galleria Uffizi

Nossa Senhora do Magnificat, Botticelli, Galleria Uffizi

Galleria dell’Accademia

  • Uma das atrações incluídas no FIRENZE CARD – CLIQUE AQUI para comprar; 
  • Fundada em 1784;
  • Um dos museus mais importantes de Florença, onde está a peça original de David, de Michelangelo;
  • Valor do ingresso antecipado: EUR 8 + EUR 4 de taxa de conveniência que, em contrapartida, lhe dá o direito de “furar a fila” que, nesta atração, são GIGANTESCAS!
  • Compre seu ingresso antecipado para a Galleria dell’Accademia – CLIQUE AQUI para comprar 
  • Recomendamos fortemente a compra do ingresso antecipado, ou então do FIRENZE CARD, já que qualquer uma dessas opções lhe dará o direito de ingressar na atividade sem enfrentar as filas regulares, que são MUITO GRANDES!

David, de Michelangelo

Antes de viajar, quando pesquisávamos sobre a Galleria dell’Accademia, víamos muitas pessoas dizerem que se tratava de um museu onde SÓ, BASICAMENTE se poderia ver a escultura de David, de Michelangelo.

Minha gente, SÓ a escultura de David já teria justificado a nossa ida a Florença. Como tentamos transmitir a vocês através do InstaStories do Passagens Imperdíveis, a estátua mais conhecida do mundo é IMPRESSIONANTE e IMPERDÍVEL.

Pensando que se trata de uma obra entalhada com um NÍVEL SURREAL DE DETALHES, a partir de um único bloco de mármore Carrara, trazido do norte da Toscana, e esculpida nos anos de 1501 a 1504; já temos motivos suficientes para ficar horrorizados e querer ver, de perto, se tudo isso é verdade.

Mas, quando se chega ali, aos pés de David, com seus mais de 5 metros de altura, dá até vontade de chorar, principalmente ao perceber o que Michelangelo quis transmitir com cada um dos detalhes que entalhou naquele bloco de mármore.

Ao contrário dos demais artistas que já tinham retratado a batalha bíblica, que se preocuparam, em suas obras, em retratar o momento da vitória de David sobre o Gigante Golias, Michelangelo, inovador, decidiu que sua escultura retrataria, não a vitória, mas o momento da estratégia, quando David pensava sobre como poderia vencer o Gigante.

Na mão direita de David, de Michelangelo, está a arma usada por ele para matar Golias, também conhecida como “Funda” ou “Fundíbulo”. E, é no mínimo encantador perceber a perfeição de Michelangelo em retratar os sintomas físicos daquele momento de decisão: músculos tensionados, veias saltadas e expressão de preocupação.

Se forem a Florença, pessoal, POR FAVOR, visitem a Galleria dell’Accademia e vejam, de pertinho, o David, de Michelangelo. E se puderem, lembrem-se de nós, pois foi um dos momentos mais impactantes da nossa viagem à Itália. <3

Galleria dell'Accademia, Firenze - David, de Michelangelo

Galleria dell’Accademia, Firenze – David, de Michelangelo

Galleria dell'Accademia, Firenze - David, de Michelangelo

Galleria dell’Accademia, Firenze – David, de Michelangelo

Piazzale Michelangelo

  • O por do sol mais bonito da cidade (em Maio/2017, quando lá estivemos, o sol começou a pôr por volta de 18h25). Chegue antes, por volta de 17h30 para apreciar o visual, e tirar muitas fotos lindas;
Por do sol na Piazzale Michelangelo, Florença, Firenze

Por do sol na Piazzale Michelangelo, Florença, Firenze

  • A vista mais ampla e mais bonita de Florença;
  • A forma mais legal de chegar à Piazzale Michelangelo é à pé, aproveitando o caminho que, por si só, já é uma atração imperdível;
  • Tendo como ponto de partida a Catedral de Santa Maria del Fiore, a caminhada até a Piazzale Michelangelo dura 20 minutos em ritmo moderado, sendo, destes 20 minutos, 10 minutos de caminhada íngreme e escadas. Portanto, se você tiver alguma dificuldade de locomoção, escolha outra forma de chegar até a Piazzale Michelangelo;
Trecho da parte íngreme da caminhada até a Piazzale Michelangelo, em Florença

Trecho da parte íngreme da caminhada até a Piazzale Michelangelo, em Florença

  •  Dá para chegar de ônibus, pegando a linha 12 ou a linha 13, a partir do ponto de embarque de ônibus, localizado na estação de trem Santa Maria Novella (paga-se EUR 2, diretamente ao motorista do ônibus).
Souvenir especial para ser usado como presente de Natal para o Tio do "PAVÊ ou PÁCUMÊ" :P

Souvenir especial para ser usado como presente de Natal para o Tio do “PAVÊ ou PÁCUMÊ” 😛

Ponte Vecchio

  • É a icônica ponte presente, praticamente, na totalidade das fotos deste cartão postal que é Florença;
  • Sua existência data do ano de 972. E, até o século XVI era ali que funcionava o comércio de carnes (açougue e peixaria), ocasião em que um dos Médici determinou que não mais poderiam trabalhar os açougueiros, que vira e mexe dispensavam carcaças de animas no Rio Arno, mas sim joalheiros, que lá são permitidos até os dias atuais;
  • Reza a lenda que, ao cruzar a Ponte Vecchio, o casal deve se presentear com um item de ouro, um anel, ou algo do tipo, para garantir a boa sorte do relacionamento. Portanto, aos apaixonados que assim querem permanecer, #ficadica. 🙂
Ponte Vecchio, Florença, Itália

Ponte Vecchio, Florença, Itália

Corredor de Vasari / Corridoio Vasari / Corridoio Vasariano

  • Passagem secreta de quase 1 km utilizada pela Família Médici para se deslocar do Palazzo Vecchio (sua morada oficial), até o Palazzo Pitti (sua casa de veraneio);
  • A construção ficou por conta de Giorgio Vasari, arquiteto que, em menos de 6 meses, conseguiu concluir a obra encomendada por Cósimo I, para mostrar prestígio na ocasião do casamento de seu filho.
  • Há um tour guiado pelo Corridoio Vasari, que precisa ser comprado/agendado com antecedência, e custa EUR 60. Caso tenha interesse, CLIQUE AQUI para comprar o seu ingresso antecipado.

Palazzo Pitti

  • Uma das atrações incluídas no FIRENZE CARD – CLIQUE AQUI para comprar; 
  • Construído em 1458 para a Família Pitti, rival dos Médici; e, posteriormente adquirida pelos Médici, em 1549, para funcionar como sua casa de veraneio;
  • Valor do ingresso regular/individual: EUR 16.75, inclui também a visita ao Giardino Boboli (a compra pode ser realizada junto ao site Passeios na Toscana – CLIQUE AQUI)
  • Ligado ao Palazzo Vecchio através de uma passagem secreta, o Corredor de Vasari / Corridoio Vasari / Corridoio Vasariano.

Giardino di Boboli

  • Uma das atrações incluídas no FIRENZE CARD – CLIQUE AQUI para comprar;
  • Consistem nos Jardins do Palácio Pitti, e foram criados no Século XV, de modo que são tidos como um exemplo perfeito de um jardim formal toscano;
  • Valor do ingresso regular/individual: EUR 16.75, inclui também a visita a algumas das salas do Palazzo Pitti (a compra pode ser realizada junto ao site Passeios na Toscana – CLIQUE AQUI, bem como as eventuais dúvidas podem ser esclarecidas).

Casa de Dante Alighieri / Museo Casa di Dante

  • Uma das atrações incluídas no FIRENZE CARD – CLIQUE AQUI para comprar; 
  • O Museu foi fundado em 1965, por ocasião do sétimo centenário do nascimento de Dante Alighieri, considerado o maior poeta italiano, e o pai da língua italiana;
  • Sua obra, a Divina Comédia, foi a base da ideia coletiva de céu e inferno, tendo influenciado, fortemente, a poesia amorosa, a teologia e o simbolismo.
  • Valor do ingresso individual: EUR 4 (pode ser adquirido apenas na bilheteria do local, e não online).

The Mall – The Luxury Outlet

Começaremos por essa que é uma “atração” localizada há uns 20 km do Centro de Florença: o The Mall – The Luxury Outlet.

O complexo concentra, em um único lugar, marcas de luxo, como o próprio nome diz, como por exemplo: Prada, Gucci, Balenciaga, Bottega Veneta, Burberry, Givenchy, Valentino e tantas outras.

Estivemos no Outlet, enquanto nos dirigíamos de Módena a Florença. E esta foi uma das transmissões que mais causou “tumulto” nas nossas mensagens Inbox do Instagram. Muitas eram as dúvidas, principalmente sobre os preços dos produtos, e sobre como chegar.

A predominância de clientela das lojas chiquérrimas era de origem oriental: japoneses e chineses dominavam o ambiente, onde se encontrava longas filas para entrar na Prada ou na Gucci, por exemplo.

Como chegar ao Outlet, partindo de Florença? E quais os horários de funcionamento?

Se você não estiver de carro, existem algumas opções partindo de Florença, que podem facilmente te levar ao The Mall – The Luxury Outlet. O complexo de lojas funciona todos os dias da semana, de 10h às 20h.

De Ônibus Direto

Como consta do site oficial do The Mall, há linhas de ônibus executivos que ligam o centro de Florença ao Outlet de Luxo.

Os ônibus apresentam, além de WI-FI gratuito, espaços confortáveis para acomodação de cada cliente, carregadores individuais de USB, água gratuita a bordo e vista panorâmica. Se não for comprar nada no Outlet, o ônibus já vale a pena pelo passeio! Rsrsrsr…

Partida: estação de ônibus BUSITALIA/SITA – Via Santa Caterina da Siena 17, Florença (perto da principal estação ferroviária).
Preço: passagem só de ida: € 7,00; passagem ida e volta: € 13,00.

Se quiser comprar online a passagem do ônibus, CLIQUE AQUI! 

Se quiser consultar a tabela de horários de embarque (de 30 em 30 minutos), CLIQUE AQUI!

Ônibus Executivo - The Mall - The Luxury Outlet, Florença

Ônibus Executivo – The Mall – The Luxury Outlet, Florença

De Serviço de Traslado (Shuttle)

Como consta do site oficial do The Mall, um serviço diário, liga o centro de Florença ao Centro de Outlets The Mall, e vice-versa, em transportes com 7 lugares, cada um.

Os clientes podem ser transportados diretamente do próprio hotel, caso o mesmo conste da lista disponível no site oficial do The Mall; ou de qualquer um dos 200 pontos centrais distribuídos por Florença (clique aqui para consultar os 200 pontos, bem como os horários de embarque).

E, também os clientes que realizarem a reserva do shuttle, tem o direito de usar qualquer um dos ônibus diretos. Ou seja, este é um bilhete mais abrangente: optando por adquiri-lo, você pode usar o shuttle ou o ônibus direto, de acordo com o que for mais conveniente.

Preço: EUR 35 por pessoa.

Se quiser comprar online a passagem do traslado/shuttle, CLIQUE AQUI! 

E os preços? Valem a pena?

Estamos falando de produtos de marcas de luxo. E, consequentemente, de itens com maior valor, um pouco (muito) mais caros do que aqueles que a gente tá acostumado a encontrar nos Outlets dos Estados Unidos.

Para que vocês tenham uma ideia de preços, falaremos de alguns produtos que encontramos na Prada e na Gucci.

Loja da Gucci - The Mall The Luxury Outlet

Loja da Gucci – The Mall The Luxury Outlet

Na Prada (que não permitia fotografias e nem filmagens), a bolsa mais barata encontrada tinha preço equivalente a EUR 600 (contra os EUR 1000 do valor original constante da etiqueta).

Na Gucci, a bolsa mais barata encontrada tinha preço equivalente a EUR 415:

Loja da Gucci - The Mall The Luxury Outlet

Loja da Gucci – The Mall The Luxury Outlet

Ainda na Gucci, encontramos óculos de sol bem bonitos, e com preços razoáveis: de EUR 110 a EUR 170:

Loja da Gucci - The Mall The Luxury Outlet

Loja da Gucci – The Mall The Luxury Outlet

Ainda na loja da Gucci, há um Café no Terraço, com uma vista bem legal. As comidas/bebidas do café são apenas “ok”. Nada demais. Mas pode ser um bom lugar para tomar um ar e descansar.

8) O que fazer em Florença: Conclusões e Considerações Finais

É isso, pessoal!

Esperamos que, com esse texto, tenhamos conseguido transmitir a vocês um pouco do que sentimos ao conhecer Florença.

É um destino incrível, uma cidade viva, colorida, alegre. Um excelente lugar para viver, na pele, um pouco daquilo que aprendemos na escola, nas aulas de história.

Altamente recomendado para viajantes de todas as idades!

Tags: , , , ,

por
Copyright © 2014 - 2017 Passagens Imperdíveis. Todos os direitos reservados.